Porque O Pai Sente Dor De Dente Na Gravidez?

Porque O Pai Sente Dor De Dente Na Gravidez
Quando a mulher está grávida O pai sente dor de dente? – A dor de dente na gravidez pode acontecer mais frequentemente mesmo em pessoas com boa saúde bucal, o problema pode aparecer pelo aumento considerável hormonal na gravidez. Os hormônios podem fazer com que a gestante fique mais sensível a dores principalmente em mucosas tão frágeis como a gengiva e nervos da boca.

Porque o homem sente dor de dente na gravidez da esposa?

Náuseas, enjoos e aumento de peso são alguns dos sintomas apresentados por homens que têm a chamada ‘sídrome de Couvade’ quando estão se preparando para paternidade. – Há cerca de um ano, Harry Ashby, que tem 29 anos e trabalha como segurança na Inglaterra, figurou nas manchetes de vários jornais britânicos por estar sofrendo uma série de sintomas atípicos para um homem: náuseas, enjoos, aumento de peso e até crescimento da barriga.

Curiosamente, esses eram os mesmos sintomas que sua namorada, grávida, sentia. Ashby foi ao médico e obteve o diagnóstico: ele estava com síndrome de Couvade. Não é uma doença, mas um conjunto de sintomas de uma “gravidez fantasma”, uma espécie de gravidez psicológica ou “gravidez por empatia”.

O caso de Harry Ashby pode até parecer estranho, mas não é o único, nem o primeiro. Antecedentes antropológicos O nome da síndrome vem da palavra francesa “couver”, que significa incubar. Ela designa um conjunto de sintomas involuntários associados à gestação, que não têm nenhuma causa física aparente – e que aparecem em alguns homens que vão ser pais.

  • Foi um antropólogo francês que utilizou esse nome pela primeira vez em 1865 para descrever os hábitos que observou em comunidades primitivas, como na antiga Grécia, diante da espera de um bebê;
  • Essas comunidades passavam por rituais “imitando” o que acontecia com as mulheres grávidas;

O homem imitava as dores do parto, deixava de fazer suas coisas e de ter qualquer esforço físico e, quando o bebê nascia, ele o colocava no peito e simulava a amamentação. Sintomas Além dos sintomas sentidos por Harry Ashby, outros comuns a quem desenvolve a síndrome de Couvade moderna são vômito, tontura, dores abdominais e dentárias, mudança de apetite, fadiga, insônia, problemas intestinais, alteração de peso, entre outros.

Falar com a esposa, com os amigos ou participar de grupos de pais onde o homem possa expressar suas inquietações podem ajudar a diminuir os sintomas Em 2013, uma equipe de pesquisadores poloneses observou 143 homens que estavam para ser pais e concluiu que 72% deles apresentaram pelo menos um dos 16 sintomas da síndrome de Couvade durante a gravidez de suas esposas.

Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Medical Science Monitor. Antes disso, outro estudo realizado em 2007 por pesquisadores da Universidade St. George, de Londres, analisou 282 futuros pais que acompanhavam suas mulheres grávidas ao hospital e constatou que 11 deles relataram sintomas similares aos de Ashby.

  1. Um dos líderes da pesquisa, Arthur Brennan, disse à época que, apesar de parecer fingimento, esses sintomas dos homens são reais;
  2. “Algumas pessoas podem pensar que esses homens estão fingindo, mas eles não estão querendo chamar a atenção;

Esses sintomas são involuntários. ” Causas Segundo especialistas, não está claro por que alguns homens desenvolvem esses sintomas típicos da gravidez. Mas alguns deles sugerem que isso pode estar relacionado com a ansiedade sobre a gestação e a paternidade.

O ginecologista e psiquiatra Alfonso Gil Sánchez diz que, tradicionalmente, toda pesquisa sobre saúde mental pré-natal tem se concentrado na mulher, mas agora há evidências concretas de que o homem também sofre mudanças – juntamente com a mulher.

Gil Sánchez, que também é membro da Sociedade Internacional de Saúde Mental Pré-Natal, afirma que há provas de que o homem passa por mudanças no cérebro para poder se relacionar e se apegar com o bebê, além de mudanças psicológicas e sociais relacionadas com as expectativas culturais sobre o que significa ser pai.

  1. O médico destaca que a síndrome de Couvade não é uma doença psiquiátrica, nem um delírio: o homem não acredita que está efetivamente grávido;
  2. É, na realidade, a “soma de um conflito psicológico que não se pode resolver racionalmente”, disse à BBC Mundo;

E, portanto, é algo que se manifesta por meio de sintomas físicos sem uma explicação aparente. No entanto, Gil Sánchez acredita que a síndrome de Couvade “é uma manifestação absolutamente normal”, que não tem nada de patológico e que reúne todos esses conflitos que surgem da mudança vital que a paternidade traz: medos, inseguranças e ansiedade.

  1. “Não é necessariamente algo negativo”, diz;
  2. Por outro lado, o médico ressalta que, em algumas culturas, é muito difícil para um homem expressar ansiedade – admitir, por exemplo, que tem medo de ser pai e que não sabe o que fazer;

E tudo isso se reflete nos sintomas do corpo. “É o corpo expressando esses sentimentos por meio do sintomas. ” Tratamento Como não é considerada uma doença, não há um tratamento específico para a síndrome de Couvade. Mas Gil Sánchez sugere que colocar para fora as emoções e as preocupações que os homens sentem nessa situação pode ajudar a diminuir os sintomas.

De qualquer forma, segundo os estudos realizados sobre o tema, a maioria dos sintomas relatados pelos homens desaparece depois do parto de suas esposas. Outras teorias Há outras teorias psicológicas, porém, que tentam explicar a origem dessa síndrome.

Uma teoria psicoanalítica sugere que tudo começa por causa de uma inveja que o homem tem da capacidade da mulher para a gestação. Outra teoria diz que alguns futuros pais veem o filho que ainda nem nasceu como um rival na disputa pela atenção da mãe, e o surgimento involuntário da síndrome de Couvade o ajuda a se identificar com a esposa e a desenvolver o instinto protetor com relação ao bebê.

Há também uma teoria psicossocial, que diz que durante a gestação da mulher, os homens podem se sentir relegados a um papel secundário ou “inúteis” – e para contestar esse sentimento, o homem desenvolve involuntariamente a síndrome de Couvade.

E de uma perspectiva totalmente diferente, há outra teoria que diz que é justamente a proximidade do homem com o feto que desencadeia a síndrome. Assim, os sintomas que aparecem no homem refletem o nível de “apego” que ele já tem com a criança que ainda não nasceu e sua empatia pela esposa na gravidez.

  1. Por outro lado, há estudos mais recentes que explicam a síndrome de um ponto de vista hormonal;
  2. Essas pesquisas descobriram que os homens têm aumento do nível hormonal de prolactina e estrógeno durante o primeiro e o terceiro trimestre de gravidez de suas esposas;

Ainda segundo esses estudos, as mudanças hormonais estariam associadas à demonstração de um comportamento paternal.

Quando o pai fica com dor de dente na gravidez?

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice família Grávido, eu? Novo estudo inglês comprova que, durante a gravidez das companheiras, homens podem sentir enjôo, desejo e dores

Leonardo Wen/Folha Imagem Pedro Maciel com sua mulher, Katy da Silva, grávida de sete meses

FLÁVIA MANTOVANI DA REPORTAGEM LOCAL P rimeiro foram os enjôos. Depois, uma vontade incontrolável de comer doces. Não demorou muito para que viessem dores nas costas, azia, vontade de urinar constantemente e até alguns quilos a mais. Como é sua mulher, Katy, quem está carregando um bebê na barriga, o comprador Pedro Maciel, 28, ficou espantado quando começou a sentir esses sintomas, típicos de gravidez.

“Eu, que nunca gostei de doces, agora morro de vontade de comer. Cheguei a sonhar com broa de padaria. Um dia, cismei com o bolo de chocolate da minha irmã. A Katy fez um, mas não adiantou, só melhorei quando comi o da minha irmã”, conta.

Acostumado a dormir a noite toda, hoje ele evita beber água antes de deitar porque tem vontade de urinar de madrugada. “É como se tivesse algo comprimindo minha bexiga”, compara. Nos últimos meses, suas camisetas ficaram pequenas, já que, além de ter engordado três quilos, sua barriga vive inchada e, segundo ele, chega a “formar uma bolinha”.

  1. “Mas a dor nas costas é a pior;
  2. Quando ando, pareço uma grávida;
  3. ” Casada com Pedro, a auxiliar administrativa Katy da Silva, 22, grávida de sete meses, sente enjôos, azia, dor nas costas e outros incômodos e diz que acha curioso o marido também sentir;

“Falei que ele parecia até ter mais sintomas do que eu”, afirma, contando que ele chegou a procurar um médico, que não detectou nenhum problema fisiológico. Após conversar com o especialista e com conhecidos, Pedro descobriu que alguns homens têm sintomas como esses quando suas mulheres estão grávidas.

“Não é algo que você controla. Acho que acontece porque sou muito ligado à Katy e estou ansioso demais com o bebê, que é nosso primeiro filho, ainda por cima menina”, acredita. De fato, essa situação existe e tem até nome de doença: síndrome de couvade.

Do francês “couver” (incubar), o termo também é usado para designar um tipo de ritual de culturas pré-industriais no qual o homem tem participação ativa no parto do bebê -fica de resguardo, simula dores ou se veste de mulher, por exemplo. Como há poucos levantamentos amplos para detectar a prevalência da síndrome de couvade nos futuros pais, os dados variam muito de acordo com os critérios adotados pelos pesquisadores -nos EUA, as estimativas ficam entre os extremos 22% e 79%.

No Brasil, uma pesquisa com 33 casais do Rio Grande do Sul, finalizada em 1999, mostrou que 53% dos homens expressaram algum sintoma que poderia indicar a síndrome. Um novo estudo inglês acaba de sugerir que o fenômeno é comum por lá também.

Os pesquisadores, da St. George’s University of London, monitoraram 282 homens que se preparavam para ser pais. O resultado foi comparado com o de um grupo controle, com 230 indivíduos. A síndrome foi confirmada em 120 dos 282 homens com parceiras grávidas.

  • “Foi muito mais do que eu esperava”, disse à Folha o professor Arthur Brennan, coordenador do levantamento, acrescentando que a síndrome é mais comum em países industrializados;
  • Segundo ele, alguns dos sintomas relatados foram náusea, vômitos, dores no estômago, nas costas e nos dentes, insônia e mudanças alimentares;
You might be interested:  O Que É Bom Comer Para Dor De Barriga?

Um dos entrevistados afirmou aos pesquisadores que sentiu cólicas semelhantes a contrações: “Minhas dores de estômago pareciam as contrações de uma mulher dando à luz. Começaram leves e foram se tornando mais e mais fortes”, relatou. O diretor comercial Dagoberto Malatesta Freitas, 36, brinca que a contração foi um dos poucos sintomas que ele não “copiou” da sua mulher durante a gravidez de sua filha Letícia, hoje com dois anos.

De resto, ele a acompanhou em tudo: tinha dores de cabeça na mesma hora que ela, ia muito ao banheiro e passou a comer mais. “Fiquei ‘grávido’ também. Engordei pelo menos quatro quilos”, lembra. No início, ele estranhou o fato porque nunca tinha ouvido falar de gravidez psicológica em homens, mas depois se tranqüilizou.

“Entendi que era parte do processo. Acompanhei o pré-natal de perto, fui a todos os exames”, conta. Sua mulher, a psicóloga Cláudia Guimarães Freitas, 35, afirma que até a região da cabeça que doía era a mesma no casal. Após o parto, a maioria dos sintomas desapareceu.

“Vi que era resultado da nossa proximidade, já que ele estava vivenciando o processo intensamente”, diz ela. Explicações A maioria dos especialistas diz que a síndrome de couvade está ligada a fatores psicológicos.

“A gravidez acontece no corpo da mulher, mas os aspectos emocionais repercutem em toda a família. É uma fase com poder de mobilização emocional muito forte”, afirma a psicóloga Maria Tereza Maldonado, autora dos livros “Psicologia da Gravidez” e “Nós Estamos Grávidos”, ambos da editora Saraiva.

Segundo psicólogos e psiquiatras, os motivos pelos quais um homem apresenta sintomas de gravidez vão da forte conexão com a parceira à vontade de chamar a atenção. “Muitos vivem essa situação por solidariedade com a companheira.

Às vezes, é também uma forma de não ficar ‘de escanteio’ numa fase em que todos os cuidados estão voltados para a futura mamãe”, explica a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade da USP (Universidade de São Paulo). Para a psicanálise, a síndrome é uma manifestação inconsciente da inveja masculina relativa à capacidade, exclusiva da mulher, de gestar um bebê.

“É bem conhecido o conceito que aborda o sentimento de castração da mulher por não ter pênis. Mas pouco se fala sobre a inveja do homem a respeito da capacidade de gestar um novo ser. O ventre grávido é um símbolo muito forte, remete a fertilidade, a poder”, diz Maldonado.

Segundo a psicóloga Talu de Martini, professora da Faculdade da Serra Gaúcha e autora do estudo de 1999 sobre a síndrome em pais gaúchos, acredita-se que o maior envolvimento dos homens da geração atual com a gravidez contribui para a manifestação dos sintomas.

“Futuros pais que estejam mais vinculados à gestante e à gestação estariam mais propensos a apresentar esses sintomas”, diz. Carmita Abdo observa que, mesmo quando não ocorre a síndrome, os casais contemporâneos usam muito o linguajar “estamos grávidos”.

“É importante que os homens se envolvam para se adaptarem à nova situação da família. Não é bom que eles simplesmente toquem a vida sem introjetar seu novo papel. ” Para a psicóloga Milena da Rosa Silva, autora de um estudo sobre o envolvimento dos homens com a gravidez, os pais vivem um momento de transição.

“Alguns ficam muito próximos, lêem sobre o tema, vão a todas as ecografias e se emocionam. Mas ainda há pais distantes, que só se preocupam com as adaptações financeiras. ” Silva diz que a paternidade só tem se tornado alvo de mais pesquisas na última década.

“A questão da maternidade sempre foi mais estudada. Hoje, embora a vivência da gestação seja diferente para homens e mulheres, essa fase não é mais um universo exclusivamente feminino. ” Ela lembra que a síndrome de couvade não consta oficialmente no DSM (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais nem no CID (Código Internacional de Doenças) -portanto, não se trata de um diagnóstico médico oficial-, mas diz que é um conceito muito usado em pesquisas acadêmicas.

A professora de inglês Fabíola Emblick, 26, acredita que o fato de o parceiro ter tido sintomas semelhantes aos seus durante a gravidez uniu o casal. “É gostoso ver que passamos por isso juntos. Acho que era mais fácil para ele entender como eu estava me sentindo”, diz ela, mãe de Laís, de três meses.

Além de enjôos e desejo por doces, seu marido, o adestrador de cães Carlos Eduardo da Conceição, 33, teve dor de dente, cãibras noturnas e uma aversão repentina a carnes vermelhas. “Churrasco é comigo mesmo, mas, na gravidez da nossa filha, os dois ficamos com nojo de carne vermelha e trocamos pelo frango”, conta ele, que também passou a ter mais sono do que antes.

Foi só a menina nascer para ele voltar ao normal. “Achava que era lenda essa história de ‘homens grávidos’, mas senti na pele. Acho que a questão psicológica afetou a parte física. Estava tão envolvido que não consegui assistir ao parto de tanta pena que fiquei da Fabíola”, relata.

A psicóloga Ana Cláudia Albertoni, que atende em uma clínica de medicina fetal em Florianópolis, recomenda que as mulheres dêem espaço para que o parceiro coloque suas questões durante a gravidez. “O homem também fica ansioso, tem dúvidas sobre as mudanças que sua vida sofrerá quando o bebê nascer, se vai ser um bom pai, se vai dar conta.

É importante ele falar sobre seus medos. ” Hormônios Apesar de as explicações sobre a síndrome de couvade se concentrarem em fatores psicológicos, há quem veja uma luz para a questão no estudo de oscilações hormonais no organismo masculino.

Um grupo de pesquisadores da Queen’s University in Kingston, no Canadá, vem analisando animais e humanos para verificar se certos hormônios podem ter relação com o comportamento paterno. Um dos estudos, feito com amostras de saliva de homens que seriam pais pela primeira vez, verificou que eles sofriam, na gravidez de suas parceiras ou logo após o parto, diminuição dos níveis de testosterona e de cortisol (ligado ao estresse) e aumento das concentrações de estradiol -um hormônio que influencia o comportamento materno.

Para as autoras, no entanto, é preciso cautela antes de fazer uma relação direta entre as oscilações hormonais e a síndrome de couvade -elas dizem que mais estudos são necessários. Segundo Ricardo Meirelles, membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, “não há qualquer alteração hormonal no homem por conta da gravidez da companheira”.

“Os sintomas [da síndrome de couvade] são exclusivamente psicológicos”, afirma. Texto Anterior: Inspire, respire, transpire: Dentro ou fora Próximo Texto: Frases Índice

.

Quando a mulher tá grávida O pai sente?

Ter os mesmo sintomas de gravidez da mulher Isso pode acontecer porque o homem está envolvido psicologicamente e emocionalmente com a gravidez, situação conhecida como síndrome de couvade. Nesses casos os homens engordam, ficam com enjoos matinais, e podem inclusive sentir dores durante o trabalho de parto da mulher.

Quando o homem sente dor de dente é o quê?

A dor de dente incomoda tanto que é conhecida como uma das piores dores que o homem sente. Costuma ser descrita como ardida, insistente ou latejante. A cárie é uma das causas mais comuns da dor de dente. A doença tem origem no ácido que as bactérias liberam após se alimentarem de restos de comida da boca, o que acaba corroendo o dente.

  1. O tratamento deve ser feito no consultório, por meio da remoção da parte cariada do dente;
  2. A prevenção inclui os cuidados básicos da saúde bucal, como escovar os dentes após as refeições e uso diário do fio dental;

Atenção redobrada na escovação antes de dormir. Isso porque durante o sono, a produção de saliva diminui e ela é uma forte aliada no combate à cárie. Outros dois causadores de dor de dente são as fraturas dentais, geralmente decorrente de quedas, brigas e acidentes, a quebra também pode acontecer pela fragilidade do dente que já passou por algum tipo de reparação ou tratamento.      Já a sensibilidade nos dentes tem como principal fator a retração gengival. Isso acontece quando a gengiva se retrai, expondo a raiz do dente. “Também é recomendada a utilização de escovas macias e utilizar creme dental com componentes que diminuem a sensibilidade”. SEU CIRURGIÃO DENTISTA DEVERÁ SER CONSULTADO SEMPRE QUE HOUVER ALGUNS DESSES SINTOMAS DE DOR DE DENTE, PARA UMA CORRETA AVALIAÇÃO E ORIENTAÇÃO  ADEQUADA.

Como um homem se sente ao saber que vai ser pai?

A chegada de uma criança, mesmo quando planejada, traz grandes modificações na vida de qualquer pessoa: seja na vida prática ou mesmo no que diz respeito às prioridades e preocupações. Ao descobrir que será pai, diversas sensações começam a surgir: alegria, medo, dúvida, euforia, incerteza, êxito, ansiedade são alguns exemplos.

Estou grávida e sinto que meu marido está distante?

Estou grávida e meu marido está distante, o que está acontecendo? – Outra queixa muito comum das mulheres é quando ela está grávida e o marido passa a apresentar um comportamento diferente. Geralmente fica distante, pode maltratar a esposa e se tornar indiferente.

Saiba que o distanciamento do marido durante uma gestação pode ocorrer porque ele está preocupado com essa nova fase, pode estar com medo de não conseguir dar conta, pode não estar lidando maduramente com toda essa situação e a forma como ele encontrou para não surtar é justamente ter esse comportamento estranho.

Já fizemos um post completo aqui no blog sobre crise no casamento durante a gravidez. Mas trouxemos algumas queixas comuns dentro dessa situação e orientações sobre o que fazer:.

O que e síndrome de couvert?

A síndrome de couvade corresponde a um conjunto de sintomas que podem aparecer nos homens durante a gestação da companheira, que exprimem psicologicamente a gravidez apresentando sensações semelhantes. Assim, o homem pode engordar, sofrer com enjoos, desejos, crises de choro ou mesmo depressão. .

Como curar dor de dente em 5 segundos?

Qual gravidez engorda mais?

Como calcular o peso que pode engordar

IMC (antes de engravidar) Classificação do IMC Ganho de peso recomendado (até ao final da gestação)
Abaixo do peso 12 a 18 Kg
19,8 a 26 kg/m2 Normal 11 a 15 Kg
26 a 29 kg/m2 Excesso de peso 7 a 11 Kg
> 29 kg/m2 Obesidade Mínimo de 7 Kg
You might be interested:  Dor Quando Aperta A Barriga?

.

Como os homens ficam na gravidez?

GRÁVIDA COM DOR DE DENTE, causas, tratamentos, anestesia e raio X | Monica Romeiro

A gravidez masculina, também chamada de síndrome de Couvade, é um quadro no qual o homem passa a desenvolver alguns sintomas típicos da gestação, juntamente com sua companheira. Em alguns casos de gravidez masculina, o abdome do homem pode aumentar de volume, tal como se estivesse ‘grávido’.

É normal o homem perder o desejo durante a gravidez?

Porque O Pai Sente Dor De Dente Na Gravidez Marili Forastieri/Thinkstock/Getty Images / Publicidade Publicidade O casal está grávido, mas, apesar da empolgação com o bebê que está por vir, o sexo esfriou. O que fazer? A comunicação é a ferramenta mais importante para manter a vida sexual saudável durante a gestação. Não ter medo de abrir o jogo e deixar o companheiro a par de como você está se sentindo, física e emocionalmente, evita mal-entendidos que podem causar um distanciamento – como aconteceu com o advogado Alexandre Lucena, de 32 anos.

“Como nos primeiros meses ela ficou bastante indisposta, achei que não teria vontade de transar, e que seria incômodo para ela se eu tentasse alguma coisa. Então, me afastei”, conta ele. A esposa de Alexandre, sem entender, ficou se sentindo rejeitada.

“Só lá pelos 5 meses da gestação ela me perguntou o que estava acontecendo, e ficou claro que nosso problema era falta de comunicação. Daí pra frente, nos entendemos e tivemos muito prazer”, lembra o advogado. E se o problema não for apenas falta de conversa? Especialistas apontam que é perfeitamente normal passar por períodos em que a libido esteja mais baixa durante a gestação – e isso vale tanto para a mulher quanto para o homem.

“É a mulher quem passa por todas as transformações físicas, mas o homem também passa por uma fase estranha, em que começa a pensar nas responsabilidades que estão chegando. Ele precisa ser um bom pai, ganhar dinheiro o bastante para sustentar a família, proteger a esposa e o filho…”, explica o terapeuta sexual Théo Lerner, de São Paulo.

“Os medos são enormes, e é bastante comum que isso afete o desejo sexual”, completa a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, coordenadora do Projeto AmbSex, de São Paulo. Período de adaptação Outra questão que normalmente mexe com a cabeça do futuro pai é que, a partir do momento que a gravidez é confirmada, ele fica em terceiro lugar na relação.

“A mulher só fala e pensa no bebê; se eles saem, ela não bebe; frequentemente, está indisposta… É difícil acompanhar o ritmo, e por isso acaba surgindo um distanciamento natural”, explica Carla. O ideal, então, é que o pai participe ativamente de todo o processo – que acompanhe a futura mamãe nas consultas médicas, na compra do enxoval, nas leituras e em toda a preparação para a chegada do bebê.

“É essencial que o homem sinta-se incluído, senão, pode sofrer até crises de ciúmes, e isso causa problemas em todos os campos do relacionamento, especialmente no sexual”, aponta a sexóloga. Ainda há muitos homens com receio de que, durante a penetração, o pênis possa machucar o bebê.

“Isso é um grande mito. O bebê está devidamente protegido dentro do útero e, a não ser que o médico recomende, por motivos específios, não há problema nenhum em transar durante a gravidez”, explica Carla.

Mas, mesmo sem esse receio, o sexo fica um pouquinho mais difícil. Nos primeiros meses, a mulher tende a ficar bastante indisposta. No segundo trimestre, ela já começa a voltar ao normal, mas a barriga já está crescendo, e cada vez menos posições são confortáveis na hora de transar, o que também pode prejudicar o prazer do homem.

  1. “Tem os que não gostam que a mulher fique por cima, por exemplo, que é uma das melhores posições para gestantes;
  2. Aí, broxam”, diz Carla;
  3. Questão de olhar Há também homens que, conforme a barriga da companheira cresce, passam a enxergá-la como mãe, e não mais como amante;

“Mãe não é uma pessoa sexuada na nossa sociedade”, aponta Théo Lerner. Nessas situações, pode não ser a libido que diminui, e sim o desejo sexual pela própria esposa. E aí, como lidar com isso? “Minha dica é se esforçar para manter o romantismo na relação.

Olhar, tocar, elogiar o outro, para fortalecer o vínculo”, indica o terapeuta sexual. Mas não é só o homem que precisa vigiar sua atitude em relação à gestação. “É importante, também, que a própria mulher se enxergue como um ser sexual”, continua Théo.

Afinal, o corpo da gestante muda drasticamente, e é comum que ela sinta-se pouco atraente. No entanto, segundo Carla Cecarello, muitos homens se excitam com o novo corpo da companheira. E dar uma passadinha no sex-shop para apimentar a relação, se necessário, será que vale? “Qualquer incentivo é válido”, diz a sexologa.

Isso inclui ir atrás de uma lingerie ou camisola mais bacana, ou mesmo de apetrechos como óleos de massagem e vibradores. “Se o período for de desconforto para a penetração, o casal pode se focar em outras práticas, como o sexo oral, por exemplo”, indica.

Após o nascimento O segredo é não ter medo de conversar e nem de procurar alternativas ao que o casal está acostumado a fazer na cama. A chegada de um bebê traz muitas mudanças à dinâmica dos pais, e pode demorar até que as coisas voltem a ser como eram antes do pequeno.

“Em alguns casos, a mulher leva até um ano e meio para se estabilizar e voltar a lidar com o sexo como antes, já que, além de cuidar do bebê, há a volta ao trabalho e toda uma reestruturação na vida da nova mãe”, diz Carla.

E se o bebê nasceu e a vida sexual está demorando para voltar ao normal? “Pode ser interessante buscar acompanhamento profissional”, diz Théo Lerner. Talvez o casal esteja apenas precisando apenas um pouquinho a sintonia, e conversar com um terapeuta capacitado, além de manter o canal de diálogo fluído dentro de casa, pode ser uma maneira saudável de restabeler a ordem na cama.

  • Comportamento – sexo
  • Gravidez
  • Relacionamentos
  • Sexo e você

Qual é a pior dor que existe no mundo?

Sua leitura i O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos.

Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar.

Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal. Fechar A matéria que você está lendo agora +0 Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal. Que tal saber mais sobre esse assunto? | Foto: Considerada como a pior dor do mundo, a Neuralgia do nervo trigêmeo pode ser confundida como dor de dente, enxaqueca e até a distúrbios psiquiátricos. Mas a verdade é que o atraso da dor só leva a mais sofrimento pelo paciente. Dr. Gustavo Franklin , médico neurologista do Hospital de Clínicas de Curitiba, Paraná, explica que a Neuralgia do trigêmeo é a síndrome gerada pela dor no território do nervo trigêmeo.

“O nervo trigêmeo passa pelos dois lados do rosto e se divide em três ramos: o oftálmico, maxilar e mandibular, de acordo com a região onde está”, explica. “A dor aparece quando um ou mais desses ramos sofre com uma lesão, inflamação ou mesmo quando é comprimido por qualquer motivo”.

Essa dor costuma ser bastante intensa e pode se manifestar como pequenas fisgadas, um choque ou queimação, muitas vezes incapacitante. Existem diversas causas para que o nervo apresente esse distúrbio, conforme explica o neurologista. “A causa mais comum são os conflitos neurovasculares, ou seja, quando uma veia ou artéria encosta no nervo desencadeando a crise.

  1. Mas existem outras como a esclerose múltipla e tumores no trajeto do nervo”, descreve;
  2. O diagnóstico é feito pelas características da dor e a causa do problema, normalmente é descartadas por meio de um exame de imagem, como a ressonância magnética de crânio;

O mais importante é que a Neuralgia do Trigêmeo pode ser tratada e desta forma o diagnóstico deve ser o mais precoce possível. O tratamento acontece primeiramente tratando a dor no instante em que ela surge por meio de medicamentos analgésico; mas também prevenindo prevenir futuras crises e, por fim, tratar as causas.

  • “Esse tratamento vai depender de cada caso, mas além dos medicamentos via oral existem outras opções, como a intervenção cirúrgica e a aplicação de toxina botulínica”, explica o neurologista;
  • O especialista alerta para a importância de fazer o acompanhamento médico após o diagnóstico mesmo sem sentir dor;

“É muito comum, na neuralgia do trigêmeo, que o paciente tenha longos períodos sem sentir dor, mesmo sem fazer nenhum tratamento. Mas isso não significa que ele esteja curado e a dor pode retornar a qualquer instante. Por isso, o acompanhamento constante é fundamental”, finaliza.

É possível morrer de dor de dente?

Poucas pessoas sabem que uma infecção na boca pode espalhar pela garganta, cérebro, coração e outras partes do organismo causando a morte. Veja como identificar e tratar os abscessos dentários. Além de ser extremamente dolorosa, uma infecção dentária “não tratada” pode matar uma pessoa.

Não é algo comum, mas pode acontecer devido à infecção dentária não tratada causar um dente abscesso, isso pode levar a um quadro grave de infecção levar morte ou danos graves. Por que os dentes infectados são mortais? Poucas pessoas sabem que uma infecção na boca pode se espalhar, no pior dos casos, pode migrar para o cérebro.

É aí que fica perigoso e muitas vezes, intratável. Mesmo um dente rachado pode colocar em risco quando as bactérias se espalham para a polpa do dente. Quando a dor é estrema e a infecção é grande, o dano já está feito, em casos graves é necessário internamento para tratamento intensivo.

  1. Porém com visitas dentárias regulares o problema pode ser evitado e tratado;
  2. Um dentista pode pegar essas fissuras ou rachaduras consertar antes da infecção se instalar;
  3. Um abscesso dental não é nada para ignorar, pode se espalhar rapidamente, às vezes durante a noite para órgãos vitais como o coração, pode levar a inchar a via aérea e gerar grandes complicações;

O que esperar de um dentista para tratar a infecção dentaria? – Os dentistas são capazes de encontrar um abscesso apenas tocando no dente. Um dente infectado ou abscesso é sensível à pressão, mesmo uma simples batida pode causar dor; – Exames de sangue; – Um raio X determina se há infecção presente na polpa do dente; – Se encontrado infecção o dentista pode prescrever antibiótico como a penicilina; – O dente pode ser drenado para remover o pus, isso elimina a dor quase que imediatamente; – Remoção de tecido danificado e drenagem do pus.

You might be interested:  Dor No Estômago E Diarréia O Que Pode Ser?

– Uma incisão e drenagem são feitas quando a infecção está presente entre o dente e a gengiva; – A área é limpa com solução salina; – O dente precisará ser tratado para evitar que a infecção volte; – Um canal radicular pode ser realizado se você tiver uma infecção perto da raiz do dente; – O canal é preenchido com um selante e o dente coroado com uma porcelana ou tampa metálica.

Atenção muito importante! Se já houve administração de antibióticos, não houve melhora e ainda piora dos sintomas, procure com urgência o pronto socorro para tratamento intensivo. Os canais radiculares geralmente são feitos por endodontistas. Embora, não seja doloroso como muitas pessoas dizem, os canais radicais podem ficar caros. Website: http://dieta. blog. br/20-incriveis-remedios-caseiros-para-abscesso-dentario.

Quantos anos a cárie leva para acabar com o dente?

Quem nunca quando criança ou até adulto já teve a famosa cárie? E também, já perguntou quanto tempo a cárie demora para destituir o dente? Se você já passou por esse problema bucal ou só está curioso sobre, vamos responder essas e outras dúvidas que sempre chegam aos dentistas. Além disso, apesar de ser vista como uma “doença de crianças”, a cárie também atinge adultos da mesma maneira. Em resumo, a cárie é uma doença em que as bactérias que vivem na boca se acumulam nos dentes, produzindo ácidos que corroem o esmalte dos mesmos, podendo ficar mais grave, caso você não perceba, e alcance áreas mais sensíveis do dente.

No entanto, o problema é que quando muito pequena, a cárie não apresenta nenhum sintoma visível. Ou seja, ela acaba sendo mais fácil perceber quando o esmalte dos dentes é corroído, tornando sensíveis a bebidas e alimentos doces, quentes e frios.

Inclusive, não ache que toda dor ou sensibilidade nos dentes seja causada por cáries, até porque, existem muitos outros problemas dentários que trazem essas consequências. Sendo assim, não hesite em procurar um dentista quando sentir isso, porque mesmo que algo pequeno, se houver demora pode se tornar um problema maior.

Quanto tempo a cárie demora para destruir o dente? Primeiro, saiba que se identificar esse problema cedo, você pode facilmente realizar o tratamento e evitar maiores problemas. Inicialmente, a principal maneira para detectar cáries no início são manchas brancas no dente, o que significa que a cárie não tenha corroído o esmalte.

Dessa forma, nos casos em que aparecem apenas manchas, o tratamento pode ser feito com flúor e outros métodos preventivos que ajudam o dente a se recuperar sozinho. No entanto, também tem a fase de quando a cárie já corroeu o esmalte, onde será preciso restaurar o dente, retirando a estrutura do dente afetada e preenchendo o local com resina composta da cor do dente.

Porém, quando a cárie chega a correr o esmalte e não é tratada, ela continua se aprofundando no dente, onde com o tempo o mesmo irá se decompor até a raiz, sendo totalmente destruído. Quando a cárie está a níveis fortes a corrosão, sua estética pode ficar bem semelhante ao desgaste feito para lente de contato dentais, por exemplo.

Isso ocorre quando você não identifica o problema cedo, e aí já prejudica grande parte dos dentes. E sobre a dúvida de quanto tempo a cárie demora para destruir o dente, esse processo varia muito, mas geralmente leva meses ou anos. Dessa forma, se as bactérias tiverem infectado a polpa interna, nesse caso o dente vai precisar de um tratamento de canal, um processo mais complicado.

  • Como evitar a cárie? Além de alguns passos essenciais para evitar esse problema, a principal coisa a se fazer é manter as consultas no máximo a cada 6 meses;
  • Se você precisar de suporte, a clínica Oral Dent pode lhe ajudar a manter a boa saúde dos seus dentes, evitando a cárie;

Por conseguinte, incluindo isso, existem algumas coisas básicas que você deve seguir para prevenir essa doença. Higiene oral  Manter uma limpeza constante e completa da boca controla de forma eficaz o surgimento da cárie da superfície lisa, sendo as mais reversíveis e evitáveis.

Dessa forma, fazendo a escovação antes ou após o café da manhã, uma à tarde, a última antes de dormir e utilizando diariamente o fio dental irá ajudar a eliminar a placa bacteriana. Inclusive, quando você escova os dentes, está prevenindo a cárie que se forma ao lado deles, e com o fio dental você alcança e limpa lugares em que a escova não chega.

Além disso, qualquer pessoa leva no mínimo três minutos para fazer a escovação de maneira correta. Aliás, é necessário isso pelo menos três vezes ao dia, porque no início a placa bacteriana é mole e limpa-se com escovas de cerdas suaves e com o fio dental.

No entanto, quando passam, por exemplo, 24 horas, a placa começa a ficar calcificada, o que dificulta o processo de limpeza da mesma. Dieta  Embora os hidratos de carbono, presentes na maioria dos alimentos, possam gerar um certo grau de cárie, os maiores causadores são os açúcares.

Dessa forma, todos os açúcares, sacarose, levulose, frutose e lactose, causam o mesmo efeito nos dentes. Sendo assim, quando esse açúcar entra em contato com a placa bacteriana, eles produzem o ácido que corrói o dente, e quanto mais tempo o açúcar fica em contato com o dente, mais prejudicial será.

Inclusive, um bochecho após comer algo doce pode ajudar a eliminar parte do açúcar consumido, no entanto, a escovação é bem mais eficaz. Considerações finais Por fim, depois de todo esse artigo, agora você consegue saber quanto tempo a cárie demora para destruir o dente, e como evitar esse problema.

Você já teve problemas com cárie? Comenta aí abaixo.

Qual o papel do pai durante a gravidez?

Porque O Pai Sente Dor De Dente Na Gravidez Thinkstock/Getty Images / Publicidade Publicidade 1. Qual a importância do pai no pré-natal? “A principal tarefa do marido é não se deixar ser excluído pelo obstetra, que muitas vezes conhece a moça desde menina e o olha como um intruso. O marido precisa ter consciência de seu papel, de que é mais importante que o médico, de que é o verdadeiro companheiro da mulher.

Antes de ser pai, ele é homem. E ela, antes de ser mãe, é sua mulher. Assim ele será melhor pai, ela será melhor mãe e juntos continuarão a ser um bom casal”, defende o psicanalista Francisco Daudt. “O pai deve dar assistência em tudo que a grávida necessite – tanto nos cuidados com o bebê como com ela mesma.

Ele deve estar atento às consultas médicas, aos exames necessários, à alimentação e ao controle do peso dela. Tudo isso é importante para que a gestação não se torne mais pesada para a mãe do que para o pai”, acrescenta a psicóloga Cristiane Gai. “É interessante que o marido participe dos exames no pré-natal, uma forma também de curtir a gravidez e, assim, auxiliar na elaboração de sua nova condição, que é ser pai.

Essa relação ajuda na formação de um vínculo entre pai e filho, mesmo com o bebê ainda dentro do útero”, finaliza a psicóloga Isis Pupo. É importante o pai estar na sala de parto? O fundamental é o apoio, e isso varia de acordo com cada casal.

“No parto, o papel paterno é de compreensão pelo momento único que a mulher está passando, pelas dores que ele jamais vai sentir, por exemplo. Acima de tudo, a presença do pai deve ajudar a gestante a se sentir segura”, explica a psicóloga Cristiane Gai.

Na opinião do psicanalista Francisco Daudt, o marido deve apoiar a mulher, estar a seu lado, dar-lhe a mão. “Friso que, antes de pai e mãe, eles são marido e mulher”, ele diz. Se o seu marido entra em pânico só de pensar na sala de parto, fique calma.

A psicóloga Isis Pupo defende que estar na sala de parto é opcional: “Deve-se respeitar os próprios limites. O ideal é assistir ao parto se for para passar tranquilidade e apoio à mãe e ao bebê. Caso contrário, é melhor esperar que o recém-nascido chegue ao berçário”.

  • Preciso pagar alguma taxa para que o pai do meu filho participe do parto? Não;
  • A lei garante: tanto no sistema público como no privado, a gestante tem direito a um acompanhante de livre escolha durante o trabalho de parto, o parto e o pós-parto, sem pagar nenhuma taxa extra;

Algumas mães afastam o pai da criança nos primeiros meses por achar que só elas dominam o jeito certo de fazer as coisas. Como resolver essa situação para a mãe se sentir segura e o pai não se sentir excluído? “Desde o momento que o bebê nasce, o ideal é que o pai participe dos cuidados com a criança: ele deve assistir ao banho demonstrativo, que é realizado em diversos hospitais, conversar com os pediatras e enfermeiras, não ter vergonha de perguntar e arriscar, afinal nenhum filho vem com manual de instruções.

A aprendizagem só vem com a prática, e as mães também passam por isso. Se, mesmo com todo esse esforço, ainda houver desconfiança, vale ter uma boa conversa e expor os sentimentos para a parceira”, incentiva a psicóloga Isis Pupo.

Para o psicanalista Francisco Daudt, a divisão de tarefas e responsabilidades é importante porque “retira da mulher a monumentalidade massacrante que transforma uma jovem moleca brincalhona num ser enorme chamado mãe”. Já a psicóloga Cristiane Gai sugere: “O pós-parto é um período muito complicado para o homem.

A solução é tentar participar ao máximo, seja cantando uma cantiga de ninar, seja ajudando na troca de fraldas e no banho. E, além disso, ter em mente que essa fase vai passar”. O que o pai pode fazer para ajudar no pós-parto? “O que ele aprendeu antes (ou o que deveria ter aprendido): dar banho no bebê, alternar quem atende a criança nas acordadas noturnas, trocar fraldas, ajudar a mãe a preparar o peito para a amamentação e, sobretudo, continuar a ser marido e companheiro de sua mulher”, enfatiza o psicanalista Fernando Daudt.

Se o casal estiver separado, como o pai pode participar do dia a dia do bebê? “No pós-parto e por toda a vida, o pai deve participar o máximo possível da rotina de seu filho. Isso vale também para os pais separados. É interessante conversar com aquele que fica mais tempo com o bebê e perguntar sobre seus gostos e suas preferências.

  • Comportamento – família
  • Especial Dia dos Pais
  • Gravidez
  • Nascimento do bebê
  • Parto e pós-parto
  • Pós-parto
  • Pré-natal

O que e síndrome de couvert?

A síndrome de couvade corresponde a um conjunto de sintomas que podem aparecer nos homens durante a gestação da companheira, que exprimem psicologicamente a gravidez apresentando sensações semelhantes. Assim, o homem pode engordar, sofrer com enjoos, desejos, crises de choro ou mesmo depressão. .

0
Adblock
detector