O Que Significa Dor No Fígado?

O Que Significa Dor No Fígado
A dor no fígado é uma dor localizada na região superior direita do abdômen e pode ser sinal de doenças como infecções, obesidade, colesterol ou câncer ou pode acontecer devido à exposição a substâncias tóxicas como álcool, detergentes ou mesmo medicamentos.

Como saber se é o fígado que está doendo?

O que fazer quando o fígado está doendo?

Acúmulo de gordura – O acúmulo de gordura no fígado é comum em pessoas com obesidade, colesterol alto ou diabetes, podendo ser assintomático ou provocar sintomas como dor do lado direito do abdômen, barriga inchada, enjoo e vômitos. Como tratar:  O tratamento para a gordura no fígado consiste na prática regular de exercício físico e numa alimentação saudável à base de proteínas com pouca gordura, frutas e vegetais frescos.

O que acontece quando o fígado está inflamado?

Não somente a hepatite causa problemas no fígado, outras condições também comprometem o funcionamento do órgão. 1 – HEPATITE É a inflamação do fígado, em geral é causada pelos vírus das hepatites A, B, C e D, mas também pode ter causas não infecciosas, como abuso de bebidas alcoólicas, doença auto-imune, uso de drogas, medicamentos, reações alérgicas, obesidade, etc.

  • 2 – CIRROSE A inflamação do fígado por qualquer causa se permanecer durante um longo período de tempo causa o que é chamado cientificamente de “cicatrizes”, (cirrose);
  • É normal um fígado cirrótico ficar endurecido e diminuído de tamanho;

A cirrose avançada torna o fígado incapaz de funcionar. 3 – CÂNCER DE FÍGADO O tipo mais comum é chamado de “carcinoma hepato celular” e em geral se desenvolve após a cirrose, mas em alguns casos, como nos infectados com hepatite B o câncer pode aparecer em fígados ainda sem cirrose.

4 – INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA O fígado pode perder suas funções, o que é chamado de insuficiência hepática. Ocasionada por muitas causas, incluindo infecções por vírus, consumo excessivo de álcool, doenças genéticas e doenças auto-imunes.

5 – ASCITE Uma das consequências da cirrose é a descompensação. O primeiro sintoma que aparece é a ascite, quando existe acumulação de fluido no espaço entre os tecidos que revestem o abdome o qual se torna distendido e pesado. 6 – CÁLCULOS BILIARES Quando um cálculo biliar fica preso no ducto que faz a drenagem biliar pode acontecer uma infecção no ducto.

  • Tratada a infecção a seguir é retirada a vesícula biliar;
  • 7 – HEMOCROMATOSE Quando o ferro se deposita em excesso no fígado o quadro é chamado de hemocromatose, prejudicando o órgão;
  • O ferro também pode se depositar em o corpo todo, causando vários outros problemas de saúde;

8 – COLANGITE ESCLEROSANTE PRIMÁRIA Doença rara, com causas ainda desconhecidas, provocando inflamação e cicatrizes nos ductos biliares do fígado. 9 – CIRROSE BILIAR PRIMARIA Também um distúrbio raro que destrói lentamente os ductos biliares do fígado. Desenvolve-se eventualmente em fígados com cirrose.

O que fazer para limpar o fígado?

O que pode atacar o fígado?

Segundo maior órgão do corpo, o fígado é responsável por sintetizar o colesterol, desintoxicar o organismo, emulsificar gorduras, armazenar algumas vitaminas, entre outras funções. Por ser tão importante, é preciso ficar de olho: qualquer problema deve ser investigado pelo médico.

Os primeiros sinais e sintomas de problemas no fígado são dor abdominal do lado direito e barriga inchada. Além desses, é fácil perceber uma cor amarelada na pele e nos olhos e urina escura, de cor amarela forte.

Algumas das causas comuns de problemas no fígado são o excesso de gordura neste órgão, que ocorre principalmente em pessoas com excesso de peso ou que não praticam atividade física, excesso de álcool, uso abusivo de medicamentos e doenças como hepatite, cirrose, ascite, esquistossomose e hipertensão portal. Principais sintomas

  • Dor abdominal
  • Vômitos
  • Dor de cabeça
  • Coceira
  • Tontura
  • Cansaço
  • Fezes amareladas
  • Diarreia

Diante da presença desses sintomas, é importante procurar um médico para investigar a causa do problema e iniciar o tratamento adequado. Exames de diagnóstico Para diagnosticar problemas no fígado, deve-se fazer um exame de sangue chamado hepatograma, que avalia as funções do órgão a partir dos níveis de:

  • AST e ALT;
  • GGT, também chama de Gama GT;
  • Fosfatase alcalina;
  • Bilirrubina direta, indireta e total;
  • Albumina;
  • INR e TAP ou TP;
  • 5′ nucleotidase (5’NTD);
  • LDH.

Além dos exames de sangue, o médico pode pedir outros complementares, como ultrassonografia e tomografia computadorizada. Tratamento O tratamento a ser feito depende das causas da doença, mas os casos mais leves são tratados apenas com alterações na dieta. No entanto, nas situações de maior gravidade, podem ser necessários remédios para diminuir a inflamação, o colesterol, a glicemia e outros fatores que afetam o fígado.

  1. O gastroenterologista é o médico especialista mais indicado para o tratamento das doenças do fígado, e ele deve ser consultado se os sintomas persistirem, mesmo após as alterações na dieta;
  2. Além disso, deve-se conversar com o médico e pedir autorização para complementar o tratamento com remédios caseiros que ajudam a limpar o órgão, como os feitos com boldo, alface ou alfazema;

Alimentação para tratar o fígado Em caso de problemas no fígado, recomenda-se beber pelo menos 1,5 litro de água por dia e consumir alimentos de fácil digestão e com pouca gordura, como peixes, carnes brancas, frutas, legumes, sucos naturais, queijos brancos, leite e derivados desnatados.

Além disso, é importante preferir preparações cozidas, assadas ou grelhadas, evitando frituras, refrigerantes, biscoitos recheados, manteiga, carnes vermelhas, salsicha, linguiça, bacon, chocolate e doces em geral.

Também é recomendado evitar o consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica. (Com informações do portal Tua Saúde ).

Qual o melhor remédio para dor no fígado?

Qual o lado que fica o fígado?

FUNÇÕES HEPÁTICAS – Drauzio — Para que serve o fígado além de levar a culpa quando se come ou bebe demais? Luís Caetano da Silva – O fígado, que se localiza do lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo. Pesa em torno de um mil e trezentos a um mil e quinhentos gramas no homem e um pouco menos (aproximadamente duzentos gramas menos) nas mulheres.

  • Ele é constituído por milhões de células, como se fossem milhões de tijolinhos agrupados;
  • Cada célula representa uma micro-indústria e desempenha uma função específica, essencial para o equilíbrio do organismo;
You might be interested:  O Que Pode Causar Muita Dor De Cabeça?

Drauzio – Quais as principais funções do fígado? Luís Caetano da Silva – O fígado é um órgão de funções múltiplas e fundamentais para o funcionamento do organismo. Entre elas, destacam-se: a) Secretar a bile A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600ml a 900ml por dia.

  1. Num primeiro momento, ela se concentra na vesícula e depois é enviada para o intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das gorduras;
  2. Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica prejudicado; b) Armazenar glicose A glicose extraída do bolo alimentar é armazenada no fígado sob a forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário;

Nesse caso, as células hepáticas funcionam como um reservatório de combustível. Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não houvesse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o suprimento de energia.

Doenças hepáticas em fase avançada provocam a perda dessa capacidade e prejudicam o fornecimento de glicose; c) Produzir proteínas nobres Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação.

É a propriedade osmótica ou oncótica. Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias, extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. Além dessa, a albumina tem outra função curiosa.

Serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas. A falta de albumina não é a única explicação para o inchaço característico dos alcoólicos.

Na cirrose , por exemplo, doença comum nos usuários de álcool, os rins retêm água e sódio o que também ajuda a produzir inchaço. É importante, ainda, mencionar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a probabilidade de sangramentos abundantes, que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas; d) Desintoxicar o organismo O fígado tem a capacidade de transformar hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los; e) Sintetizar o colesterol No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile; f) Filtrar microorganismos Há uma extensa rede de defesa imunológica no fígado.

Além das células hepáticas, existem inúmeros “tijolinhos” responsáveis por segurar bactérias ou outros micro-organismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a infecções; g) Transformar amônia em ureia O fígado é um órgão privilegiado.

Tem uma artéria e uma veia de entrada e uma veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por 75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias importantes, como as vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia produzida no intestino e derivada especialmente de proteínas animais para ser transformada em ureia.

Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro, provocando, no início, alterações neuropsíquicas (mudanças de comportamento, esquecimento, insônia, sonolência) e, depois, pré-coma ou coma.

Drauzio – Por que o fígado sangra muito? Luís Caetano da Silva — O fígado é um órgão embebido em sangue. Por ele passam um litro e duzentos ou um litro e meio de sangue por minuto. Esse sangue sai pelas veias supra-hepáticas e vai para o coração. Se o coração, que é nossa bomba, estiver com problemas, o sangue será retido no fígado que aumentará de tamanho.

O que não pode comer quando o fígado está inflamado?

Quando o fígado está comprometido?

Icterícia e inchaço abdominal são alguns sinais e alerta para formas graves de doença hepática As doenças do fígado com frequência são silenciosas, ou seja, não apresentam sintomas. Muitas pessoas acreditam que um gosto amargo na boca está associado com doença no fígado, mas essa é uma queixa inespecífica, que pode ser desencadeada por várias causas, como gastrite , lesões dos dentes ou na gengiva, infecções na faringe ou amígdalas, desidratação , jejum prolongado, cigarro e medicamentos, geralmente sem relação com doenças do fígado.

Assim como tontura, dor de cabeça e náuseas, que muitas vezes estão associados a um quadro de enxaqueca. Entre as doenças que acometem o fígado, as mais comuns são: esteatose hepática, hepatites por vírus (A, B, C, D, E), doença hepática alcoólica, esquistossomose, hepatite autoimune e hepatite medicamentosa.

Outras doenças menos frequentes incluem a hemocromatose (doença por acúmulo de ferro), doença de Wilson (doença por acúmulo de cobre no fígado), doenças das vias biliares intra-hepaticas, como a colangite esclerosante, a cirrose biliar primária e a colangite autoimune.

A esteatose hepática é um acúmulo de  gordura no fígado , geralmente causada por um distúrbio metabólico associado à obesidade, diabetes, elevação dos níveis de colesterol ou triglicérides. Também pode ser decorrente da ingestão abusiva de bebidas alcoólicas.

Não causa sintomas, portanto somente é diagnosticada com exames de sangue ou ultrassonografia, seja de rotina ou solicitados por alguma suspeita clinica. A doença hepática alcoólica pode causar sintomas como dor abdominal, icterícia e náuseas. Esses sinais aparecem nos casos de hepatite aguda decorrente do abuso na ingestão de álcool, ou, com maior frequência, nas fases avançadas da doença, quando o fígado já está bastante comprometido.

  1. Portanto as pessoas que ingerem bebidas alcoólicas com frequência devem ser submetidas a exames periódicos para avaliação do fígado;
  2. A hepatite autoimune é decorrente de disfunção do sistema imunológico, com produção de anticorpos que agridem e destroem progressivamente as células do fígado, também cursam de forma silenciosa, apresentando sintomas somente quando existe maior dano ao fígado;

A cirrose biliar primária acomete as vias biliares dentro do fígado e se caracteriza por causar intenso prurido no corpo, com outros sintomas somente em fases avançadas da doença. A esquistossomose, também conhecida como barriga d’água por desencadear formação de ascite (água na barriga) em fases avançadas, é causada pelo Schistossoma mansoni , um parasita de caramujos encontrados em lagoas da região nordeste.

A pessoa se contamina ao entrar na lagoa com esses caramujos. O parasita se aloja no fígado, acarretando fibrose com endurecimento do órgão, semelhante à cirrose. Somente apresenta sintomas em fases avançadas de doença.

You might be interested:  Dipirona Serve Para Que Tipo De Dor?

Saiba mais: Metiocolin B12 (drágea): para que serve Toda vez que ocorre uma agressão aguda ao fígado podem aparecer sintomas como mal estar geral, febre, dor no lado direito do abdômen junto às costelas, náuseas, vômitos, urina escura (colúria), fezes mais claras (hipocolia fecal) e olhos amarelados (icterícia), portanto esses são sintomas de doença aguda no fígado. O Que Significa Dor No Fígado mulher no hospital com dor abdominal – Foto: Getty Images Alguns desses sintomas, como náuseas, icterícia e colúria, também aparecem em hepatite aguda desencadeada por algum medicamento. Por isso deve-se procurar um médico para a realização de exames para a identificação da doença. Como a maioria das doenças do fígado não causam sintomas, uma pessoa pode estar doente e não ter conhecimento disso, somente descobre a doença com a realização de exames de rotina.

São mais comuns nas hepatites virais agudas (A, B, C, D E), mas também podem aparecer em outras doenças infecciosas gerais, sistêmicas ou agudas que acometem o fígado, como mononucleose, toxoplasmose e infecção por citomegalovírus.

Podem ser feitos tanto exames de sangue para avaliação de fígado, as transaminases, como exames de imagem, como a ultrassonografia de abdômen, que mostram alguma alteração. Quando as doenças não são identificadas precocemente vão agredindo progressivamente o fígado, causando inflamação crônica com formação de fibrose, que leva a uma alteração da estrutura, endurecimento do fígado e destruição de células, os hepatócitos, o que caracteriza a cirrose hepática.

  1. O endurecimento do órgão leva a um aumento de pressão na veia que chega ao fígado (veia porta), trazendo sangue do trato digestivo;
  2. Consequentemente, há dilatação da veia porta e de veias próximas, como as que vão para estômago e esôfago, formando varizes;

A cirrose inicial, quando o fígado ainda está com sua função preservada, ou seja, filtrando o sangue, produzindo albumina e substâncias necessárias para coagulação do sangue, pode não acarretar sintomas, mas, conforme a doença vai piorando o fígado vai perdendo suas funções, levando à insuficiência hepática, aparecendo vários sintomas gerais como cansaço intenso, perda de apetite, perda de massa muscular, inchaço nas pernas, icterícia.

A icterícia é decorrente do acúmulo de bilirrubina no sangue e deposição na pele, pela redução de sua metabolização e excreção pelo fígado doente, frequentemente causa coceira por irritação das terminações nervosas.

Junto com a icterícia costuma ocorrer fezes claras (hipocolia fecal) e urina escura (colúria). O paciente com doença hepática pode apresentar equimoses (manchas roxas na pele) e sangramentos após pequenos traumas, pela deficiência de fatores de coagulação que são produzidos pelo fígado.

  1. Além da deficiência dos fatores de coagulação, os pacientes com cirrose e hipertensão portal frequentemente apresentam redução das plaquetas, o que também colabora para uma maior dificuldade em coagular o sangue;

Pacientes do sexo masculino com cirrose frequentemente apresentam ginecomastia, que é o desenvolvimento de mamas. As causas ainda não estão bem definidas, mas acredita-se que seja pela elevação nos níveis de estrogênio no sangue, tanto pelo aumento da produção como pela redução da metabolização desse hormônio pelo fígado.

  • Outro fator importante para o surgimento da ginecomastia é o uso do diurético espironolactona para o tratamento da ascite nos pacientes com cirrose, pois esse é um efeito colateral do medicamento;
  • Outros sintomas mais sérios e muito frequentes da doença hepática crônica em fase avançada, quando o fígado se encontra bastante comprometido, são a ascite, a hemorragia digestiva e a encefalopatia hepática;

A ascite é um acúmulo de liquido no abdômen, decorrente tanto do aumento de pressão nos vasos intra-abdominais, como da redução dos níveis de proteína sanguínea pela diminuição na ingestão, decorrente da perda de apetite e da diminuição na produção pelo fígado.

Muitas vezes pode se tornar muito volumosa, com grande aumento do abdômen, causando desconforto, cansaço e falta de ar. A hemorragia digestiva geralmente ocorre pelo rompimento das varizes de esôfago, pode aparecer por vômitos com sangue, ou sangue nas fezes, o doente pode perder grande quantidade de sangue nestes episódios.

O aumento da pressão no sistema digestivo também pode acometer as veias do intestino e do reto, provocando hemorroidas e sangramento anal. Saiba mais: Raiz de alcaçuz protege o fígado A encefalopatia hepática é uma alteração das funções cerebrais decorrentes de acúmulo de toxinas no cérebro.

  1. As substâncias digeridas e absorvidas pelo trato digestivo passam pelo fígado, onde são metabolizadas, ou filtradas, antes de seguir para o resto da circulação sanguínea;
  2. Alguns derivados de proteínas de origem animal, como a amônia, são tóxicos para o cérebro e precisam ser metabolizados pelo fígado, mas na doença avançada muitas vezes não são metabolizados ou não passam pelo fígado, pelo desvio de sangue pela hipertensão portal, dessa forma atingem e se depositam no cérebro causando a encefalopatia;

A encefalopatia hepática pode se manifestar com quadros leves, com letargia, sonolência intensa, alteração no ritmo do sono vigília (ou seja, a pessoa dorme muito durante o dia e fica mais desperta a noite), irritabilidade, dificuldade de concentração, confusão mental e desorientação no tempo e espaço, até quadros mais graves, com redução do nível de consciência e coma.

Qual remédio caseiro para limpar o fígado?

Qual exame detecta inflamação no fígado?

EXAMES DE SANGUE – O Que Significa Dor No Fígado SEMPRE QUE O MÉDICO PRECISA AVALIAR A SAÚDE DO FÍGADO ELE COMEÇA SOLICITANDO UM EXAME DE SANGUE CHAMADO HEPATOGRAMA, QUE AVALIA: AST, ALT, GGT, ALBUMINA, BILIRRUBINA, LACTATO DESIDROGENASE E TEMPO DE PROTROMBINA. ESTES VALORES INDICAM QUANDO ESTE ÓRGÃO ENCONTRA-SE AFETADO, PORQUE ESTES MARCADORES SÃO MUITO SENSÍVEIS. ESTES EXAMES TAMBÉM PODEM SER PEDIDOS QUANDO A PESSOA APRESENTA SINTOMAS DE ENVOLVIMENTO HEPÁTICO COMO PELE AMARELADA, URINA ESCURA, DOR ABDOMINAL OU INCHAÇO NA REGIÃO DO FÍGADO.

Onde é a dor no pâncreas?

Dor – Normalmente a dor surge na parte superior do abdômen e atrás do estômago, do lado esquerdo, debaixo da costela, e a sensação é de ardência. A dor pode ser mais forte depois do paciente ingerir algum alimento , e costuma ser mais intensa se é ingerido alto teor de gordura.

Qual a fruta que faz mal para o fígado?

Quais alimentos inflamam o fígado?

Quem tem problema de fígado pode comer banana?

Vida Saudável 04/09/15, 05:47 Embora não seja um problema muito comentado, a gordura no fígado acomete boa parte da população e precisa da devida atenção para não se agravar. Alguns hábitos ou doenças podem a desencadear, como obesidade, alcoolismo, sedentarismo, diabetes e colesterol alto.

  • O fígado, ao ser “bombardeado” por diversas gorduras ruins, acaba sendo sobrecarregado por elas e, em alguns casos, ganhando até 35% a mais do que seu peso ideal;
  • O importante é saber que a doença é totalmente reversível se for tratada antes de tornar-se cirrose hepática, o segredo é seguir as orientações médicas e nutricionais, buscando uma dieta mais saudável;
You might be interested:  Dor De Cabeça Na Gravidez O Que Pode Ser?

Embora não seja um problema muito comentado, a gordura no fígado acomete boa parte da população e precisa da devida atenção para não se agravar. Alguns hábitos ou doenças podem a desencadear, como obesidade, alcoolismo, sedentarismo, diabetes e colesterol alto. O Que Significa Dor No Fígado Para quem sofre de gordura no fígado e precisa de um tratamento eficaz, é importante seguir o recomendado pelo médico e, com o aval dele, incluir frutas na dieta. Entre elas, o abacate é rico em nutrientes e auxilia o corpo na produção de glutationa, substância essencial para o fígado eliminar suas impurezas. A maçã também ajuda a eliminar as toxinas dos órgãos digestivos, entre eles, o fígado. Assim, durante o processo de limpeza do organismo, ele será capaz de o fazer mais rapidamente e desta forma, melhorando o quanto antes.

  • O fígado, ao ser “bombardeado” por diversas gorduras ruins, acaba sendo sobrecarregado por elas e, em alguns casos, ganhando até 35% a mais do que seu peso ideal;
  • O importante é saber que a doença é totalmente reversível se for tratada antes de tornar-se cirrose hepática, o segredo é seguir as orientações médicas e nutricionais, buscando uma dieta mais saudável;

Lima e limão estimulam o fígado, fazendo os materiais tóxicos serem absorvidos pela água e eliminados pela urina. Ricos em vitamina C, ainda previnem gripes e resfriados, além de aumentarem a imunidade de quem os ingere regularmente através de sucos. O risco da frutose É vital que não se confunda consumir frutas com consumir seus sucos – naturais ou não – para substituí-las.

  1. É indicado que se consuma de 3 a 4 frutas por dia, e todas elas já são naturalmente adoçadas;
  2. O suco da fruta, no entanto, costuma ser composto por 3 frutas e quantidades absurdas de açucares, que em nada beneficiarão o organismo;

Assim, a pessoa as ingere de forma que não será beneficiada, pelo contrário, poderá agravar seu quadro de saúde. Mais dicas para quem sofre de gordura no fígado Para não correr riscos, diminua a quantidade de pães ingeridos no café da manhã, e substitua alguns deles por frutas como maçã, banana, mamão ou abacate.

Como identificar dor no fígado em um paciente em consultório?

Qual o lado que fica o fígado?

FUNÇÕES HEPÁTICAS – Drauzio — Para que serve o fígado além de levar a culpa quando se come ou bebe demais? Luís Caetano da Silva – O fígado, que se localiza do lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo. Pesa em torno de um mil e trezentos a um mil e quinhentos gramas no homem e um pouco menos (aproximadamente duzentos gramas menos) nas mulheres.

  1. Ele é constituído por milhões de células, como se fossem milhões de tijolinhos agrupados;
  2. Cada célula representa uma micro-indústria e desempenha uma função específica, essencial para o equilíbrio do organismo;

Drauzio – Quais as principais funções do fígado? Luís Caetano da Silva – O fígado é um órgão de funções múltiplas e fundamentais para o funcionamento do organismo. Entre elas, destacam-se: a) Secretar a bile A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600ml a 900ml por dia.

  1. Num primeiro momento, ela se concentra na vesícula e depois é enviada para o intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das gorduras;
  2. Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica prejudicado; b) Armazenar glicose A glicose extraída do bolo alimentar é armazenada no fígado sob a forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário;

Nesse caso, as células hepáticas funcionam como um reservatório de combustível. Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não houvesse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o suprimento de energia.

Doenças hepáticas em fase avançada provocam a perda dessa capacidade e prejudicam o fornecimento de glicose; c) Produzir proteínas nobres Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação.

É a propriedade osmótica ou oncótica. Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias, extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. Além dessa, a albumina tem outra função curiosa.

Serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas. A falta de albumina não é a única explicação para o inchaço característico dos alcoólicos.

Na cirrose , por exemplo, doença comum nos usuários de álcool, os rins retêm água e sódio o que também ajuda a produzir inchaço. É importante, ainda, mencionar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a probabilidade de sangramentos abundantes, que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas; d) Desintoxicar o organismo O fígado tem a capacidade de transformar hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los; e) Sintetizar o colesterol No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile; f) Filtrar microorganismos Há uma extensa rede de defesa imunológica no fígado.

Além das células hepáticas, existem inúmeros “tijolinhos” responsáveis por segurar bactérias ou outros micro-organismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a infecções; g) Transformar amônia em ureia O fígado é um órgão privilegiado.

Tem uma artéria e uma veia de entrada e uma veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por 75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias importantes, como as vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia produzida no intestino e derivada especialmente de proteínas animais para ser transformada em ureia.

  1. Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro, provocando, no início, alterações neuropsíquicas (mudanças de comportamento, esquecimento, insônia, sonolência) e, depois, pré-coma ou coma;

Drauzio – Por que o fígado sangra muito? Luís Caetano da Silva — O fígado é um órgão embebido em sangue. Por ele passam um litro e duzentos ou um litro e meio de sangue por minuto. Esse sangue sai pelas veias supra-hepáticas e vai para o coração. Se o coração, que é nossa bomba, estiver com problemas, o sangue será retido no fígado que aumentará de tamanho.

0
Adblock
detector