Dor Nos Rins Qual Medico Procurar?

Dor Nos Rins Qual Medico Procurar
Quando consultar um especialista em Urologia ou Nefrologia? – Sempre que você sentir alguma alteração na micção, mudança na cor da urina, dor ao urinar, aumento da frequência de idas ao banheiro ou algum problema no funcionamento dos rins, é indicado procurar um nefrologista.

Ele será o responsável por entender a origem do problema e indicar o tratamento mais adequado para solucioná-lo. Geralmente, ao detectar uma alteração nos exames de urina, é recomendado também procurar um nefrologista.

Além disso, se você tem histórico familiar de doença renal crônica, é importante ter o acompanhamento desse profissional, fazendo consultas frequentes e check-ups médicos. Em caso de cálculo renal, mais conhecido como pedra nos rins, pode ser indicada a intervenção cirúrgica, dependendo do tamanho da pedra.

Qual médico trata de dor nos rins?

Qual é a principal diferença entre o urologista e o nefrologista? –

O urologista é o médico que passou pela residência em cirurgia e teve uma especialização em urologia, ou seja, ele tornou-se um cirurgião urológico. Dessa forma, ele irá examinar as doenças que acometem os rins e que precisam de tratamento cirúrgico. Já o nefrologista é um especialista clínico. Esse profissional passou por uma residência médica e teve uma especialização em nefrologia. No geral, ele atende aquelas condições em que a doença renal não tem indicação cirúrgica, mas precisa de um acompanhamento clínico especializado e tratamento medicamentoso.

  1. .

    Qual o exame para saber se tem problema nos rins?

    → Qual Médico Procurar Para Dor nos Rins? O Que Fazer Rápido?

    A maneira mais eficaz para identificar precocemente as doenças renais é por meio de exames de sangue e urina. A dosagem da creatinina sanguínea permite calcular a taxa de filtração sanguínea dos rins. Já o exame simples de urina (urina 1) pode identificar a presença de sangue, proteínas, glicose ou outras substâncias que apontam para uma possível doença renal. Consulte regularmente seu médico e cuide-se! Dor Nos Rins Qual Medico Procurar.

    Como eu sei que estou com dor nos rins?

    Quando procurar um nefrologista ou urologista?

    Basicamente, a diferença entre esses dois especialista é em até que ponto cada um atua. O Nefrologista é um especialista de problemas renais, somente. Além disso, o nefrologista atende casos em que o paciente pode ser tratado somente com medicamentos. O Urologista por sua vez, atende pacientes com outros tipos de problemas, não somente os renais.

    Porém, abordando os problemas renais, o Urologista trata casos mais graves, aqueles que precisam de intervenção cirúrgica. Quando procurar o Urologista? O Urologista, não é um médico que cuida só dos órgãos reprodutivos masculinos, como muitos pensam.

    Ele trata os órgãos do trato urinário – rins, bexiga, ureteres, uretra, próstata e genitália masculina. Homens e mulheres devem passar com esse especialista sempre que precisarem. No caso dos homens é recomendado no mínimo uma consulta por ano, especialmente depois dos 40 anos, para a prevenção do câncer de próstata.

    1. As mulheres devem procurar esse especialista para analisar problemas como incontinência e infecção urinária, o acompanhamento desse médico pode ser essencial em avaliar riscos de câncer nessa região;
    2. Quando procurar um nefrologista? O Nefrologista deve ser procurado quando o problema é especifico do rim – insuficiência renal, cistos, infecção de urina constante;

    Além disso, fique atento a edemas, inchaços, urina com sangue, mais de um calculo renal ou infecção de urina. Consulte um Urologista O Urologista, muitas vezes trabalha junto com o Nefrologista, para garantir que o problema do paciente seja bem tratado.

    Se você estiver com algum sintoma, ou problema e estiver em duvida de que médico consultar marque sua consulta com um de nossos médicos especialistas e eles irão te orientar sobre qual melhor método a seguir.

    www. urodinamica. com. br Dr. Victor Miyakuchi CRM 135. 681.

    O que o nefrologista faz na primeira consulta?

    Por que agendar uma consulta com nefrologista? – A nefrologia é a especialidade médica que estuda as doenças do sistema urinário, principalmente as que atingem os rins. Esse setor da saúde é bastante importante tendo em vista que esse órgão em específico tem como função regular a pressão sanguínea, controlar o balanço químico e líquidos do corpo, e em especial, eliminar as toxinas do sangue.

    • A consulta com nefrologista é importante para que exista a prevenção, o diagnóstico e o tratamento das doenças que atingem o rim, órgão que possui diversas funções, como por exemplo, eliminar os resíduos tóxicos (ureia e ácido úrico) que são produzidos pelo organismo humano;

    É recomendada que seja feita anualmente após os 40 anos.

    Qual o nome do exame de sangue para os rins?

    Dosagem da creatinina: um exame essencial para avaliar a saúde dos rins.

    Quanto tempo dura a dor nos rins?

    Quanto tempo dura uma crise de pedras nos rins? – A dor ocasionada pelos cálculos renais começa subitamente e geralmente atinge o seu pico em duas horas. A crise, mesmo tratada,  pode ter entre uma e quatro horas de duração, no total. Sem tratamento, alguns casos podem durar mais de 12 horas.

    O que pode causar inflamação nos rins?

    Pergunte a qualquer pessoa que já teve os sintomas da infecção nos rins: a dor é a pior parte de todos os sinais desencadeados pela condição. Você, provavelmente, não vai querer passar pelo mesmo. Por isso, fique alerta para não correr riscos! Os sintomas da infecção nos rins podem ser desencadeados pelo acometimento de apenas um ou ambos os órgãos.

    A dor pélvica e nas costas é intensa. Em determinados casos, provoca até febre. O risco de não dar atenção aos sintomas da infecção nos rins é o de o problema se agravar e danificar um ou os dois rins, permanentemente.

    Isso pode ser evitado, estando atento aos sinais do corpo. A infecção pode ser causada por bactéria, fungos ou vírus. Os micro-organismos chegam aos rins por meio da bexiga. Infecções duradouras do órgão facilitam o acesso deles aos rins. Uma vez alojados, surge a inflamação.

    O urologista pode observar os sintomas da infecção nos rins e diagnosticar o problema por meio do quadro de saúde do paciente ou dos exames clínicos. O teste realizado para identificar a bactéria que provoca a infecção e as formações de células sanguíneas brancas é o de urina.

    O tratamento é feito com antibióticos. Algum medicamento analgésico ou anti-inflamatório também pode ser prescrito para amenizar a dor.

    O que é bom para limpar os rins?

    É possível morrer de pedra no rim?

    Como definir o melhor tratamento para pedras nos rins? – Após a confirmação do diagnóstico, o paciente deve buscar a melhor opção de tratamento para o seu caso. Quando não tratado, os cálculos renais podem migrar para o ureter e causar diversas complicações, como dilatação das vias urinárias, infecções no trato urinário, infecção generalizada através do sangue e, em casos mais graves, até risco de óbito. Dentre eles, podemos citar:

    • tamanho e localização da pedra;
    • gravidade do caso, como riscos de obstrução, infecção ou dor intolerável;
    • grau de dureza da pedra – determinada com a ajuda da tomografia computadorizada;
    • antecedentes do paciente – se já operou para eliminar a pedra ou se eliminou espontaneamente.

    Geralmente, as pedras nos rins com diâmetros que variam entre 1 e 5 mm e não provocam dores intensas podem ser eliminadas pelo organismo de maneira natural por meio do aumento da ingestão de água ou com a ajuda de tratamento medicamentoso. Já o procedimento cirúrgico é indicado para casos mais graves, como veremos a seguir.

    Qual a melhor posição para dormir com dor no rim?

    Baixe em PDF Baixe em PDF Ter pedras nos rins é uma experiência dolorosa e de dar medo, mas felizmente há formas de amenizar um pouco a situação. Se você recebeu esse diagnóstico, o melhor a fazer é marcar consultas regulares com o médico, tomar analgésicos e até recorrer a alguns tratamentos em casa para aliviar os sintomas. Siga à risca as orientações dele e hidrate-se bem para eliminar as pedras.

    1. 1 Peça para o médico determinar se você nunca apresentou sintomas de pedras nos rins antes. É essencial fazer um exame e receber um diagnóstico preciso, principalmente se você não sabe se os sintomas são ou não de pedras nos rins. Assim, o médico vai poder descartar outros possíveis problemas e complicações, além de determinar a melhor forma de tratamento para o quadro.
      • Os principais sintomas de pedras nos rins são: dores (ao urinar, nos lados do corpo, nas costas, no abdômen e na virilha), urina de cor rosada ou marrom, enjoo e vômito, vontade frequente de urinar, febre ou calafrios (quando há uma infecção secundária). Você pode ainda sentir dores súbitas e constantes nas costas — as chamadas cólicas renais.
      • Mesmo que já tenha tido pedras nos rins antes, converse com o médico para tirar as suas dúvidas.
      • Se o médico desconfiar de que você está mesmo com pedras nos rins, ele pode pedir uma amostra de urina para tentar determinar a composição do material.
    2. 2 Busque um tratamento de emergência se você apresentar sintomas muito graves. Às vezes, pedras nos rins causam complicações adicionais que precisam de atendimento médico urgente (como quando há bloqueios ou infecções). Nesse caso, ligue para os serviços de emergência ou vá ao pronto-socorro se você:
      • Não conseguir ficar parado ou confortável em qualquer posição por causa da dor.
      • Ficar enjoado e vomitar, além de sentir dor.
      • Sentir dor acompanhada de febre e calafrios.
      • Urinar sangue ou tiver dificuldade para urinar normalmente.
    3. 3 Tome analgésicos de acordo com as orientações do médico. Se as pedras nos seus rins forem relativamente pequenas, você pode conseguir reduzir a dor com analgésicos de venda livre, como ibuprofeno, paracetamol e naproxeno.
      • Converse com o médico sobre os outros medicamentos que você já esteja tomando no momento ou sobre problemas de saúde que já tem antes de começar o tratamento.
      • Alguns médicos recomendam que os pacientes combinem paracetamol com anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno ou paracetamol, para aliviar ainda mais a dor. Descubra se é o seu caso.
      • Pode ser que o médico receite algo mais potente se a sua dor for muito forte e os medicamentos de venda livre não resolverem a situação.
    4. 4 Movimente-se sempre que possível. Muita gente tem medo de ficar se mexendo quando está com pedras nos rins, mas é importante manter certo nível de atividade. Basta caminhar ou praticar outro exercício mais leve, como fazer alongamentos ou yoga.
      • Pare imediatamente se a dor piorar quando você tentar se mexer. Só continue se sentir melhoras no quadro.
    5. 5 Tome um banho quente. A umidade e o calor podem aliviar um pouco a dor das pedras nos rins. Tome um longo banho, de cerca de 20 minutos, na ducha ou na banheira. A água só não deve estar quente demais a ponto de queimar a sua pele.
      • Você também pode colocar uma compressa térmica na área da dor. Deite-se em cima dessa compressa e coloque uma camada (uma manta, uma toalha ou algo do tipo) entre ela e a sua pele. Use esse acessório três ou quatro vezes por dia, sempre em sessões de 20 a 30 minutos cada.

      Publicidade

    1. 1 Beba muitos fluidos. Você tem que ficar sempre hidratado para conseguir eliminar as pedras nos rins do organismo e cuidar da saúde do trato urinário. O ideal é que a urina saia quase ou completamente transparente.
      • Você também pode ingerir outros fluidos, além da água, mas modere no café, no chá e em bebidas ácidas — que acabam irritando o trato urinário e aumentando ainda mais o desconforto.
      • Suco de maçã e toranja podem causar a formação de pedras nos rins. Se você gosta desse tipo de bebida, opte por outros sabores.
      • Evite tomar álcool e refrigerante, que desidratam o organismo e pioram os sintomas.
    2. 2 Tome alfabloqueadores se o médico recomendar. O médico pode recomendar que você tome alfabloqueadores para relaxar os músculos no trato urinário e facilitar a eliminação das pedras nos rins. Siga à risca as instruções dele para nada dar errado.
      • Os principais alfabloqueadores para o tratamento de pedras nos rins são tansulosina, alfuzosina e doxazosina.
      • Fale com o médico dos outros medicamentos que você já está tomando antes de começar a tomar os alfabloqueadores. Alguns deles geram interações perigosas, como: betabloqueadores, bloqueadores do canal de cálcio e remédios para disfunção erétil.
    3. 3 Durma virado para o lado em que as pedras nos rins estão. Você tem que adotar uma posição na qual as pedras nos rins fiquem viradas para baixo ao máximo à noite para não sentir dor e desconforto e, assim, resolver o problema mais facilmente.
      • Não há consenso quanto à relação entre a posição de dormir e a eliminação de pedras nos rins, mas pode ser que o lado do corpo afetado consiga filtrar melhor a urina.
    4. 4 Faça um tratamento mais agressivo se o médico recomendar. Você pode precisar de outros tipos de tratamento se as pedras nos seus rins estiverem grandes demais ou causando outras complicações, como sangramento ou infecções. Nesse caso, converse com o médico para saber como proceder. Veja alguns exemplos:
      • Litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LEOC): neste tratamento, o equipamento envia ondas sonoras pelo corpo que quebram as pedras em pedaços menores. Ele é usado para casos simples de pedras nos rins.
      • Remoção cirúrgica: nesse procedimento, o médico insere pequenos instrumentos no corpo do paciente por meio de uma incisão nas costas. Muitos cirurgiões só recomendam essa alternativa quando a LEOC e outros tratamentos não surtem efeito. Ele também serve para casos de pedras grandes.
      • Remoção por ureteroscópio: nesta técnica, o médico passa uma pequena câmera pela uretra e pela bexiga até o ureter (tubo que conecta os rins à bexiga). Quando encontra as pedras, ele insere uma segunda ferramenta no ureter para quebrá-las ou puxá-las.

      Publicidade

    1. 1 Hidrate-se bem. Beba muita água e vários fluidos transparentes ao longo do dia para produzir bastante urina e, assim, eliminar os cristais que acabam acumulando nos rins e formando as pedras. No geral, o ideal é ingerir de 3 a 4 L desses fluidos diariamente.
      • Consulte o médico se você não sabe se está tomando um volume adequado de água. Ele vai fazer exames que determinem se a sua urina está adequada.
    2. 2 Pare de consumir alimentos ricos em oxalato. Alimentos com oxalato podem contribuir com a formação de certos tipos de pedras nos rins, como as de oxalato de cálcio. Evite os seguintes produtos:
      • Ruibarbo.
      • Beterraba.
      • Espinafre.
      • Acelga.
      • Batata-doce.
      • Chocolate.
      • Chá.
      • Pimenta do reino.
      • Soja.
      • Nozes.
    3. 3 Evite sal e proteínas animais. Se você tem um histórico de pedras nos rins, o melhor a fazer é adaptar a sua alimentação para reduzir o teor de sódio e o volume de carne. Esses dois produtos causam acúmulos de substâncias na urina — que, por sua vez, podem levar à formação das pedras.
      • Limite a ingestão de sódio a 2. 300 mg por dia. Dependendo do seu histórico, o médico pode recomendar reduzir ainda mais essa ingestão, chegando a 1. 500 mg por dia.
      • Limite o consumo de carne a um pedaço médio por dia.
    4. 4 Consuma alimentos ricos em cálcio. O excesso de cálcio na urina pode levar à formação das pedras nos rins, mas ainda é importante ingerir um pouco desse nutriente. Portanto, opte por alimentos que o contenham naturalmente e tente não recorrer a suplemento e afins.
      • Veja alguns exemplos de alimentos ricos em cálcio: vegetais (como couve-galega, brócolis e couve-de-folhas), laticínios (leite, iogurte e queijo) e certos tipos de frutos do mar (peixe enlatado com ossos).
      • O corpo tem mais facilidade para absorver o cálcio quando ele é combinado à vitamina D. Sendo assim, opte por alimentos e bebidas fortificados com ambos os nutrientes (alguns sucos, laticínios etc.
      • Converse com o médico se você não sabe o teor ideal de cálcio por dia. Ele pode fazer recomendações de acordo com fatores como idade, sexo e estado geral de saúde.
    5. 5 Tome suplementos de citrato de magnésio e potássio. Esses suplementos ajudam a reduzir o acúmulo de substâncias na urina que causam a formação de pedras nos rins. Pergunte ao médico se ele recomenda algo do tipo para o seu caso.
      • Fale com a médico para saber qual é a dosagem ideal de suplementos. No geral, urologistas recomendam um total de 1. 600 mg de citrato de potássio e 500 mg de citrato de magnésio por dia.
    6. 6 Converse com o médico antes de tomar qualquer suplemento. Alguns suplementos contribuem com a formação de pedras nos rins, como no caso de altas doses de vitaminas C e D. Portanto, fale com o médico se você pretende tomar algo do tipo para não piorar ainda mais a situação.
      • Se o médico aprovar determinado suplemento, pergunte a ele qual é o volume ideal para não exagerar e acabar piorando a situação.
    7. 7 Incorpore antioxidantes à sua alimentação. Para isso, coma frutas e vegetais de cores variadas no dia a dia. Os antioxidantes ajudam a reduzir o disco de pedras nos rins, já que controlam o teor de oxalato de cálcio na urina.
      • Bons exemplos de produtos ricos em antioxidantes: bagas, maçã, frutas cítricas, alcachofra, couve-de-folhas, pimentão e sucos de frutas (como de romã).
      • Evite produtos que também sejam ricos em oxalatos, como batata-doce e nozes.
      • Se necessário, faça uma pesquisa na internet para descobrir quais alimentos e bebidas são ideais.
    8. 8 Troque a posição de dormir. Dormir na mesma posição o tempo todo pode contribuir com a formação de pedras nos rins, ainda mais para quem dorme de lado — já que as pedras se formam nessa região. Portanto, varie um pouco para evitar “vícios” e que o problema fique mais grave.
      • Se você acredita que está prestes a eliminar as pedras dos seus rins, durma virado para o lado em que elas ficam. Depois da eliminação, vire para o outro lado.
    9. 9 Perca ou controle melhor o seu peso. É muito mais fácil evitar pedras nos rins quando se controla o peso. Se você tem dificuldade com isso, consulte o médico ou um nutricionista em busca de formas de emagrecer com saúde.
      • A formação de pedras nos rins está associada à resistência à insulina. Sendo assim, pessoas gordas ou obesas podem perder peso para que o corpo metabolize melhor o hormônio.
    10. 10 Pergunte ao médico sobre medicamentos que evitem as pedras nos rins. Dependendo do tipo de pedras nos rins que você desenvolver, o médico pode receitar algo específico que evite novos casos. Veja alguns exemplos:
      • Medicamentos que contêm tiazida ou fosfato, que evitam a formação de pedras de cálcio.
      • Alopurinol, que evita a formação de pedras de ácido úrico.
      • Antibióticos, que evitam a formação de pedras de estruvita.

      Publicidade

    Qual médico que cuida dos rins e fígado?

    Diferenças entre Nefrologia e Urologia – Nefrologia e Urologia são as duas especialidades médicas que cuidam do trato urinário. Como são especialidades complementares, é muito comum que a população faça confusão em relação às atribuições de cada uma.

    1. O termo Nefros vem do Grego e significa rins;
    2. Portanto, o médico nefrologista é aquele que estuda as funções e as doenças dos rins;
    3. Do mesmo modo, Nefrologia é a especialidade médica que trata dos problemas clínicos dos rins;

    A Urologia é um pouco diferente, pois ela é a especialidade cirúrgica que lida com o trato urinário. Logo, o nefrologista é o clínico especializado no funcionamento dos rins, enquanto o urologista é o cirurgião do trato geniturinário. É a mesma relação que há, por exemplo, entre os cardiologistas e os cirurgiões cardíacos, entre os neurologistas e os neurocirurgiões e entre os angiologistas e o cirurgião vascular.

    Grosso modo, para saber se o seu problema renal deve ser tratado por um urologista ou nefrologista, devemos questionar: o tratamento é feito com cirurgia ou com remédios? Se for cirúrgico, o especialista é o urologista.

    Se for doença clínica, o especialista indicado é o nefrologista. O urologista também trata de doenças da próstata e do sistema reprodutor masculino, mesmo que elas não sejam necessariamente cirúrgicas.

    O que é problema nos rins?

    As doenças renais são condições potencialmente graves, provocadas pela redução da eficiência das funções metabólicas dos rins, órgão vital para o organismo. Trata-se de problemas comuns que podem acontecer de forma crônica ou aguda, causando complicações severas.

    O que o médico urologista faz?

    Qual é a função do urologista? – Poucas são as pessoas que sabem que a urologia não é o oposto de ginecologia, já que ela não é uma área da medicina que estuda exclusivamente o corpo masculino. Isso mesmo: as mulheres também podem e devem  ir ao urologista ! Talvez essa informação tenha pego, até mesmo, as mulheres de surpresa, mas é verdade.

    1. O urologista é o médico responsável por cuidar da parte reprodutora do homem, isso todo mundo sabe;
    2. Entretanto, o que é sabido por poucos, é que esse profissional também trata o sistema urinário, o que está presente tanto nos homens quanto nas mulheres, logo, ele também atende elas;

    Melhor dizendo, o urologista pode diagnosticar e tratar todas as doenças que acometem órgãos, como bexiga, próstata, uretra, vesículas seminais, pênis, ureter, adrenais, ductos deferentes, rins e testículos. Alguns exemplos de doenças que podem aparecer nesses órgãos são:

    • impotência sexual;
    • ejaculação precoce;
    • infertilidade;
    • pedra nos rins;
    • dificuldade ou dor ao urinar;
    • incontinência urinária;
    • infecções urinárias;
    • dores durante o sexo;
    • inflamação no trato urinário;
    • varicocele.

    Contudo, atenção homens: não deixem para agendar uma consulta com o urologista só quando estiverem na idade de fazer o exame de toque ou quando uma doença aparecer. O ideal é que os homens visitem esse médico pelo menos uma vez ao ano, assim como as mulheres fazem com os ginecologistas. Já as mulheres devem ir ao urologista só quando houver algum problema urinário.

    Como é feito o exame urologista?

    Os exames mais comuns, são: o exame físico para avaliação do rim e alguns exames laboratoriais, como o ultrassom, exame de estudo urodinâmico (avalia a função da bexiga) e avaliação peniana (identifica doenças sexualmente transmissíveis).

    0
Adblock
detector