O Que É Dor No Fígado?

O Que É Dor No Fígado
A dor no fígado é uma dor localizada na região superior direita do abdômen e pode ser sinal de doenças como infecções, obesidade, colesterol ou câncer ou pode acontecer devido à exposição a substâncias tóxicas como álcool, detergentes ou mesmo medicamentos.

Como saber se estou com dor no fígado?

O que acontece quando o fígado está inflamado?

Não somente a hepatite causa problemas no fígado, outras condições também comprometem o funcionamento do órgão. 1 – HEPATITE É a inflamação do fígado, em geral é causada pelos vírus das hepatites A, B, C e D, mas também pode ter causas não infecciosas, como abuso de bebidas alcoólicas, doença auto-imune, uso de drogas, medicamentos, reações alérgicas, obesidade, etc.

  • 2 – CIRROSE A inflamação do fígado por qualquer causa se permanecer durante um longo período de tempo causa o que é chamado cientificamente de “cicatrizes”, (cirrose);
  • É normal um fígado cirrótico ficar endurecido e diminuído de tamanho;

A cirrose avançada torna o fígado incapaz de funcionar. 3 – CÂNCER DE FÍGADO O tipo mais comum é chamado de “carcinoma hepato celular” e em geral se desenvolve após a cirrose, mas em alguns casos, como nos infectados com hepatite B o câncer pode aparecer em fígados ainda sem cirrose.

4 – INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA O fígado pode perder suas funções, o que é chamado de insuficiência hepática. Ocasionada por muitas causas, incluindo infecções por vírus, consumo excessivo de álcool, doenças genéticas e doenças auto-imunes.

5 – ASCITE Uma das consequências da cirrose é a descompensação. O primeiro sintoma que aparece é a ascite, quando existe acumulação de fluido no espaço entre os tecidos que revestem o abdome o qual se torna distendido e pesado. 6 – CÁLCULOS BILIARES Quando um cálculo biliar fica preso no ducto que faz a drenagem biliar pode acontecer uma infecção no ducto.

  • Tratada a infecção a seguir é retirada a vesícula biliar;
  • 7 – HEMOCROMATOSE Quando o ferro se deposita em excesso no fígado o quadro é chamado de hemocromatose, prejudicando o órgão;
  • O ferro também pode se depositar em o corpo todo, causando vários outros problemas de saúde;

8 – COLANGITE ESCLEROSANTE PRIMÁRIA Doença rara, com causas ainda desconhecidas, provocando inflamação e cicatrizes nos ductos biliares do fígado. 9 – CIRROSE BILIAR PRIMARIA Também um distúrbio raro que destrói lentamente os ductos biliares do fígado. Desenvolve-se eventualmente em fígados com cirrose.

O que fazer para aliviar a dor no fígado?

Uma boa forma de melhorar o fígado atacado é tomar chá de boldo ou suco de melão e hortelã, por exemplo, pois possuem propriedades anti-inflamatórias, antiespasmódicas, antioxidantes e protetoras do fígado, ajudando a aliviar os sintomas de dor do lado direito da barriga, má digestão, boca amarga ou barriga inchada.

O fígado é um órgão sensível que pode ficar atacado, especialmente quando há excessos alimentares, como tomar grandes doses de bebidas alcoólicas ou comer comidas pesadas e gordurosas, como churrasco, rabada, hambúrguer, cachorro quente, batata frita e refrigerantes, por exemplo.

Esses chás e sucos podem ajudar a aliviar o fígado atacado, no entanto, se não ocorrer melhora em 2 dias, o aconselhado é consultar o hepatologista para que possa ser iniciado tratamento com remédios, caso necessário.

Quais são os principais sintomas de problema no fígado?

Sintomas de doenças hepáticas – A maioria dos problemas no fígado apresentam sintomas similares, já que, mesmo que tenham origens distintas, essas doenças comprometem as mesmas funções do órgão. Os sintomas aqui listados podem ter outras origens, e não necessariamente indicam doenças hepáticas. Mas é importante procurar um médico diante do aparecimento de qualquer desses sintomas:

  • Icterícia : tom amarelado nos olhos e na pele.
  • Ascite : acúmulo de líquidos dentro da cavidade abdominal, conhecido popularmente como barriga d’água.
  • Sangramento digestivo e quadro súbito de vômitos hemorrágicos.
  • Encefalopatia : alteração de funções cerebrais básicas, que podem causar letargia, irritabilidade, dificuldade de concentração, redução do nível de consciência e coma.
  • Ginecomastia : desenvolvimento de mamas nos homens
  • Telangiectasias : lesões vasculares conhecidas como aranhas vasculares. São mais frequentemente encontradas no tronco, face e braços.
  • Dor ou inchaço na parte superior direita do abdômen, abaixo das costelas.

Mas, muito antes do aparecimento desses sintomas, o seu corpo pode dar sinais sugestivos de um início de problemas no fígado, dentre eles:

  • Coceira no corpo
  • Cansaço ou desânimo
  • Enjoos após as refeições
  • Tontura, dor de cabeça, febre, suor excessivo, dificuldade de concentração
  • Vermelhidão na palma da mão e aparecimento de manchas roxas na pele
  • Fezes mais claras
  • Sangramentos pelo nariz
  • Sangramento anormal após traumas de pequena intensidade
  • Boca seca, gosto amargo na boca
  • Constipação ou diarreia
  • Ganho ou perda de peso excessivo e sem motivo

Esses sinais são inespecíficos, podendo ser simplesmente resultado de alterações em sua rotina ou hábitos alimentares. Sempre  procure o seu médico se você apresenta um grande número de sintoma ao mesmo tempo, se alguns deles acontecem com frequência ou se persistem por muito tempo.

O que pode causar dor no fígado?

A dor no fígado é uma dor localizada na região superior direita do abdômen e pode ser sinal de doenças como infecções, obesidade, colesterol ou câncer ou pode acontecer devido à exposição a substâncias tóxicas como álcool, detergentes ou mesmo medicamentos.

Como começa o câncer no fígado?

O câncer no fígado pode ser primário, ou seja, quando surge diretamente no fígado, ou pode ser secundário, por metástase ou disseminação do câncer de outros órgãos, como pulmões, estômago, intestino ou mama, por exemplo.

You might be interested:  Dor Na Cabeca Quando Abaixo?

O que não pode comer quando o fígado está inflamado?

Qual o melhor remédio para limpar o fígado?

Um ótimo remédio caseiro para tratar problemas do fígado é chá de boldo pois tem propriedades que melhoram o funcionamento do órgão. No entanto, outra opção é escolher a infusão de alcachofra e de jurubeba, que é uma planta com excelentes propriedades digestivas, que facilitam a digestão e protegem o fígado.

Onde é a dor no pâncreas?

Dor – Normalmente a dor surge na parte superior do abdômen e atrás do estômago, do lado esquerdo, debaixo da costela, e a sensação é de ardência. A dor pode ser mais forte depois do paciente ingerir algum alimento , e costuma ser mais intensa se é ingerido alto teor de gordura.

Qual o lado que fica o fígado?

FUNÇÕES HEPÁTICAS – Drauzio — Para que serve o fígado além de levar a culpa quando se come ou bebe demais? Luís Caetano da Silva – O fígado, que se localiza do lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo. Pesa em torno de um mil e trezentos a um mil e quinhentos gramas no homem e um pouco menos (aproximadamente duzentos gramas menos) nas mulheres.

  1. Ele é constituído por milhões de células, como se fossem milhões de tijolinhos agrupados;
  2. Cada célula representa uma micro-indústria e desempenha uma função específica, essencial para o equilíbrio do organismo;

Drauzio – Quais as principais funções do fígado? Luís Caetano da Silva – O fígado é um órgão de funções múltiplas e fundamentais para o funcionamento do organismo. Entre elas, destacam-se: a) Secretar a bile A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600ml a 900ml por dia.

Num primeiro momento, ela se concentra na vesícula e depois é enviada para o intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das gorduras. Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica prejudicado; b) Armazenar glicose A glicose extraída do bolo alimentar é armazenada no fígado sob a forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário.

Nesse caso, as células hepáticas funcionam como um reservatório de combustível. Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não houvesse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o suprimento de energia.

Doenças hepáticas em fase avançada provocam a perda dessa capacidade e prejudicam o fornecimento de glicose; c) Produzir proteínas nobres Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação.

É a propriedade osmótica ou oncótica. Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias, extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. Além dessa, a albumina tem outra função curiosa.

  • Serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas;
  • A falta de albumina não é a única explicação para o inchaço característico dos alcoólicos;

Na cirrose , por exemplo, doença comum nos usuários de álcool, os rins retêm água e sódio o que também ajuda a produzir inchaço. É importante, ainda, mencionar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a probabilidade de sangramentos abundantes, que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas; d) Desintoxicar o organismo O fígado tem a capacidade de transformar hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los; e) Sintetizar o colesterol No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile; f) Filtrar microorganismos Há uma extensa rede de defesa imunológica no fígado.

Além das células hepáticas, existem inúmeros “tijolinhos” responsáveis por segurar bactérias ou outros micro-organismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a infecções; g) Transformar amônia em ureia O fígado é um órgão privilegiado.

Tem uma artéria e uma veia de entrada e uma veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por 75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias importantes, como as vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia produzida no intestino e derivada especialmente de proteínas animais para ser transformada em ureia.

  1. Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro, provocando, no início, alterações neuropsíquicas (mudanças de comportamento, esquecimento, insônia, sonolência) e, depois, pré-coma ou coma;

Drauzio – Por que o fígado sangra muito? Luís Caetano da Silva — O fígado é um órgão embebido em sangue. Por ele passam um litro e duzentos ou um litro e meio de sangue por minuto. Esse sangue sai pelas veias supra-hepáticas e vai para o coração. Se o coração, que é nossa bomba, estiver com problemas, o sangue será retido no fígado que aumentará de tamanho.

Quanto tempo leva para o fígado se recuperar?

Um dos órgãos mais complexos do corpo humano é o fígado. São conhecidas pelo menos cinco mil funções para esse órgão, que compreendem a captação de substâncias, síntese, metabolismo e coagulação do sangue, consideradas indispensáveis à vida. Não é de se admirar, portanto, que pessoas enfrentem sérias dificuldades quando perdem parte do fígado em intervenções cirúrgicas.

  • Sua situação pode melhorar em futuro próximo;
  • Uma equipe multidisciplinar da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto está realizando pesquisas sobre maneiras de estimular a regeneração do fígado a partir da parte restante do órgão;

A primeira parte do estudo, envolvendo trabalhos de laboratório em ratos, terminou com muito sucesso. A partir do ano que vem, provavelmente, começam os testes em seres humanos, no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. “Os resultados são extremamente animadores”, diz o professor Orlando de Castro e Silva Júnior, do Departamento de Cirurgia, Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto, coordenador da equipe, que envolve ainda os departamentos de Farmacologia e Patologia da própria faculdade e o Instituto de Física de USP de São Carlos.

You might be interested:  O Que Causa Dor Nos Nervos?

Os pesquisadores conseguiram comprovar que é possível estimular a regeneração hepática em animais de laboratório, tanto com o uso de luz laser de baixa potência como com o uso de algumas substâncias químicas.

As perspectivas são de que os métodos tenham sucesso também em seres humanos, abreviando o período de tratamento e a volta às atividades normais depois da operação. O início dos testes em seres humanos depende agora da aprovação dos métodos a serem aplicados, pela comissão de ética do Hospital das Clínicas.

Essa é uma praxe em experiências como esta, que ainda não fazem parte da literatura médica internacional. Os pacientes serão, principalmente, pessoas que têm parte do fígado extraída devido a vários fatores, como tumores irreversíveis.

As experiências, iniciadas há três anos, contaram com um investimento de R$ 369,7 mil da FAPESP, dentro do projeto temático  Transplante Experimental de Fígado e Regeneração Hepática , coordenado pelo professor Castro e Silva. Quarta parte “Conseguir acelerar a regeneração do fígado é fundamental”, diz o médico sobre os pacientes submetidos a esse tipo de cirurgia.

“Com isso, proporcionamos ao fígado remanescente melhores condições de adaptação ao organismo e melhor recuperação do paciente”, acrescenta. Há casos em que os médicos tiram até 75% do fígado do paciente.

O restante, a quarta parte do órgão, é capaz de regenerar-se, se estiver em boas condições. Gradualmente, o fígado volta a exercer todas as suas funções. A fase crítica ocorre nos primeiros dias depois da operação. Mesmo com um acompanhamento médico intensivo, o paciente sofre bastante.

  • A mudança que ocorre no metabolismo de captação e excreção gera um desconforto muito forte;
  • Se for possível acelerar essa regeneração, o paciente vai passar mais depressa por essa fase;
  • Além de ter o desconforto aliviado, ficará menos tempo internado e terá a recuperação abreviada;

Problema social O problema não é raro. As doenças do fígado estão entre as mais graves e as de tratamento mais difícil. Dos casos de hepatite B, entre 5 e 10% evoluem para uma hepatite crônica ou uma cirrose hepática, doença que pode levar à morte. Entre os casos de hepatite C, a maioria apresenta uma infecção persistente e evolui para se transformar numa doença crônica do fígado.

  • Uma boa parte das cirroses tem origem no consumo exagerado de bebidas alcoólicas;
  • “A cirrose por álcool tem elevada prevalência em nosso meio”, diz o professor Castro e Silva;
  • “Isso mostra como o alcoolismo é um grave problema social;

” Entre os tumores que atacam o fígado, o de maior incidência parece ser o carcinoma hepatocelular. Nos países ocidentais, ela é de uma em cada 100 mil pessoas. Entre 80 e 90% dos casos de tumores hepáticos primários, ele se instala quando o fígado já está comprometido por outros problemas, especialmente as cirroses provocadas pelos vírus dos tipos B e C (o tipo A é considerado benigno).

  1. Se não for tratado convenientemente, a mortalidade é muito alta, chegando a 35% em um ano, 80% em dois anos e 95% em três anos;
  2. Atualmente, as ressecções parciais do fígado cirrótico para tratamento desses tumores primários não podem ser maiores de 15%;

O remanescente cirrótico não tem o mesmo poder de regeneração que o normal. “Com o laser, estamos tentando verificar a possibilidade de ressecções maiores em fígados cirróticos, com tumor, visando melhores índices de ressecabilidade de tumores”, afirma o cirurgião.

Capacidade natural No trabalho de recuperação do fígado depois que parte dele é extraído numa cirurgia, os médicos contam com um ponto valioso. O órgão tem, naturalmente, a capacidade de regenerar-se, apesar da sua complexa estrutura, que ostenta sete diferentes tipos de células e uma dupla irrigação sanguínea.

O objetivo da equipe de Ribeirão Preto é acelerar essa regeneração. Para isso, partiu de muito pouco. “Não havia na literatura nenhuma descrição de como regenerar o fígado”, diz o professor Castro e Silva. “Foi um verdadeiro achado verificar que o raio laser pode colaborar para essa regeneração”, acrescenta.

Em circunstâncias comuns, o fígado leva cerca de seis meses para voltar ao peso normal depois que parte dele é extraída numa cirurgia, de acordo com avaliações feitas por exames de tomografia computadorizada e ressonância magnética.

Também foram testadas com sucesso substâncias farmacológicas. Nos testes com ratos, a equipe da USP de Ribeirão Preto conseguiu multiplicar por dez a regeneração do fígado 24 horas depois da operação, em 70% dos casos, com o uso da droga bradicinina. Os pesquisadores ainda não têm resposta sobre o porquê desses resultados.

Outra droga, a substância P, usada em várias aplicações pelo Departamento de Farmacologia da USP de Ribeirão Preto, obteve amplitudes menores de regeneração. Mas os resultados de sua aplicação foram considerados animadores, especialmente porque antecipou o pico de regeneração de 24 para 17 horas.

A aplicação do laser mostrou-se menos eficiente – apenas duplicou a capacidade de regeneração. Mesmo assim, o resultado foi considerado positivo e merecedor de ser incluído no prosseguimento dos estudos. Os pesquisadores descobriram que o comprimento de onda correspondente à cor azul foi o que melhor estimulou a regeneração hepática.

Houve um cuidado especial com relação à intensidade da luz, uma vez que existe o risco de uma aplicação muito forte causar danos celulares. A conclusão é a de que uma aplicação de até 1000 mw por centímetro quadrado de tecido não causa danos às células.

Pontos específicos Um aspecto muito importante, mas que ainda intriga os pesquisadores, é o de que o fígado remanescente responde positivamente ao estímulo dos raios laser seja qual for a área bombardeada. Trata-se de uma enorme vantagem, pois há pontos do fígado nos quais, pela sua localização, o bombardeio específico seria extremamente difícil.

De qualquer maneira, os médicos vão tentar descobrir agora se existem pontos no fígado onde a ação do laser pode mostrar-se mais eficaz do que em outros. Outro aspecto do projeto que vai começar brevemente é verificar se o fígado consegue regenerar-se, se for submetido ao tratamento com raios laser, mesmo se sofrer uma ressecção de até 90%.

Trata-se de uma experiência muito importante para os casos de insuficiência hepática aguda. Há casos em que o paciente entra no hospital com uma hepatite aguda fulminante. Sua única esperança é um transplante, o mais rapidamente possível. “A hipótese é que poderíamos irradiar o fígado nessas condições ou para reverter a situação ou melhorar as condições do doente, dando-lhe a chance de esperar, em melhores condições clínicas, a chegada de um órgão para transplante”, diz Castro e Silva.

Há mais. Durante as pesquisas, a equipe de Ribeirão Preto descobriu que o lisinopril, nome genérico de um hipertensivo, também acelera a regeneração hepática. Isso abre importantes perspectivas. É comum que os pacientes de operações no fígado desenvolvam, no pós-operatório, níveis variáveis de hipertensão arterial.

Só isso já justificaria o uso do lisinopril. Se a droga também acelerar a regeneração do fígado, o tratamento mataria dois coelhos com uma só cajadada. Funcionou nos animais de laboratório, mas a equipe quer fazer ainda mais experiências, antes do início dos testes em seres humanos, no ano que vem.

“Temos que ser cautelosos antes do uso clínico”, diz o professor Castro e Silva. “Precisamos ter a comprovação definitiva dos graus de eficiência dos diversos métodos”, acrescenta. De qualquer maneira, os testes iniciais apontam para um progresso muito grande, em futuro não muito distante, para um problema muito sério da medicina atual.

Perfil Orlando de Castro e Silva Jr. , 46 anos, é cirurgião responsável pelo Setor de Cirurgia Hepática da Disciplina de Gastroenterologia do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, coordenador do Núcleo de Pesquisas em Hepatologia Cirúrgica e do curso de Pós-Graduação da área de Cirurgia.

You might be interested:  Dor Quando O Bebe Mexe?

O que fazer para limpar o fígado?

Qual o lado que fica o fígado?

FUNÇÕES HEPÁTICAS – Drauzio — Para que serve o fígado além de levar a culpa quando se come ou bebe demais? Luís Caetano da Silva – O fígado, que se localiza do lado direito do abdômen, é a maior glândula do organismo. Pesa em torno de um mil e trezentos a um mil e quinhentos gramas no homem e um pouco menos (aproximadamente duzentos gramas menos) nas mulheres.

  1. Ele é constituído por milhões de células, como se fossem milhões de tijolinhos agrupados;
  2. Cada célula representa uma micro-indústria e desempenha uma função específica, essencial para o equilíbrio do organismo;

Drauzio – Quais as principais funções do fígado? Luís Caetano da Silva – O fígado é um órgão de funções múltiplas e fundamentais para o funcionamento do organismo. Entre elas, destacam-se: a) Secretar a bile A bile é produzida pelo fígado em grande quantidade, de 600ml a 900ml por dia.

  • Num primeiro momento, ela se concentra na vesícula e depois é enviada para o intestino, onde funciona como detergente e auxilia na dissolução e aproveitamento das gorduras;
  • Por isso, quando os canais da bile entopem, o metabolismo das gorduras fica prejudicado; b) Armazenar glicose A glicose extraída do bolo alimentar é armazenada no fígado sob a forma de glicogênio, que será posto à disposição do organismo conforme seja necessário;

Nesse caso, as células hepáticas funcionam como um reservatório de combustível. Quando o cérebro, o músculo do coração, os músculos esqueléticos ou qualquer outra parte do corpo precisam de energia, a glicose é enviada para a circulação. Se não houvesse esse sistema de estocagem, teríamos de comer o tempo todo para garantir o suprimento de energia.

  1. Doenças hepáticas em fase avançada provocam a perda dessa capacidade e prejudicam o fornecimento de glicose; c) Produzir proteínas nobres Entre elas, destaca-se a albumina, uma substância muito importante para o organismo, porque mantém a água dentro da circulação;

É a propriedade osmótica ou oncótica. Quando a produção de albumina diminui, a água escapa das veias, extravasa para os tecidos que estão debaixo da pele e produz inchaço, ou seja, edemas nas pernas, barriga d’água (ascite), etc. Além dessa, a albumina tem outra função curiosa.

Serve de meio de transporte, na corrente sanguínea, para outras substâncias, como hormônios, pigmentos e drogas. A falta de albumina não é a única explicação para o inchaço característico dos alcoólicos.

Na cirrose , por exemplo, doença comum nos usuários de álcool, os rins retêm água e sódio o que também ajuda a produzir inchaço. É importante, ainda, mencionar as proteínas ligadas ao processo de coagulação do sangue. Se o fígado não está trabalhando bem, o nível dessas substâncias baixa e aumenta a probabilidade de sangramentos abundantes, que podem ser provocados por ferimentos ou ocorrer espontaneamente pelo nariz (epistaxe), pelas gengivas, pela urina ou em menstruações exageradas; d) Desintoxicar o organismo O fígado tem a capacidade de transformar hormônios ou drogas em substâncias não ativas para que o organismo possa excretá-los; e) Sintetizar o colesterol No fígado, o colesterol é metabolizado e excretado pela bile; f) Filtrar microorganismos Há uma extensa rede de defesa imunológica no fígado.

Além das células hepáticas, existem inúmeros “tijolinhos” responsáveis por segurar bactérias ou outros micro-organismos que transmitem infecções. Algumas doenças hepáticas, a cirrose, por exemplo, interferem nesse processo e tornam os indivíduos mais vulneráveis a infecções; g) Transformar amônia em ureia O fígado é um órgão privilegiado.

Tem uma artéria e uma veia de entrada e uma veia de saída. A veia de entrada recebe o nome curioso de “veia porta” e é responsável por 75% do sangue que chega ao fígado, levando consigo substâncias importantes, como as vitaminas e as proteínas. No entanto, por ela chega também a amônia produzida no intestino e derivada especialmente de proteínas animais para ser transformada em ureia.

Se o órgão estiver lesado, a amônia passará direto para a circulação e alcançará o cérebro, provocando, no início, alterações neuropsíquicas (mudanças de comportamento, esquecimento, insônia, sonolência) e, depois, pré-coma ou coma.

Drauzio – Por que o fígado sangra muito? Luís Caetano da Silva — O fígado é um órgão embebido em sangue. Por ele passam um litro e duzentos ou um litro e meio de sangue por minuto. Esse sangue sai pelas veias supra-hepáticas e vai para o coração. Se o coração, que é nossa bomba, estiver com problemas, o sangue será retido no fígado que aumentará de tamanho.

Quais os sintomas de fígado aumentado?

Quais os sintomas de problemas no fígado e vesícula?

Doenças do Fígado: Sintomas e causas (parte 1)

0
Adblock
detector