Dor De Cabeça Que Você Enfrenta Com A Tecnologia Hoje?

Dor De Cabeça Que Você Enfrenta Com A Tecnologia Hoje
Uso excessivo de tecnologia pode causar dor de cabeça Pesquisa do Ibope mostra que estresse, privação de sono e os problemas pessoais ainda são os motivos mais comuns de cefaleia.

Qual é a maior dor de cabeça que você enfrenta com a tecnologia hoje?

Papel encravado, cartuchos de tinta demasiado caros e dificuldades em ligar computadores, telemóveis e tablets à impressora através de wifi, tornam estes aparelhos uma das maiores dores de cabeça para aos utilizadores de tecnologia, segundo o jornal.

O que você diria ser a maior dificuldade que você enfrenta com a tecnologia hoje?

Lentidão no servidor ou nas aplicações – Em um mundo super conectado,  servidores ou aplicações lentas são fatais para a produtividade e bom funcionamento dos sistemas. Sendo assim, ao menor sinal de lentidão, não é uma boa estratégia negligenciar. As causas para esse problema são as mais diversas, entre elas podemos destacar: 

  • Utilização de servidor de armazenamento ou aplicação com tamanho subdimensionado;
  • Configuração das aplicações seja no Data Center, Discos ou Servidores;
  • Superaquecimento dos processadores; 
  • Ataques malwares que consomem a memória e capacidade do processador; 
  • Uso de muita memória gerando instabilidade de aplicações executadas em simultâneo.

Para evitar esses problemas, é fundamental contar com uma  solução ideal de infraestrutura de TI para o seu negócio , o que garanta a aquisição de equipamentos que realmente se adequem às necessidades da empresa. Dessa forma, evitam-se os custos desnecessários, seja com super ou subdimensionamento. Além disso, é muito importante avaliar a capacidade do Disco e contar com um Sistema de Segurança contra invasões eficiente. Por fim, precisamos falar do Backup, mas isso é assunto para o próximo tópico.

Porque celular dá dor de cabeça?

A posição em que você fica durante o uso do celular, com a cabeça abaixada, faz com que os nervos da nuca e do pescoço fiquem tensionados. Essa pressão nos nervos, que ocorre quando o corpo não está em uma postura adequada, faz com que o organismo reaja com a dor no corpo e a dor de cabeça.

Por que estudar da dor de cabeça?

Estudos explicam essa relação Você sabia? De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia , 140 milhões de pessoas no país são atingidas pela doença, sendo que 30 milhões são diagnosticadas com enxaqueca. Essas dores prejudicam muito as pessoas, sobretudo os estudantes que vivem em constante preocupação.

Mas, será que podemos relacionar a dor de cabeça com os estudos? Segundo pesquisadores, a culpa não é dos estudos em si, mas sim da falta de sono e estresse que acompanham os estudantes. A adoção de alguns hábitos saudáveis pode reverter essa situação, confira algumas dicas para combater as dores de cabeça: Durma bem: o ideal é que as pessoas durmam cerca de oito horas por noite.

Trocar o dia pela noite, problemas com insônia e outras alterações no sono podem causar dor de cabeça. Controle o estresse: quase tudo que está ligado ao comportamento e às emoções influencia o aparecimento da dor de cabeça quando há propensão a ela. E, nesse ponto, a tensão se sobressai.

É preciso investir numa rotina mais tranquila. Como? Reservando espaços na agenda para o lazer e atividades que lhe transmitam paz, como meditar, assistir a uma série ou ler o seu livro preferido. Não ultrapasse seus limites pessoais: tente não aceitar mais tarefas do que pode cumprir.

Divida as tarefas grandes em trabalhos menores. Não passe noites sem dormir e procure escutar o que o seu corpo tem a dizer. Evite ficar em jejum por muito tempo: a má alimentação pode trazer dores de cabeça assim como a alimentação insuficiente. Um estudo revelou que uma a cada 25 pessoas é afetada por dores de cabeça por causa de jejum.

Esse fenômeno ocorre principalmente quando alguém jejua para realizar um procedimento médico ou está em uma dieta para perder peso. Para evitar o problema, olhe sempre as recomendações dos procedimentos para verificar se está liberado tomar pelo menos algum líquido, como água, café ou chá.

Beba mais água e diminua o consumo de café: algumas dores são provenientes da sensibilidade a alguns alimentos ou bebidas, como queijos, chocolate, álcool ou café. Segundo pesquisadores , a diminuição do consumo de café pode aumentar a ocorrência da doença.

Uma avaliação registrou que 50% das pessoas que beberam menos de 100 mg por dia tiveram dor de cabeça, além de sintomas como fadiga, perda de energia e senso de cautela, sonolência, sinais depressivos e dificuldade de concentração.

Beber bastante água também ajuda na prevenção das dores. Procure ajuda profissional caso nada disso funcione: às vezes é preciso fazer um check-up para ter certeza de que tudo está certo. Vale a pena investir na sua saúde e na sua qualidade de vida. Siga o nosso blog para mais dicas como essa!.

Qual a maior problema com a tecnologia hoje?

Brad Smith, Chief Legal Officer da Microsoft, lista questões que precisaremos enfrentar, se quisermos resgatar a confiança das pessoas no digital O ano 2018 foi um ano importante para a tecnologia, com o termo “techlash” (Technology + Backlash) sendo usado comumente para se referir não apenas a uma, mas a várias questões sobre o papel da tecnologia na vida das pessoas.

Criado pelo The Economist, o termo “techlash” demonstra o olhar negativo frente às gigantes da tecnologia. Um dos motivos para este movimento são os recorrentes vazamentos de informações sensíveis. Violações em grande escala, incertezas sobre como os dados são usados e monetizados, cibercrime e outras ameaças online abalam a confiança dos usuários, colocando em xeque os benefícios de uma sociedade digital….

O que antes era visto como a solução para todos os problemas da humanidade (o uso desenfreado da tecnologia), passou a ser visto com mais ceticismo pela opinião pública e legisladores. Em 2019, esse cenário pode mudar? Em artigo para o blog do Fórum Econômico Mundial, Brad Smith, presidente e Chief Legal Officer da Microsoft, lista alguns problemas que precisaremos enfrentar, se quisermos resgatar a confiança das pessoas nos benefícios das tecnologias digitais.

  1. Privacidade Quando 2018 começou, sabíamos que seria um grande ano para a privacidade;
  2. A implementação iminente do Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia, ou GDPR, foi o suficiente para que isso acontecesse para todas as empresas com clientes na Europa;

Dada a natureza técnica do GDPR, não é surpresa que 2019 comece com um trabalho contínuo para interpretar o regulamento. Também na própria Europa, o Ano Novo começa com questões importantes em Bruxelas sobre o futuro da privacidade. O continente deu origem à exigência de que as empresas fornecessem notificação e consentimento antes de obter e usar as informações das pessoas.

  1. Em uma era de avisos de privacidade onipresentes, as autoridades questionam se a lei de privacidade deve ir além e regular ainda mais diretamente como a informação do consumidor pode ser usada;
  2. Em última análise, a privacidade é uma prioridade;
You might be interested:  Muita Dor De Garganta O Que Fazer?

Desinformação Entre 2016 e 2018, aumentou a nossa compreensão sobre os impactos nocivos das fake news. A grande questão agora é o que será feito para resolver o problema. As principais plataformas de mídia social começaram a implementar novas proteções de forma mais ampla e outras importantes iniciativas voluntárias, como o NewsGuard , surgiram.

Líderes tecnológicos foram confrontados com a possibilidade de alguma regulamentação. Mas que tipo de regulação? O senador Mark Warner, da Virgínia, definiu grande parte da agenda inicial, baseada em parte em um artigo publicado em agosto de 2018 no qual descreve propostas para impor às plataformas de mídia social o dever de identificar a origem das contas responsáveis pela campanhas e das postagens contendo desinformação e notificar os usuários sobre a ação de bots.

Warner tem desempenhado um papel firme de liderança no Comitê de Inteligência do Senado, e os próximos meses provavelmente colocarão holofotes sobre esse trabalho. Protencionismo Há mais de doze meses começamos experimentar os efeitos da guerra comercial entre os EUA e a China.

No ano passado, houve uma onda constante de aumento de tarifas dos EUA sobre as importações chinesas, com o objetivo de incentivar mais compras chinesas de produtos americanos. Mas não necessariamente tecnologia.

Em Washington, DC, os ventos políticos para o comércio de tecnologia mudaram claramente. Em todo o espectro político americano, há uma maior apreciação do ímpeto da China na inteligência artificial e outras tecnologias, e aumentou a preocupação com suas implicações econômicas e de segurança nacional.

  1. O ano passado terminou com eventos que pareciam parte de um recente drama da Netflix – a prisão e a proposta de extradição de um executivo e restrições impostas por Austrália, Nova Zelândia, EUA e Reino Unido ao uso de componentes chineses em redes 5G;

2019 assistirá a um extenso debate sobre os possíveis novos controles de exportação dos EUA sobre Inteligência Artificial e outras tecnologias emergentes. A União Europeia está considerando limitar as aquisições estrangeiras de startups de tecnologia locais.

O setor de tecnologia poderia entrar em uma jornada atribulada. Cibersegurança e diplomacia digital Enquanto 2017 viu dois dos ataques cibernéticos – WannaCry e NotPetya – 2018 trouxer mudanças importantes no cenário da cibersegurança.

Os ataques dos estados-nação continuaram e envolveram ainda mais governos. Alguns ataques envolveram o roubo de enormes quantidades de informações, enquanto outros ameaçaram a TI e outras infraestruturas críticas. O ano não ofereceu nenhuma razão para acreditar que as ameaças cibernéticas promovidas por governos estão em declínio.

Mas 2018 também trouxe novos passos para fortalecer a proteção da segurança cibernética. O setor de tecnologia continua priorizando a inovação e os investimentos em segurança cibernética. O ano passado trouxe mais foco na segurança do hardware, mas novos recursos para proteger os serviços vitais da nuvem também permaneceram como prioridade.

Foi também um ano importante para avanços na frente diplomática. A diplomacia digital se espalhou. A Siemens liderou o trabalho para criar uma importante Carta de Confiança, unindo as empresas para proteger os dispositivos onipresentes que compõem a Internet das Coisas.

  • A Microsoft encabeçou um Tech Accord, assinado por 68 empresas para fortalecer as defesas de segurança cibernética;
  • O maior passo do ano aconteceu em novembro;
  • O apelo de Paris para a confiança e segurança no ciberespaço , liderado pelo presidente francês Emanuel Macron, lançou um importante movimento para deter ciberataques indiscriminados e proteger processos eleitorais;

Baseia-se na ação de múltiplas partes interessadas, reunindo mais de 450 signatários de mais de 50 governos e cerca de 400 empresas e grupos da sociedade civil. O Chamado de Paris expôs, no entanto, alguns dos negócios inacabados para 2019. Seus signatários incluíam todos os membros da UE e 27 dos 29 aliados da OTAN, mas não os Estados Unidos.

O Ano Novo traz uma nova oportunidade para reunir todos. Desafios de ética para a IA Em janeiro passado, questões éticas de Inteligência Artificial começaram a atrair a atenção. Conforme os meses progrediram, eles explodiram.

Impulsionadas em parte pelo ativismo dos funcionários, as empresas de tecnologia começaram a abordar questões como o uso de IA para produção de armas autônomas e preocupações com o reconhecimento facial. As questões de reconhecimento facial passaram a ocupar um lugar central, motivadas em parte por preocupações de grupos acadêmicos e de liberdades civis sobre os riscos de discriminação e o impacto potencial sobre a privacidade e outros direitos democráticos.

  1. Em 2019, esses desafios começarão a ser enfrentados com maior intensidade;
  2. Impactos da IA na economia e no mercado de trabalho No ano passado, a angústia do público sobre o impacto da IA na economia e no mercado de trabalho continuou a crescer;

Especialmente nos Estados Unidos e na Europa, as pessoas questionam se a tecnologia destruirá mais empregos do que os criados. Mais enfaticamente, as discussões começaram a se concentrar em quem seriam os possíveis vencedores e perdedores. 2019 trará mais atenção a novos programas dos setores público e privado para equipar as pessoas com as habilidades de que precisarão.

Imigração e a diversidade As questões de imigração e diversidade permaneceram em primeiro plano em todo o setor de tecnologia em 2018. Muitas empresas relataram ganhos de diversidade que foram pequenos, mas avançaram na direção certa de maneira mais ampla do que no passado.

O ano também viu o setor de tecnologia continuar a se concentrar em vários problemas importantes de imigração de mão de obra qualificada. Banda larga rural Nos Estados Unidos e em vários outros países, 2018 trouxe um foco contínuo em desafios para as comunidades rurais.

Um fator que impede a prosperidade das comunidades rurais é a falta de acesso a serviços de banda larga. De forma crescente, a banda larga tornou-se a eletricidade do século XXI. Sem isso, há pouca oportunidade de atrair novos negócios ou empregos.

Essas soluções fornecem uma nova esperança a partir de 2019. Isso exigirá inovações e investimentos sustentados, juntamente com políticas governamentais sólidas. Mas é cada vez mais possível imaginar o tipo de progresso que tornará o mundo um lugar diferente e melhor nesse sentido até 2030.

Soberania, diretor humanos e nuvem Quando esta década começou, havia alguns que pensavam que o setor de tecnologia poderia servir o mundo exclusivamente de datacenters localizados nos Estados Unidos. À medida que o início da próxima década se aproxima, mais governos querem que seu setor público ou até mesmo os dados de todo o país permaneçam em datacenter dentro de suas próprias fronteiras.

Isso está criando problemas cada vez mais complicados para o mundo10.

Quais as dificuldades do uso da tecnologia na educação?

Na educação, a tecnologia tem seu processo histórico iniciado na década de 1940 nos Estados Unidos e desde então visa utilizar recursos tecnológicos virtuais no processo pedagógico, seja dentro ou fora da sala de aula, para que o processo ensino aprendizagem seja otimizado.

Atualmente, os recursos tecnológicos disponíveis na escola ou em sistemas de ensino aglomeram toda a gama inovadora de recursos, entre eles livros digitais, jogos educacionais, videoaulas, plataformas ligadas ao mundo moderno e possíveis de serem utilizados na esfera escolar.

Estes recursos buscam criar maneiras motivadoras de aprendizagem e de reforçar conteúdos escolares, mesmo fora da sala de aula. A educação tecnológica tem suas vantagens de oferecer possibilidades aos professores e alunos, de ampliar repertórios, conectar as pessoas e motivar o aprendizado.

Para isso, contamos com dispositivos de fácil acesso, como tabletes, smartphones e internet, facilitando o trabalho docente na utilização e repasse dos conteúdos, na participação dos alunos, potencializando e direcionando os ajustes pedagógicos.

Por outro lado, as limitações do uso da tecnologia na educação estão relacionadas à falta de acesso aos recursos existentes, as barreiras de convivência social, dificuldade de concentração do aluno, de contato com o tutor, entre outras situações. Essas dificuldades podem ser resolvidas com a combinação de regras entre os envolvidos em relação ao equilíbrio no uso dos recursos tecnológicos e otimização das possibilidades da existência destes recursos.

  1. As tecnologias, de um modo geral, trazem desafios no decorrer da sua história, seja pela falta de recursos e conhecimento para acesso, ou pela necessidade de inovar o que existe;
  2. As dificuldades de acesso devido a distância ou ausência de estrutura podem ser solucionadas com articulações gerenciais que busquem, através de recursos públicos destinados à educação, ou de investimento empresarial, ofertados aos projetos de iniciativa educacional em espaços coletivos, visando ao treinamentos e aquisição de equipamentos necessários à utilização desta tecnologia na área educacional;
You might be interested:  Que Que É Bom Para Dor Nas Pernas?

As estruturas que necessitam de inovações podem contar com orientações dos docentes e movimentos dos discentes, onde os envolvidos atuem como protagonistas nas propostas de ampliação dos recursos já existentes, construindo e apresentando ideias e projetos, na busca de parcerias específicas a situação exigida.

As tecnologias oferecem conexões que, vão além da convivência social presencial, pois grupos da mesma comunidade podem compartilhar conhecimentos e diversas culturas com outros grupos, independentes da distância entre eles, este é o ponto enriquecedor das tecnologias, a informação gerando conhecimento e troca de saberes.

Na área da educação, este instrumento pode ampliar oportunidades e responsabilidades, pois as gerações nascidas na era tecnológica, como também as gerações que foram inseridas neste contexto por força de circunstâncias, descobrem um vasto horizonte de comunicação, seja a nível acadêmico ou de convivência individual e coletiva.

A educação é um dos principais alicerces para o desenvolvimento de um país. Portanto, a tecnologia é uma ferramenta que, se bem utilizada, pode ser uma expressiva aliada no processo ensino-aprendizagem. Acredita-se que a tecnologia na educação visa prosperar muito além do que já ocorre, pois ultrapassa barreiras geográficas e culturais, desvendando possibilidades do conhecimento e semeando prosperidade.

* Fernanda Gusso Rosa Meller é especialista em educação física escolar, fisiologia do exercício, educação especial e inclusiva e professora da Área de Educação, da Escola Superior de Educação da Uninter. Incorporar HTML não disponível. Autor: Fernanda Gusso Rosa Meller* Créditos do Fotógrafo: Julia M Cameron/Pexels Jornalista: Suspensório:.

Quais são os problemas causados pela tecnologia?

Quais são os pontos negativos do uso da tecnologia?

Dor de Cabeça: Conheça 5 sinais de ALARME

Quais são os malefícios do uso da tecnologia?

• Impactos físicos e psicológicos – A falta de convívio com outras pessoas devido ao uso excessivo das tecnologias pode prejudicar o desenvolvimento social, intelectual e emocional. Além disso, pode gerar irritabilidade, irregularidades no sono, obesidade (devido ao sedentarismo), dentre outros malefícios.

Quais são os prejuízos que podem ser causados pelo uso excessivo do celular?

O que fazer para evitar a dor de cabeça?

Como eliminar a dor de cabeça em 3 minutos?

Banhos, chás e até café são algumas dicas preciosas de como eliminar a dor de cabeça em 3 minutos sem necessidade de medicamentos.

É possível morrer de tanto estudar?

‘ Estudar muito não faz mal a ninguém, contando que seja de uma forma planejada, o limite estabelecido é aquele enquanto você está tendo algum tipo de assimilação no que está estudando.

Quando eu penso Minha cabeça dói?

Doutora em Pediatria graduada em 1978 (Universidade Federal Fluminense – UFF), Especialista em Pediatria PUC-RIO; Especi. i Respondido em 3 de setembro de 2015 Sim, além da ansiedade ser uma sensação objetiva, um estado de tensão, uma angústia e certa aflição, na sua presença alguns neurotransmissores podem sem liberados em maior quantidade, podendo ocasionar estresse, preocupação, maior ansiedade, dores de cabeça, tonteira e outros.

Pessoas que são constantemente mais preocupadas com tudo, de uma maneira geral, costumam ter mais sintomas somáticos como dores musculares, enxaquecas, cansaço, irritação, lamentos entre outros. Portanto, o gol é diminuir ao máximo a ansiedade: caminhar, ir à praia, namorar, dançar, enfim, fazer o que se tem prazer são os melhores ansiolíticos da vida! Se as minhas sugestões não forem suficientes, procure um psiquiatra e ou um bom terapeuta para ser avaliado.

1 Pessoa perguntou.

O que pode ser dor de cabeça todos os dias?

A dor de cabeça constante pode ter diversas causas, sendo as mais comuns o cansaço, o estresse, a preocupação ou a ansiedade. Por exemplo, a dor de cabeça constante que surge numa região específica da cabeça, como a parte frontal, o lado direito ou o lado esquerdo, muitas vezes está relacionada à enxaqueca, já a dor de cabeça que é acompanhada de tontura pode se sinal de pressão alta ou, até, de gravidez.

No entanto, a dor de cabeça também pode estar relacionada a alguns problemas de saúde, como gripe, problemas de visão ou alterações hormonais e, assim, sempre que é muito forte ou sempre que demora mais de 3 dias para desaparecer é aconselhado consultar um clínico geral, para identificar a possível causa e iniciar o tratamento adequado.

A seguir estão algumas das causas mais comuns para o aparecimento de dor de cabeça constante: 1. Calor O calor excessivo resulta em desidratação leve e promove a dilatação dos vasos sanguíneos, incluindo os presentes na cabeça, resultando em dor de cabeça; 2.

Problemas de visão Os problemas de visão como astigmatismo, hipermetropia e miopia, por exemplo, podem provocar dor de cabeça, principalmente em crianças, pois faz com que a pessoa force a visão para enxergar as coisas.

Conheça outras causas de dor de cabeça em criança. Estresse ou ansiedade Nas situações de estresse ou ansiedade, a pessoa costuma não conseguir dormir direito e tem a mente sempre ativa, o que prejudica a concentração em algumas situações. O corpo e a mente cansada favorecem a dor de cabeça, que pode ser interpretada como uma tentativa do corpo de que é preciso relaxar.

  1. Alimentação Em algumas pessoas, o consumo de alimentos estimulantes como café, refrigerantes e chocolate, por exemplo, podem resultar em dor de cabeça;
  2. Por outro lado, quando a pessoa não come, ou seja, fica em jejum, pode também resultar em dor de cabeça constante, já que há hipoglicemia;

Doenças Alguns problemas de saúde como resfriado, sinusite e dengue, por exemplo, podem ter como manifestação clínica a dor de cabeça constante que normalmente desaparece à medida que a doença é solucionada. Bruxismo O bruxismo é o ato involuntário de apertar ou raspar os dentes durante a noite, o que pode alterar o posicionamento da articulação da mandíbula e causar dor de cabeça todo dia. Além da massagem, podem ser adotadas outras estratégias para aliviar as dores de cabeça diárias como: Colocar uma compressa gelada na cabeça, na testa ou na nuca, já que a constrição dos vasos sanguíneos cerebrais aliviam a dor de cabeça;

  • Ficar num local calmo e tranquilo, ao abrigo da luz para conseguir descansar um pouco;
  • Beber um copo de água fresca com gotas de limão para reidratar o corpo;
  • Evitar ficar no sol por mais de 1 hora, mesmo com chapéu e óculos de sol;
  • Tomar um analgésico para dor de cabeça, como o Paracetamol, por exemplo;
  • Andar descalço na grama, por exemplo, para reduzir a ansiedade e o estresse;
  • Tomar um chá de canela para acelerar a menstruação, se a causa da dor de cabeça for a TPM.

Seja qual for a causa da dor de cabeça, o uso de analgésicos por mais de 3 dias é desaconselhado, pois pode piorar a dor de cabeça. Veja algumas opções de remédios caseiros para dor de cabeça. O Hospital Proncor tem o único Pronto Socorro com ortopedista e otorrino de plantão (para crianças e adultos nas duas especialidades). 🚨 Pronto Socorro Geral | R. Maracaju, 1. 265 – Centro 👨‍⚕ Centro Médico Proncor | Rua Oceano Ártico, 133 – Chácara Cachoeira 🏥 Hospital Proncor | R.

Alterações hormonais As alterações na concentração de hormônio circulante no sangue, principalmente na TPM e durante a gravidez, também podem provocar dor de cabeça. Como aliviar a dor de cabeça constante? Para aliviar a dor de cabeça que acontece todo dia, uma opção é realizar a massagem na cabeça.

You might be interested:  Dor No Pescoço E Nuca O Que Pode Ser?

Raul Pires Barbosa, 1. 800 – Chácara Cachoeira.

Qual a maior dificuldade de se trabalhar os recursos tecnológicos em sala de aula?

Utilizar a tecnologia para auxiliar o ensino dentro da sala de aula já é visto como algo bom por 92% dos professores brasileiros. Mesmo percentual considera positiva a capacitação profissional para a aplicação dessas tecnologias em sala, segundo pesquisa realizada pela Fundação Lemann.

De acordo com os dados divulgados, os professores, em sua maioria, consideram positivo o uso de recursos tecnológicos e defendem a formação para melhorar o trabalho em sala de aula. No entanto, a TIC Educação, divulgada em 2013 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil – entidade oficial que coordena serviços da web no país – mostrou que apenas 2% dos professores brasileiros usam a tecnologia como suporte em sala de aula.

O Brasil tem 190 mil escolas de ensino básico, das quais 150 mil são públicas. Já foi constatado que o número de computadores nas escolas públicas é insuficiente, além do que, eles costumam ser instalados em locais inadequados ao uso pedagógico e a conexão à Internet tem baixa velocidade.

De acordo com o Censo da Educação Básica de 2013, realizado anualmente pelo Ministério da Educação, 48% das unidades públicas ainda não têm computadores para uso discente; 50,3% têm acesso à Internet e há um computador para cada 34 alunos.

A banda larga está presente em 40,7% das unidades. Além disso, falta capacitação aos professores para usar pedagogicamente as tecnologias dentro da sala de aula. Como já falei diversas vezes em outros artigos, acredito que para falar a mesma língua das crianças e adolescentes, os educadores precisam saber explorar o potencial dos novos recursos tecnológicos.

  1. Porém, os números mostram que a tecnologia ainda não faz parte da escola pública no país;
  2. Os principais obstáculos são o precário acesso a equipamentos e a falta de um olhar específico para a tecnologia nas políticas de formação de professores;

Existem escolas com infraestrutura básica extremamente ruim, sem energia elétrica, por exemplo, o que impossibilita o uso de aparelhos eletrônicos. Além disso, o uso das novas tecnologias no ensino ainda é pouco abordado nos cursos de pedagogia e licenciaturas.

Apenas 44% dos professores entrevistados no estudo do Cetic. br cursaram alguma disciplina sobre uso do computador e Internet na graduação. Na tentativa de levar as tecnologias digitais para as escolas públicas, o Ministério de Educação e Cultura (MEC) até criou projetos, como o Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo), que leva computadores, recursos digitais e conteúdos educacionais às escolas, o projeto “Um Computador por Aluno” (UCA), que distribui netbooks para os estudantes e, mais recentemente, a distribuição de tablets para os professores do ensino médio.

Para promover o acesso à Internet há ainda o Programa Banda Larga nas Escolas (PBLE) e outras ações, como o Programa Nacional de Formação Continuada em Tecnologia Educacional (ProInfo Integrado), que orientam os educadores sobre o uso dessas tecnologias.

  1. Os projetos podem até estar na direção certa, mas é fato que a qualidade e a quantidade de recursos para que eles alcancem bons resultados ainda são insuficientes;
  2. O governo federal reforça a necessidade das escolas estarem conectadas e das tecnologias pedagógicas serem disseminadas na rede pública de ensino;

A ideia é boa, mas de nada vão adiantar bons projetos, se ainda faltam investimentos em infraestrutura e suporte técnico.

Pode mexer no celular com dor de cabeça?

O uso de dispositivos eletrônicos aumentou consideravelmente na última década, impactando as atividades cotidianas relacionadas ao trabalho, educação e lazer. Isso vem se refletindo na saúde humana: estudos indicam que o uso excessivo do celular acentua em 38% o risco de ter dor de cabeça.

Esse problema está afetando indivíduos de todas as faixas etárias, inclusive adolescentes, que vêm enfrentando dificuldade de concentração e estresse, além de dor de cabeça, devido ao tempo exagerado que passam em frente às telas.

1 2 Mas, afinal, por que o uso excessivo do celular e do computador pode causar dor de cabeça e nos olhos? Saiba mais sobre isso! Entenda a relação entre uso abusivo de dispositivos móveis e cefaleia Os mecanismos envolvidos na dor de cabeça provocada pelo uso excessivo do celular e do computador ainda não são totalmente compreendidos, mas pesquisas sugerem que a radiofrequência que esses dispositivos emitem esteja relacionada à dor.

Uma das hipóteses diz que a radiação liberada pelos aparelhos interfere na barreira hematoencefálica, estrutura essencial para o bom funcionamento do cérebro. Além disso, acredita-se também que a energia eletromagnética de baixa intensidade emitida por esses dispositivos afete o sistema de receptores de dopamina e opioides, ligados ao surgimento da dor de cabeça.

2 Outra hipótese defende que o ruído emitido pelos celulares e computadores e a temperatura desses aparelhos também estejam envolvidos na origem da dor de cabeça. Essa relação foi observada em um estudo em que 71,1% dos participantes com cefaleia por uso do celular relataram sensibilidade a sons e sensação de queimação na cabeça.

  • 3 O uso excessivo do celular e do computador também pode provocar dor nos olhos Outro efeito prejudicial que o uso exagerado desses dispositivos eletrônicos pode causar aos usuários é a dor nos olhos;
  • Isso se deve à propagação em alta intensidade de radiação azul-violeta por celulares e computadores, mais conhecida como luz azul;

Essa radiação tem o potencial de interagir com os tecidos oculares, podendo aquecê-los e até mesmo comprometer o seu funcionamento. 4 5 Como prevenir a dor de cabeça causada pela tecnologia Um estudo demonstrou que o tempo de exposição às telas está fortemente relacionado à presença de dor de cabeça, sendo estimado um período de uso diário superior a quatro horas como fator de risco.

  1. Da mesma forma, o uso excessivo do celular e do computador aumenta a exposição dos olhos à luz azul e, consequentemente, dos possíveis danos a essa região;
  2. 1 4 Por isso, é importante que os indivíduos sejam prudentes em relação ao tempo de uso desses dispositivos, visto que a exposição prolongada aumenta o risco de desenvolver patologias;

6 Outra forma de prevenir dor de cabeça é manter uma boa postura durante o uso, pois geralmente, o manuseio desses dispositivos implica em uma postura que mantém o pescoço inclinado para baixo. Isso faz com que o peso da cabeça seja depositado sobre toda a coluna, provocando tensão muscular, fator que está diretamente relacionado à dor no pescoço e à dor de cabeça.

Como a tecnologia pode ajudar o homem?

5 outubro 2020  |  Por Assessoria de Imprensa Quando se fala do futuro é inevitável falar também sobre tecnologia. As recentes inovações mudaram o comportamento das pessoas e modificaram profundamente os diversos setores da sociedade. Graças a tecnologia vivemos em um mundo acelerado, onde novidades surgem a todo momento e logo se tornam obsoletas.

  1. Tais inovações têm como objetivo procurar respostas para as necessidades do mercado e, principalmente, da população como um todo;
  2. Podemos dizer, então, que seus recursos proporcionam um mar de oportunidades de negócios, além de uma verdadeira revolução no que se diz respeito a qualidade de vida;

Esse cenário pode ser visto no nosso próprio comportamento, nos instrumentos de trabalho, nos meios de comunicação e de aprendizado. Todas essas áreas são diferentes do que eram em um passado recente e, provavelmente, amanhã se tornarão ainda mais distintas do que são hoje. Continue lendo porque vamos falar os benefícios da tecnologia nos mais diferentes setores da sociedade! Dor De Cabeça Que Você Enfrenta Com A Tecnologia Hoje.

O que é o que é tecnologia?

Segundo Longo (1984), ‘ tecnologia é o conjunto de conhecimentos científicos ou empíricos empregados na produção e comercialização de bens e serviços’.

0
Adblock
detector