O Que São Pronomes De Tratamento?

O Que São Pronomes De Tratamento
O que são pronomes de tratamento? – Os pronomes de tratamento são axiónimos, isto é, nomes que constituem formas polidas e corteses de tratamento, expressões de reverência, títulos honoríficos, etc. São empregues da mesma forma que os pronomes pessoais, todavia, são utilizados em circunstâncias formais específicas, antecedendo determinadas palavras que designam cargos ou posições sociais de prestígio, como referido.

Os pronomes de tratamento são, via de regra, conjugados na 3.ª pessoa, mas comummente identificam-se mais com a 2.ª pessoa, visto referirem-se à pessoa com quem se fala. Um exemplo disso é o pronome “você”, que substitui o pronome “tu” em algumas regiões que têm como língua oficial a língua portuguesa (lembrando que esta forma não é muito usual em Portugal, embora se esteja a generalizar por influência brasileira).

Esta substituição tornou os pronomes “tu” e “vós” formas obsoletas de tratamento, visto serem cada vez menos empregues tanto na fala quanto na escrita. Assim, alguns estudiosos menos ortodoxos já incluem o pronome “você” entre os pronomes pessoais. Outro assunto que ainda não é consensual entre os gramáticos é a utilização de iniciais maiúsculas ou minúsculas nos pronomes de tratamento.

Alguns estudiosos sugerem que estes sejam grafados com letras minúsculas nos pronomes mais usuais ou comuns (senhor, senhora, doutor, dona, dom, senhorita, professor, você) e com letras maiúsculas os pronomes de tratamento menos usuais e mais formais (Vossa Senhoria, Vossa Excelência, Vossa Santidade, etc.).

Entretanto, quando o assunto é abreviação dos pronomes de tratamento, emprega-se apenas iniciais maiúsculas, e nunca minúsculas. Em seguida, exemplificamos alguns principais pronomes de tratamento, bem como as principais circunstâncias em que são utilizados.

O que é um pronome tratamento?

Os pronomes de tratamento são considerados, por grande parte dos gramáticos e linguistas, um caso específico de pronomes pessoais, Pela nossa cultura, levamos em conta o contexto e o tipo de relação que temos com a pessoa a quem nos direcionamos ou que citamos em nosso enunciado.

Quem são os pronomes de tratamento?

Exemplos de pronomes de tratamento : você, senhor ou senhora, vossa senhoria, vossa excelência, vossa magnificência, vossa santidade, vossa reverendíssima, entre outros.

O que são pronomes de tratamento de exemplos?

O que são Pronomes de tratamento: – Pronomes de tratamento são utilizados como alternativas aos pronomes pessoais em linguagens mais técnicas e formais, Também conhecidos por axiônimos, os pronomes de tratamento costumam ser empregados em comunicações formais, mas também podem ser utilizados em conversas informais, com menor frequência.

  • Apesar de utilizados para indicarem o interlocutor (ou seja, a segunda pessoa), os pronomes de tratamento devem ser conjugados com verbos na terceira pessoa.
  • Por exemplo: “Você pode me emprestar o seu celular?” (correto) / “Você pode me emprestar o teu celular?” (errado).
  • Em muitas regiões do Brasil, o “você” (abreviação de Vossa Mercê) é utilizado como pronome pessoal, em substituição ao “tu”.

No entanto, gramaticalmente o “você” deve ser classificado como um pronome de tratamento, e a sua conjugação deve ser feita a partir da 3º pessoa.

Quantos são os pronomes de tratamento?

Pronomes de Tratamento

Vossa Alteza V.A. príncipes, duques
Vossa Majestade Imperial V.M.I. Imperadores
Vossa Santidade V.S. Papa
Vossa Senhoria V.S.ª (s) tratamento cerimonioso
Vossa Onipotência V.O. Deus

Quais são os tipos de formas de tratamento?

Atualizado em 16/07/2013, às 13h08 Normalmente, não nos dirigimos a uma pessoa mais velha, que você não conheça, utilizando “você”. Tampouco se fala com uma criança com o pronome “senhor”. São as escolhas de “pronomes de tratamento” que fazemos ao falar ou escrever a alguém.

Você é muito inteligente.
Pessoa com quem se fala – 2ª pessoa (= tu) Verbo na 3ª pessoa (= ele é)

Ou seja, gramaticalmente, é incorreto dizer “tu é” assim como “você és”, mesmo que em certos lugares do Brasil já seja comum usar-se o “tu” com o verbo na 3ª pessoa. Os pronomes de tratamento podem ser informais, como o “você”, mas podem ser bastante formais, como é o caso dos pronomes de reverência,

Pronome Abreviaturas – Singular Abreviaturas – Plural Emprego
você v. tratamento informal
o(s) senhor(es), a(s) senhora(s) sr. sra. srs. sras. tratamento formal ou cerimonioso
Vossa Alteza V.A. VV.AA. príncipes, princesas, duques
Vossa Eminência V. Em.a V.Em.as cardeais
Vossa Excelência V.Ex.a V.Ex.as altas autoridades
Vossa Magnificência V.Mag.a V.Mag.as reitores de universidades
Vossa Majestade V.M. VV.MM. reis, imperadores
Vossa Reverendíssima V.Rev.ma V.Rev.mas sacerdotes
Vossa Senhoria V.S.a V.S.as autoridades, tratamento respeitoso, correspondência comercial
Vossa Santidade V.S. Papa, Dalai Lama
You might be interested:  Benefícios Para Quem Tem Doença Auto-Imune?

Há mais dois pontos a esclarecer acerca dos pronomes de tratamento: 1. Ao se dirigir respeitosamente a uma autoridade, você usa o “Vossa”. Ex.: Vossa Excelência foi muito útil na resolução do problema.Ao se dirigir a outra pessoa, referindo-se àquela mesma autoridade, você usa o “Sua”.

Quais são os pronome?

1. Pronome pessoal

Pessoas Verbais Pronomes do Caso Reto Pronomes do Caso Oblíquo
1ª pessoa do singular eu me, mim, comigo
2ª pessoa do singular tu te, ti, contigo
3ª pessoa do singular ele, ela o, a, lhe, se, si, consigo
1ª pessoa do plural nós nos, conosco

Como usar os pronomes de tratamento?

Regras – 1) Embora estejamos a nos dirigir à 2.ª pessoa, a concordância verbal deve ser feita mediante a utilização do verbo na 3.ª pessoa. Exemplos:

  • Você precisa de ajuda?
  • Agradeço que Vossa Senhoria analise o assunto assim que possível.

2) O possessivo “Vossa” de alguns pronomes de tratamento deve ser substituído pelo “Sua” quando o pronome de tratamento se refere não à pessoa com que se fala (2.ª pessoa), mas de quem se fala (3.ª pessoa). Exemplos:

  • Vossa Magnificência gostaria de assinar os diplomas agora?
  • Sua Magnificência gostaria de assinar os diplomas agora. Dê-me a pasta, por favor.

Quantos tipos de pronomes existe?

Na língua portuguesa existem dez classes gramaticais, também chamadas de classes morfológicas ou, ainda, classes de palavras. São elas: substantivo, artigo, adjetivo, pronome, numeral, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição. Destas, seis são variáveis, ou seja, sofrem flexão quanto ao gênero, número e grau.

É o caso do pronome, o foco deste texto. O pronome é a palavra que substitui ou acompanha um substantivo (nome), definindo-lhe os limites de significação, Existem vários tipos de pronomes: pessoais, possessivos, demonstrativos, interrogativos, relativos e indefinidos. Além dessa classificação principal, os pronomes também podem ser classificados em adjetivos e substantivos.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Classificação dos pronomes ♦ Pronomes pessoais : subdividem-se em pronomes pessoais do caso reto, pronomes pessoais oblíquos e pronomes pessoais de tratamento; ♦ Pronomes possessivos : indicam relação de posse, algo que pertence a uma das pessoas do discurso.

  1. São eles: meu, minha, meus, minhas, teu, tua, teus, tuas, seu, sua, seus, suas, nosso, nossa, nossos, nossas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu, sua, seus, suas; Não pare agora.
  2. Tem mais depois da publicidade 😉 ♦ Pronomes demonstrativos : indicam posicionamento, o lugar de um ser em relação a uma das três pessoas gramaticais.

São eles: este, esta, estes, estas, isto, esse, essa, esses, essas, isso, aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo. Palavras que podem atuar como pronomes demonstrativos: o, a, os, as, mesmo, mesma, mesmos, mesmas, próprio, própria, próprios, próprias, tal, tais, semelhante, semelhantes; ♦ Pronomes interrogativos : são utilizados para interrogar, isto é, para formular perguntas de modo direto ou indireto.

  1. São eles: que, quem, qual, quais, quanto, quanta, quantos, quantas; ♦ Pronomes relativos : são empregados para retomar um substantivo (ou um pronome) anterior a eles, substituindo-o no início da oração seguinte.
  2. São eles: que, quem, onde, o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas; ♦ Pronomes indefinidos : são aqueles que se referem de modo indeterminado, vago, à terceira pessoa gramatical.

São eles: alguém, ninguém, outrem, tudo, nada, cada, algo, algum, algumas, nenhuns, nenhuma, todo, todos, outra, outras, muito, muita, pouco, poucos, certo, certa, vários, várias, tanto, tantos, quanta, quantas, qualquer, quaisquer, bastante, bastantes.

♦ Pronomes adjetivos : sua função é acompanhar os substantivos, fazendo o papel de um adjetivo ao determinar e modificar o substantivo; ♦ Pronomes substantivos : são utilizados para substituir o substantivo em uma oração. É importante ressaltar a importância dos pronomes para o processo de construção da coesão em um texto.

Por meio da coesão é estabelecida a relação semântica (relações de sentido entre as palavras) entre os elementos do discurso, desde que os conectivos, entre eles os pronomes, sejam empregados de maneira correta, o que possibilitará o encadeamento lógico das ideias do texto.

Qual o pronome de tratamento a um amigo?

Resumo – Neste estudo, temos o objetivo de verificar, a partir dos testes de percepção e produção linguística qual é o pronome de segunda pessoa que os florianopolitanos afirmam usar para se dirigirem aos seus pares nas relações simétricas, ou seja, na interação com amigos, amigas, irmãos, irmãs etc,

Nosso aparato teórico e metodológico baseia-se nos pressupostos da Teoria da Variação e Mudança Linguística (WEINREICH, LABOV E HERZOG, 1968; LABOV, 1972, 1994). A amostra utilizada neste trabalho compreende testes de percepção e de produção realizados na cidade de Florianópolis-SC. Os resultados apontam que, nas relações de simetria, os informantes garantem usar majoritariamente o tu, seguido por um baixo percentual de você e também por um baixo percentual de uso alternado das duas formas ( tu e você ).

Esses resultados corroboram outras pesquisas com dados empíricos realizados em Florianópolis.

You might be interested:  O Que É Doença Sistemica?

Quais são os pronomes de tratamento usados para os homens?

Uso dos pronomes de tratamento – Você (v.) – Usado em tratamentos informais, íntimos e familiares. Este pronome, em algumas regiões do Brasil, é substituído pelo pronome pessoal reto tu. Senhor, senhora, senhorita (Sr., Sr.ª, Srta.) – Usados em tratamentos formais e respeitosos, quando existe um maior distanciamento entre os locutores.

  • Senhor é utilizado quando o tratamento se dirige a homens, senhora é utilizado quando o tratamento se dirige a mulheres casadas e senhorita é utilizado quando o tratamento se dirige a mulheres solteiras.
  • Vossa Senhoria (V.S.ª) – Usado em tratamento formal a pessoas com grande prestígio, como vereadores, chefes, secretários e diretores de autarquias.

Este pronome é também utilizado em textos escritos oficiais, como correspondência comercial, ofícios e requerimentos. Vossa Excelência (V. Ex.ª) – Usado em tratamento formal a pessoas com alta autoridade, como o Presidente da República, ministros, senadores, deputados, embaixadores, juízes, etc., tanto do poder executivo, como do poder legislativo e do poder judiciário.

No caso do Presidente da República, não deverá ser utilizada a forma abreviada do pronome de tratamento. Vossa mercê (V.M.cê) – Antiga forma de tratamento usada em tratamento formal. Originou o você. Vossa Eminência (V. Em.ª) – Usado em tratamento formal a cardeais, que são eclesiásticos do Sacro Colégio pontifício e participam no conclave para a eleição de um novo Papa.

Vossa Magnificência (V. Mag.ª) – Usado em tratamento formal a reitores de Universidades. Vossa Alteza (V. A) – Usado em tratamento formal a príncipes, princesas, duques e duquesas. Vossa Majestade (V.M.) – Usado em tratamento formal a reis e rainhas. Vossa Majestade Imperial (V.M.I.) – Usado em tratamento formal a imperadores.

  • Vossa Santidade (V.S.) – Usado em tratamento formal ao Papa.
  • Este pronome de tratamento é também utilizado por ocidentais em tratamentos cerimoniosos e respeitosos ao Dalai Lama, embora não seja utilizado pelos tibetanos.
  • Vossa Paternidade (V.P.) – Usado em tratamento formal a superiores de ordens religiosas.

Vossa Reverendíssima (V. Rev.mª) – Usado em tratamento formal a padres, sacerdotes, bispos e religiosos em geral. Vossa Onipotência – Usado em tratamento formal a Deus. Não se utiliza a forma abreviada.

Qual e o seu pronome?

O pronome é uma classe gramatical variável, ou seja, flexiona-se em gênero e número. Ele tem a função de relacionar o substantivo a uma das três pessoas do discurso (quem fala, com quem se fala e de quem se fala), podendo ainda indicar a posse de um objeto ou sua localização.

Quando substituem o substantivo, denominam-se pronome substantivo; quando o acompanham, pronome adjetivo. Os pronomes classificam-se em: pessoais, possessivos, demonstrativos, interrogativos, indefinidos e relativos. Acompanhe a seguir as características de cada pronome: 1. Pronomes pessoais Os pronomes pessoais indicam as pessoas gramaticais, também chamadas de pessoas do discurso (Eu, tu, ele, nós, vós, eles).

Eles podem pertencer ao caso reto e ao caso oblíquo. Para cada pronome reto, há um correspondente no caso oblíquo. Veja a explicação! Eu →Me, mim, comigo. Tu → Te, ti, contigo. Ele → Se, o, a, lhe, si, consigo. Nós→ Nos, conosco. Vós →Vos, convosco. Eles →Se, os, as, lhes, si, consigo.

Os pronomes do caso reto exercem a função sintática de sujeito, enquanto os do caso oblíquo, de complemento. Por isso, construções como: “Você trouxe para mim comer?” ou “Isso é para mim fazer” são equivocadas, pois, nos dois exemplos, o pronome oblíquo está exercendo uma função que não lhe pertence, a de sujeito.

Portanto, para os enunciados ficarem gramaticalmente corretos, devem ser construídos assim: “Você trouxe para eu comer?” e “Isso é para eu fazer”. Veja a seguir os pronomes retos e oblíquos exercendo suas funções gramaticais: I. Lorenzo saiu de férias.

Atenção : Os pronomes substantivos exercem as mesmas funções sintáticas do substantivo, e os pronomes adjetivos, as mesmas do adjetivo. É importante atentar para esse detalhe!

2. Pronomes de tratamento Os pronomes de tratamento indicam uma forma indireta de nos dirigirmos aos nossos interlocutores (parceiros na comunicação). Esses pronomes são divididos por grau de formalidade, portanto, para cada contexto, há um pronome de tratamento a ser utilizado.

Embora indiquem interlocução (conversa), o que indicaria o uso da segunda pessoa do discurso (tu), com os pronomes de tratamento, os verbos devem ser usados na terceira pessoa. Veja os exemplos: I. Vossa Excelência está atrasada para a sessão. (Ministra) II. Vossa Alteza está muito elegante. (Princesa) III.

O senhor já sabe quando chegará o ofício? (Pessoas mais velhas ou a quem se deve respeito) IV. Você não aprende mesmo! (Indica tratamento informal).3. Pronome possessivo Os pronomes possessivos estabelecem a ideia de posse entre o objeto e as três pessoas do discurso.

You might be interested:  O Que É Doença Pré Existente?

Qual a diferença entre sua e vossa?

3) Quando se fala diretamente à pessoa tratada (pessoa com quem se fala), usa-se Vossa. Ex.: ‘ Vossa Excelência, senhor Deputado, é muito corajoso’ (fala-se com a autoridade).4) Quando se faz referência à pessoa tratada, mas se conversa com outrem (pessoa de quem se fala), emprega-se Sua.

Como usar os pronomes de tratamento?

Vossa Excelência x Sua Excelência – Quando falamos com a autoridade, utilizamos vossa, ex: Gostaria de cumprimentar Vossa Excelência pelo belo discurso aqui proferido (está falando com a pessoa). Quando falamos a respeito da autoridade, utilizamos sua.

ex: Nas investigações, perceberam que Sua Excelência, o Ministro da Justiça, agiu de forma inadequada (está-se falando a respeito do Ministro e não diretamente com ele). ATENÇÃO Os pronomes de tratamento devem sempre ser acompanhados por verbos na 3ª pessoa do singular. ex: Vossa Santidade celebrou a missa na noite de Natal.

* Quer aprofundar seus conhecimentos na língua portuguesa? Então, continue seus estudos com a Gramática On-line do Clube do Português,

Qual o pronome de tratamento a um amigo?

Resumo – Neste estudo, temos o objetivo de verificar, a partir dos testes de percepção e produção linguística qual é o pronome de segunda pessoa que os florianopolitanos afirmam usar para se dirigirem aos seus pares nas relações simétricas, ou seja, na interação com amigos, amigas, irmãos, irmãs etc,

Nosso aparato teórico e metodológico baseia-se nos pressupostos da Teoria da Variação e Mudança Linguística (WEINREICH, LABOV E HERZOG, 1968; LABOV, 1972, 1994). A amostra utilizada neste trabalho compreende testes de percepção e de produção realizados na cidade de Florianópolis-SC. Os resultados apontam que, nas relações de simetria, os informantes garantem usar majoritariamente o tu, seguido por um baixo percentual de você e também por um baixo percentual de uso alternado das duas formas ( tu e você ).

Esses resultados corroboram outras pesquisas com dados empíricos realizados em Florianópolis.

O que e que tipo de pronome?

Na língua portuguesa existem dez classes gramaticais, também chamadas de classes morfológicas ou, ainda, classes de palavras. São elas: substantivo, artigo, adjetivo, pronome, numeral, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição. Destas, seis são variáveis, ou seja, sofrem flexão quanto ao gênero, número e grau.

  • É o caso do pronome, o foco deste texto.
  • O pronome é a palavra que substitui ou acompanha um substantivo (nome), definindo-lhe os limites de significação,
  • Existem vários tipos de pronomes: pessoais, possessivos, demonstrativos, interrogativos, relativos e indefinidos.
  • Além dessa classificação principal, os pronomes também podem ser classificados em adjetivos e substantivos.

Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 Classificação dos pronomes ♦ Pronomes pessoais : subdividem-se em pronomes pessoais do caso reto, pronomes pessoais oblíquos e pronomes pessoais de tratamento; ♦ Pronomes possessivos : indicam relação de posse, algo que pertence a uma das pessoas do discurso.

São eles: meu, minha, meus, minhas, teu, tua, teus, tuas, seu, sua, seus, suas, nosso, nossa, nossos, nossas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu, sua, seus, suas; Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉 ♦ Pronomes demonstrativos : indicam posicionamento, o lugar de um ser em relação a uma das três pessoas gramaticais.

São eles: este, esta, estes, estas, isto, esse, essa, esses, essas, isso, aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo. Palavras que podem atuar como pronomes demonstrativos: o, a, os, as, mesmo, mesma, mesmos, mesmas, próprio, própria, próprios, próprias, tal, tais, semelhante, semelhantes; ♦ Pronomes interrogativos : são utilizados para interrogar, isto é, para formular perguntas de modo direto ou indireto.

  1. São eles: que, quem, qual, quais, quanto, quanta, quantos, quantas; ♦ Pronomes relativos : são empregados para retomar um substantivo (ou um pronome) anterior a eles, substituindo-o no início da oração seguinte.
  2. São eles: que, quem, onde, o qual, a qual, os quais, as quais, cujo, cuja, cujos, cujas, quanto, quanta, quantos, quantas; ♦ Pronomes indefinidos : são aqueles que se referem de modo indeterminado, vago, à terceira pessoa gramatical.

São eles: alguém, ninguém, outrem, tudo, nada, cada, algo, algum, algumas, nenhuns, nenhuma, todo, todos, outra, outras, muito, muita, pouco, poucos, certo, certa, vários, várias, tanto, tantos, quanta, quantas, qualquer, quaisquer, bastante, bastantes.

♦ Pronomes adjetivos : sua função é acompanhar os substantivos, fazendo o papel de um adjetivo ao determinar e modificar o substantivo; ♦ Pronomes substantivos : são utilizados para substituir o substantivo em uma oração. É importante ressaltar a importância dos pronomes para o processo de construção da coesão em um texto.

Por meio da coesão é estabelecida a relação semântica (relações de sentido entre as palavras) entre os elementos do discurso, desde que os conectivos, entre eles os pronomes, sejam empregados de maneira correta, o que possibilitará o encadeamento lógico das ideias do texto.

0
Adblock
detector