O Que Melhora Dor Nos Rins?

O Que Melhora Dor Nos Rins
Como aliviar a dor nos rins na gravidez? – Na gestação, a dor nos rins originada por pedras nos rins, pode ser aliviada com: compressa morna, consumo moderado de água e alongamento ou técnicas de relaxamento. O uso de anti-inflamatórios não é indicado para gestantes, pelo risco de sangramento, a não ser que seja indicado pelo seu médico obstetra.

Além disso, é importante descartar a presença de uma infecção urinária, situação comum durante a gestação, mas que oferece grande risco a mãe e ao bebê. Sintomas como dor e ardência ao urinar, urina com cheiro forte e desagradável, dor na barriga ou nas costas sugerem a infecção.

Nesse caso, procure um serviço de emergência.

O que é bom para aliviar a dor nos rins?

Os remédios para dor nos rins que geralmente são indicados pelo nefrologista são analgésicos, anti-inflamatórios ou antiespasmódicos, como paracetamol, ibuprofeno ou escopolamina, pois permitem reduzir a inflamação e/ou a contração das vias urinárias.

  • No entanto, e uma vez que a dor nos rins pode ter várias causas, como alterações nas funções do próprio rim, pedras, cistos ou infecções, é muito importante que os remédios sejam indicados por um médico após uma avaliação detalhada, para identificar a causa da dor e iniciar o tratamento mais adequado;

Conheça as principais causas de dor nos rins e como identificar. Além disso, alguns remédios naturais podem ajudar a aliviar os sintomas e complementar o tratamento médico, como chá de quebra pedra ou chá de boldo com camomila e alecrim, pois têm ação diurética e anti-inflamatória, ajudando a aliviar a dor nos rins. O Que Melhora Dor Nos Rins.

O que é bom para aliviar dor nos rins caseiro?

O que é bom para desinflamar os rins?

Chá de Alfavaca – A Alfavaca é um ótimo antiinflamatório natural e, por isso, entra na lista dos chás para desinflamar os rins. Essa planta também é boa por sua ação diurética, evitando a retenção de líquido e, consequentemente, os inchaços desagradáveis e desconfortáveis.

Para fazer o chá para inflamação nos rins com essa planta, é possível usar as folhas secas ou frescas, a depender da facilidade que você tiver para encontrar a planta. O resultado é uma bebida muito aromática e boa para auxiliar no tratamento renal.

Modo de preparo do chá de Alfavaca Ferva 300 ml de água e depois adicione 1 colher de sopa cheia de folhas de Alfavaca. O ideal é ferver a água sem a erva junto, para o chá não amargar. Deixe a infusão repousar por cerca de 5 minutos; depois, é só servir.

O que é bom para limpar os rins?

Quanto tempo dura a dor nos rins?

Quanto tempo dura uma crise de pedras nos rins? – A dor ocasionada pelos cálculos renais começa subitamente e geralmente atinge o seu pico em duas horas. A crise, mesmo tratada,  pode ter entre uma e quatro horas de duração, no total. Sem tratamento, alguns casos podem durar mais de 12 horas.

Como saber se a dor que estou sentindo e no rim?

Pedras no rins – A presença de pedras no rins provoca o aparecimento de dor intensa que pode direcionar-se para a barriga ou órgão genital, dor ao urinar e urina rosa, avermelhada ou marrom, devido à presença de vestígios de sangue. Como tratar:  o tratamento é feito de acordo com o tipo de pedra formada, podendo incluir uso de remédio analgésicos, alterações na alimentação ou tratamento a laser, que quebra as pedras em pedaços menores, facilitando a eliminação pela urina.

Qual a melhor posição para dormir com dor no rim?

Baixe em PDF Baixe em PDF Ter pedras nos rins é uma experiência dolorosa e de dar medo, mas felizmente há formas de amenizar um pouco a situação. Se você recebeu esse diagnóstico, o melhor a fazer é marcar consultas regulares com o médico, tomar analgésicos e até recorrer a alguns tratamentos em casa para aliviar os sintomas. Siga à risca as orientações dele e hidrate-se bem para eliminar as pedras.

  1. 1 Peça para o médico determinar se você nunca apresentou sintomas de pedras nos rins antes. É essencial fazer um exame e receber um diagnóstico preciso, principalmente se você não sabe se os sintomas são ou não de pedras nos rins. Assim, o médico vai poder descartar outros possíveis problemas e complicações, além de determinar a melhor forma de tratamento para o quadro.
    • Os principais sintomas de pedras nos rins são: dores (ao urinar, nos lados do corpo, nas costas, no abdômen e na virilha), urina de cor rosada ou marrom, enjoo e vômito, vontade frequente de urinar, febre ou calafrios (quando há uma infecção secundária). Você pode ainda sentir dores súbitas e constantes nas costas — as chamadas cólicas renais.
    • Mesmo que já tenha tido pedras nos rins antes, converse com o médico para tirar as suas dúvidas.
    • Se o médico desconfiar de que você está mesmo com pedras nos rins, ele pode pedir uma amostra de urina para tentar determinar a composição do material.
  2. 2 Busque um tratamento de emergência se você apresentar sintomas muito graves. Às vezes, pedras nos rins causam complicações adicionais que precisam de atendimento médico urgente (como quando há bloqueios ou infecções). Nesse caso, ligue para os serviços de emergência ou vá ao pronto-socorro se você:
    • Não conseguir ficar parado ou confortável em qualquer posição por causa da dor.
    • Ficar enjoado e vomitar, além de sentir dor.
    • Sentir dor acompanhada de febre e calafrios.
    • Urinar sangue ou tiver dificuldade para urinar normalmente.
  3. 3 Tome analgésicos de acordo com as orientações do médico. Se as pedras nos seus rins forem relativamente pequenas, você pode conseguir reduzir a dor com analgésicos de venda livre, como ibuprofeno, paracetamol e naproxeno.
    • Converse com o médico sobre os outros medicamentos que você já esteja tomando no momento ou sobre problemas de saúde que já tem antes de começar o tratamento.
    • Alguns médicos recomendam que os pacientes combinem paracetamol com anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno ou paracetamol, para aliviar ainda mais a dor. Descubra se é o seu caso.
    • Pode ser que o médico receite algo mais potente se a sua dor for muito forte e os medicamentos de venda livre não resolverem a situação.
  4. 4 Movimente-se sempre que possível. Muita gente tem medo de ficar se mexendo quando está com pedras nos rins, mas é importante manter certo nível de atividade. Basta caminhar ou praticar outro exercício mais leve, como fazer alongamentos ou yoga.
    • Pare imediatamente se a dor piorar quando você tentar se mexer. Só continue se sentir melhoras no quadro.
  5. 5 Tome um banho quente. A umidade e o calor podem aliviar um pouco a dor das pedras nos rins. Tome um longo banho, de cerca de 20 minutos, na ducha ou na banheira. A água só não deve estar quente demais a ponto de queimar a sua pele.
    • Você também pode colocar uma compressa térmica na área da dor. Deite-se em cima dessa compressa e coloque uma camada (uma manta, uma toalha ou algo do tipo) entre ela e a sua pele. Use esse acessório três ou quatro vezes por dia, sempre em sessões de 20 a 30 minutos cada.

    Publicidade

  1. 1 Beba muitos fluidos. Você tem que ficar sempre hidratado para conseguir eliminar as pedras nos rins do organismo e cuidar da saúde do trato urinário. O ideal é que a urina saia quase ou completamente transparente.
    • Você também pode ingerir outros fluidos, além da água, mas modere no café, no chá e em bebidas ácidas — que acabam irritando o trato urinário e aumentando ainda mais o desconforto.
    • Suco de maçã e toranja podem causar a formação de pedras nos rins. Se você gosta desse tipo de bebida, opte por outros sabores.
    • Evite tomar álcool e refrigerante, que desidratam o organismo e pioram os sintomas.
  2. 2 Tome alfabloqueadores se o médico recomendar. O médico pode recomendar que você tome alfabloqueadores para relaxar os músculos no trato urinário e facilitar a eliminação das pedras nos rins. Siga à risca as instruções dele para nada dar errado.
    • Os principais alfabloqueadores para o tratamento de pedras nos rins são tansulosina, alfuzosina e doxazosina.
    • Fale com o médico dos outros medicamentos que você já está tomando antes de começar a tomar os alfabloqueadores. Alguns deles geram interações perigosas, como: betabloqueadores, bloqueadores do canal de cálcio e remédios para disfunção erétil.
  3. 3 Durma virado para o lado em que as pedras nos rins estão. Você tem que adotar uma posição na qual as pedras nos rins fiquem viradas para baixo ao máximo à noite para não sentir dor e desconforto e, assim, resolver o problema mais facilmente.
    • Não há consenso quanto à relação entre a posição de dormir e a eliminação de pedras nos rins, mas pode ser que o lado do corpo afetado consiga filtrar melhor a urina.
  4. 4 Faça um tratamento mais agressivo se o médico recomendar. Você pode precisar de outros tipos de tratamento se as pedras nos seus rins estiverem grandes demais ou causando outras complicações, como sangramento ou infecções. Nesse caso, converse com o médico para saber como proceder. Veja alguns exemplos:
    • Litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LEOC): neste tratamento, o equipamento envia ondas sonoras pelo corpo que quebram as pedras em pedaços menores. Ele é usado para casos simples de pedras nos rins.
    • Remoção cirúrgica: nesse procedimento, o médico insere pequenos instrumentos no corpo do paciente por meio de uma incisão nas costas. Muitos cirurgiões só recomendam essa alternativa quando a LEOC e outros tratamentos não surtem efeito. Ele também serve para casos de pedras grandes.
    • Remoção por ureteroscópio: nesta técnica, o médico passa uma pequena câmera pela uretra e pela bexiga até o ureter (tubo que conecta os rins à bexiga). Quando encontra as pedras, ele insere uma segunda ferramenta no ureter para quebrá-las ou puxá-las.

    Publicidade

  1. 1 Hidrate-se bem. Beba muita água e vários fluidos transparentes ao longo do dia para produzir bastante urina e, assim, eliminar os cristais que acabam acumulando nos rins e formando as pedras. No geral, o ideal é ingerir de 3 a 4 L desses fluidos diariamente.
    • Consulte o médico se você não sabe se está tomando um volume adequado de água. Ele vai fazer exames que determinem se a sua urina está adequada.
  2. 2 Pare de consumir alimentos ricos em oxalato. Alimentos com oxalato podem contribuir com a formação de certos tipos de pedras nos rins, como as de oxalato de cálcio. Evite os seguintes produtos:
    • Ruibarbo.
    • Beterraba.
    • Espinafre.
    • Acelga.
    • Batata-doce.
    • Chocolate.
    • Chá.
    • Pimenta do reino.
    • Soja.
    • Nozes.
  3. 3 Evite sal e proteínas animais. Se você tem um histórico de pedras nos rins, o melhor a fazer é adaptar a sua alimentação para reduzir o teor de sódio e o volume de carne. Esses dois produtos causam acúmulos de substâncias na urina — que, por sua vez, podem levar à formação das pedras.
    • Limite a ingestão de sódio a 2. 300 mg por dia. Dependendo do seu histórico, o médico pode recomendar reduzir ainda mais essa ingestão, chegando a 1. 500 mg por dia.
    • Limite o consumo de carne a um pedaço médio por dia.
  4. 4 Consuma alimentos ricos em cálcio. O excesso de cálcio na urina pode levar à formação das pedras nos rins, mas ainda é importante ingerir um pouco desse nutriente. Portanto, opte por alimentos que o contenham naturalmente e tente não recorrer a suplemento e afins.
    • Veja alguns exemplos de alimentos ricos em cálcio: vegetais (como couve-galega, brócolis e couve-de-folhas), laticínios (leite, iogurte e queijo) e certos tipos de frutos do mar (peixe enlatado com ossos).
    • O corpo tem mais facilidade para absorver o cálcio quando ele é combinado à vitamina D. Sendo assim, opte por alimentos e bebidas fortificados com ambos os nutrientes (alguns sucos, laticínios etc.
    • Converse com o médico se você não sabe o teor ideal de cálcio por dia. Ele pode fazer recomendações de acordo com fatores como idade, sexo e estado geral de saúde.
  5. 5 Tome suplementos de citrato de magnésio e potássio. Esses suplementos ajudam a reduzir o acúmulo de substâncias na urina que causam a formação de pedras nos rins. Pergunte ao médico se ele recomenda algo do tipo para o seu caso.
    • Fale com a médico para saber qual é a dosagem ideal de suplementos. No geral, urologistas recomendam um total de 1. 600 mg de citrato de potássio e 500 mg de citrato de magnésio por dia.
  6. 6 Converse com o médico antes de tomar qualquer suplemento. Alguns suplementos contribuem com a formação de pedras nos rins, como no caso de altas doses de vitaminas C e D. Portanto, fale com o médico se você pretende tomar algo do tipo para não piorar ainda mais a situação.
    • Se o médico aprovar determinado suplemento, pergunte a ele qual é o volume ideal para não exagerar e acabar piorando a situação.
  7. 7 Incorpore antioxidantes à sua alimentação. Para isso, coma frutas e vegetais de cores variadas no dia a dia. Os antioxidantes ajudam a reduzir o disco de pedras nos rins, já que controlam o teor de oxalato de cálcio na urina.
    • Bons exemplos de produtos ricos em antioxidantes: bagas, maçã, frutas cítricas, alcachofra, couve-de-folhas, pimentão e sucos de frutas (como de romã).
    • Evite produtos que também sejam ricos em oxalatos, como batata-doce e nozes.
    • Se necessário, faça uma pesquisa na internet para descobrir quais alimentos e bebidas são ideais.
  8. 8 Troque a posição de dormir. Dormir na mesma posição o tempo todo pode contribuir com a formação de pedras nos rins, ainda mais para quem dorme de lado — já que as pedras se formam nessa região. Portanto, varie um pouco para evitar “vícios” e que o problema fique mais grave.
    • Se você acredita que está prestes a eliminar as pedras dos seus rins, durma virado para o lado em que elas ficam. Depois da eliminação, vire para o outro lado.
  9. 9 Perca ou controle melhor o seu peso. É muito mais fácil evitar pedras nos rins quando se controla o peso. Se você tem dificuldade com isso, consulte o médico ou um nutricionista em busca de formas de emagrecer com saúde.
    • A formação de pedras nos rins está associada à resistência à insulina. Sendo assim, pessoas gordas ou obesas podem perder peso para que o corpo metabolize melhor o hormônio.
  10. 10 Pergunte ao médico sobre medicamentos que evitem as pedras nos rins. Dependendo do tipo de pedras nos rins que você desenvolver, o médico pode receitar algo específico que evite novos casos. Veja alguns exemplos:
    • Medicamentos que contêm tiazida ou fosfato, que evitam a formação de pedras de cálcio.
    • Alopurinol, que evita a formação de pedras de ácido úrico.
    • Antibióticos, que evitam a formação de pedras de estruvita.

    Publicidade

Que chá é bom para limpar os rins?

Crise de Cólica Renal – O que fazer para aliviar a dor? Beber água ajuda?

Chá de quebra-pedra – O chá de quebra-pedra possui propriedades que ajudam a desobstruir os canais renais facilitando a eliminação das pedras nos rins. Além disso, esta planta medicinal ajuda também a eliminar o excesso de ácido úrico e a diminuir o inchaço, pois tem propriedades diuréticas. Ingredientes

  • 1 colher (de sopa) de folhas de  quebra-pedra
  • 1 litro de água

Modo de preparo Colocar os ingredientes numa panela e levar ao fogo, para ferver por cerca de 5 a 10 minutos. Apagar o fogo, esperar amornar, coar e beber ao longo do dia.

Qual o melhor analgésico para cólica renal?

Quais remédios para cólica renal são mais comuns? – O sofrimento pelo qual o paciente é submetido em uma crise de cólica renal pode ser descrito como uma dor cuja intensidade é uma das maiores já sentidas pelo ser humano, seja porque de fato ela é extremamente aguda ou, ainda, por não haver uma posição na qual se observa uma regressão da dor. Saiba mais:

  1. Analgésicos: podem auxiliar com a redução da dor. Os mais comuns são a Dipirona ou o Paracetamol;
  2. Anti-inflamatórios: quando não tratado corretamente, o cálculo renal pode provocar danos ao tecido, causando uma inflamação da região acompanhado da intensificação da dor. Por isso, pode ser recomendado o uso de anti-inflamatórios como o Ibuprofeno;
  3. Antiespasmódicos: com a obstrução do fluxo de urina, é comum que os órgãos do sistema urinário provoquem espasmos musculares — que nada mais é do que contrações involuntárias. Para minimizar esse tipo de desconforto , o uso do Buscopan pode ser bastante indicado.

Como vimos, as crises de cólicas renais podem ser extremamente dolorosas. Sendo assim, quando os remédios para cólica renal não gerarem um alívio ou, mediante o sinal de agravamento do problema, é recomendável dirigir-se imediatamente para o serviço de atendimento médico de emergência. Se gostou dessas informações, o que acha de agendar agora mesmo sua consulta? Assim, você se previne de tais problemas e ainda pode receber a orientação adequada para seguir o melhor tratamento.

Não havendo outra maneira de garantir alívio, o paciente é normalmente enviado para um serviço de atendimento médico, a fim de tratar a causa do problema de maneira mais intensiva. Porém, algumas abordagens terapêuticas (com o uso de remédios para cólica renal ) para que o doente sinta-se mais confortável passa diretamente pelo uso de medicamentos com propriedade analgésica, anti-inflamatória e antiespasmódica.

Agende sua avaliação com um urologista da sua confiança!.

Qual a fruta que faz mal para os rins?

O Que Melhora Dor Nos Rins A alimentação é um fator muito importante na manutenção da saúde renal. De acordo com a médica Ângela Santos, nefrologista da Uninefron, isso ocorre porque determinados alimentos podem influenciar de forma benéfica, e outros não, o funcionamento dos rins. “A ingesta de alguns produtos ajuda na preservação das funções renais, enquanto outros colaboram para o surgimento de problemas como a doença renal crônica, por exemplo.

  1. É preciso ficar atento na hora das refeições”, alerta a especialista;
  2. Ângela Santos explica ainda que é fundamental conhecer os alimentos que estão sendo ingeridos para saber se são benéficos ou prejudiciais aos rins;

“A maior parte da população desconhece a importância de rins saudáveis para a funcionalidade de todos os órgãos e, quando se fala em nutrição saudável para a prevenção de doenças, as patologias mais lembradas são hipertensão e diabetes. O que muita gente não sabe é que essas doenças crônicas podem evoluir e serem prejudiciais aos rins”, garante.

Para ajudar a esclarecer o que é mito e verdade sobre alimentos que influenciam diretamente a função renal, a médica Ângela Santos nos ajudou a separar algumas situações cotidianas que podem indicar ou agravar problemas renais: Tomar leite ajuda a formar cálculo renal? MITO – Os cálculos renais são formados prevalentemente por cálcio, por isso há a ideia incorreta de que o leite e seus derivados devem ser excluídos da dieta.

O leite é um importante alimento e seu consumo diário pode até inibir a formação das pedras, por reduzir a absorção do oxalato no intestino, sendo então liberado como oxalato de cálcio. Vale lembrar também que a falta do alimento pode causar osteoporose e outros prejuízos para a funcionalidade renal.

Todas as frutas podem ser consumidas sem restrições? MITO – Algumas frutas podem, sim, ser benéficas para o trato renal, como a laranja e o limão, que são ricos em ácido cítrico, e atuam como agentes preventivos na formação de cálculos renais.

No entanto, outras frutas podem ser prejudiciais aos rins, como a carambola, que possui a enzima caramboxina, que não é filtrada pelos rins e pode atingir o cérebro, causando confusão mental, vômitos e convulsões. É preciso ponderar o uso de cada fruta e consumir somente quantidades moderadas de cada uma.

Que frutas são essas, que precisamos comer com maior moderação? ATENÇÃO – Não só frutas, mas outros alimentos devem ser consumidos com moderação. Um exemplo são os produtos ricos em potássio, que pode ser danoso para pacientes renais crônicos.

Geralmente eles são encontrados na banana, abacate, mamão, melão e uvas, além de grãos como feijão, ervilha e grão de bico, frutas secas e oleaginosas, chocolates e cafés. Portanto, esses itens também devem ser ingeridos com cautela por esses pacientes.

Sal em excesso pode causar pedra nos rins? VERDADE – Quando consumido em excesso, o sal contribui para uma maior eliminação de cálcio do organismo, podendo gerar uma supersaturação da substância nos rins, o que pode levar à formação das pedras.

O sódio contido no sal também pode afetar a pressão arterial, prejudicando os vasos sanguíneos dos rins e, consequentemente, suas funções. Pacientes renais crônicos podem ingerir água à vontade? MITO – O consumo exagerado de líquidos por parte de pacientes renais crônicos pode, muitas vezes, causar aumento da pressão arterial, edemas no corpo e em casos graves congestão pulmonar, podendo causar dificuldade respiratória.

Por isso, é preciso consumir um volume correto, indicado por um médico nefrologista. Um copo ou uma taça de bebida alcoólica pode fazer mal aos rins? DEPENDE – Estudos mostraram que a prevalência de patologias renais, como a doença renal crônica, pode ser menor em pacientes que consomem uma taça pequena de vinho por dia.

No entanto, o consumo exagerado do álcool provoca o efeito contrário: em excesso, bebidas alcoólicas podem causar hipertensão, doença que causa ou agrava cenários de problemas renais. Por isso, o consumo deve ser evitado ou moderado, sempre evitando exageros.

A ingesta de álcool sem moderação também pode causar prejuízo ao fígado, coração e outros órgãos do corpo. Alimentos ultraprocessados prejudicam diretamente os rins? VERDADE – Alimentos como presunto, mortadelas, bacon, salsichas, queijos amarelos, margarinas e manteigas, enlatados e peixes salgados, como sardinha e atum em conserva, são ricos em sódio, substância já citada anteriormente pela capacidade prejudicial aos rins.

Portanto, esses produtos devem ser consumidos com moderação, com atenção individual ao quadro clínico apresentado.

Como limpar fígado e rins em apenas 3 dias?

Quem tem pedra nos rins pode tomar café?

Qual a relação do café com as doenças renais? – A cafeína exerce uma função diurética bastante acentuada no organismo humano. Dessa forma, os rins passam a funcionar mais frequentemente, ou seja, a produção de urina é maior, tendo como consequência uma constante eliminação de substâncias tóxicas.

Nesse sentido, o café é uma bebida inofensiva e até recomendável de ser consumida moderadamente — para quem possui todas as funções renais em perfeito funcionamento. Por outro lado, o café faz mal para os rins se consumido por pessoas que apresentam qualquer tipo problema renal.

Isso acontece porque a bebida é rica em oxalatos, substância que facilita o depósito de cristais e eleva os riscos de se desenvolver cálculo renal. Conclui-se que o café faz mal para os rins quando consumido em excesso ou ingerido por pessoas com histórico de doenças renais.

A bebida, no entanto, não possui efeitos nocivos ao ser consumido em doses moderadas. De acordo com pesquisas recentes, a cafeína pode ser forte aliada no combate a doenças como o mal de Parkinson, diabetes e até mesmo o câncer.

Gostou do nosso conteúdo? Então, aproveite a visita para entender também o que é e como tratar a doença renal crônica. Até a próxima! Participe Gratuitamente do Grupo no Telegram do Dr. Carlos Eiji Koga.

Como cuidar dos rins de forma natural?

O que e bom para limpar os rins e fígado?

0
Adblock
detector