O Que É Dor De Cabeça Com Aura?

O Que É Dor De Cabeça Com Aura
A enxaqueca com aura é uma doença neurológica que se manifesta por crises de enxaqueca precedidas de sintomas visuais ou sensitivos. Cerca de 20% das pessoas com enxaqueca apresentam aura. O nome aura refere-se justamente às sensações que você observa um pouco antes da dor de cabeça começar.

Esses sintomas iniciais são também chamados de um pródromo. A aura pode durar poucos minutos ou até uma hora, seguidos da dor de cabeça muito forte. Os cientistas não têm certeza do que causa a enxaqueca com aura.

Sabe-se que frente a determinadas situações o cérebro para de funcionar em um ponto e em outros, diminuição da atividade elétrica. Esse fenômeno é chamado de depressão alastrante cortical, e acontece quando os neurônios iniciam uma atividade disparada, gastando muita energia e demandando muito fluxo sanguíneo.

No momento seguinte, quando a atividade cerebral para, os neurônios precisam de sangue. Essa sequência de intenso funcionamento de alguns pontos do córtex cerebral, seguido de baixa atividade, podem causar a aura em si, já que o alto e baixo fluxo sanguíneo cerebral pode causar como efeito colateral os sintomas físicos e sensitivos comuns na exaqueca com aura.

A dor de cabeça sentida pelos pacientes também não possui uma explicação certa, mas acredita-se que pelo menos duas substâncias químicas do cérebro – a serotonina e a dopamina – desempenhem um papel determinante no aparecimento da enxaqueca com aura e da cefaleia como um todo. No geral, a enxaqueca com aura acontece por predisposição genética, mas existem vários fatores desencadeantes: Saiba mais: A dieta pode contribuir pra curar enxaqueca?

  • Queijos amarelos envelhecidos
  • Frutas cítricas (principalmente laranja, limão, abacaxi e pêssego)
  • Banana (principalmente d’água)
  • Linguiças
  • Salsichas e alimentos de coloração avermelhada, em conserva
  • Frituras e gorduras
  • Chocolates
  • Café , chás e refrigerantes à base de cola
  • Aspartame (adoçante artificial)
  • Glutamato monossódico (tipo de sal usado como intensificador de sabor, principalmente em comida chinesa)
  • Vinho (principalmente o tinto)
  • Cervejas e chope.
  • Ficar mais de cinco horas seguidas sem se alimentar
  • Dormir mais ou menos do que o de costume.
  • Entrada em ambientes frios, estando antes em ambiente quente e vice-versa
  • Ingestão de líquidos gelados com o organismo aquecido ou suando muito.
  • É muito comum mulheres portadoras de enxaqueca apresentarem dor nas fases pré, durante ou após a menstruação , devido à queda do hormônio estrógeno
  • Muitas mulheres têm as crises pioradas a partir do momento que iniciam o uso de anticoncepcionais orais, também por conta do estrógeno
  • Na menopausa, muitas mulheres melhoram espontaneamente e voltam a piorar quando iniciam a reposição hormonal.

No entanto, algumas pessoas não possuem qualquer desencadeante específico para a enxaqueca com aura. Mas seja qual for a causa, a boa notícia é que a enxaqueca com aura não é fatal. A manifestação mais comum da enxaqueca com aura é a chamada aura visual, que pode se apresentar como flashes de luz, manchas escuras em forma de mosaico ou imagens brilhantes em ziguezague – como quando estamos andando em uma estrada e vemos aquele ziguezague de calor que emana do chão.

  • Outra teoria envolve os vasos sanguíneos do cérebro, que contraírem em demasia ocasionam a enxaqueca;
  • Em outros casos, a enxaqueca com aura pode se manifestar como dormências ou formigamentos em apenas um lado do corpo – dependendo da gravidade da enxaqueca com aura, a pessoa pode começar com um formigamento em uma das mãos e ele se espalhar por todo o lado do corpo, chegando a adormecer apenas metade da língua;

No entanto, essas manifestações sensitivas da enxaqueca com aura são mais raras. Geralmente, a aura começa cerca de 30 minutos antes da enxaqueca, podendo persistir ou não depois que a dor começa. Saiba mais: Saiba o que fazer durante uma crise de enxaqueca A dor de cabeça é considerada o sintoma comum a todos os tipos de enxaqueca – embora algumas crianças experimentem a aura sem dor de cabeça. Outros sintomas da enxaqueca com aura incluem:

  • Náusea
  • Vômitos
  • Bocejos
  • Irritabilidade
  • Pressão arterial baixa
  • Sensibilidade à luz, sons ou movimento
  • Círculos escuros sob os olhos. Calafrios
  • Aumento da micção
  • Fadiga
  • Perda de apetite
  • Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras
  • Sensibilidade à luz ou ao som
  • Transpiração excessiva.

Pacientes que tem enxaqueca com aura podem sentir alguns sintomas mesmo depois de cessada a dor de cabeça. Eles podem incluir:

  • Sentir que está lento mentalmente, como se seu raciocínio não fosse claro ou preciso
  • Maior necessidade de sono
  • Dor no pescoço

O diagnóstico de enxaqueca com aura é basicamente clínico. O médico neurologista fará perguntas como:

  • Você sente dor em qual lado da cabeça?
  • Quais os sintomas relacionados à dor?
  • Qual a duração desses sintomas?
  • Eles acontecem em ambos os lados do corpo?
  • Se foram sintomas visuais, eles acontecem em ambos os olhos?
  • Algum desses sintomas aparece antes de a dor começar?.

Seu médico pode querer ter certeza de que não existem outras causas para sua enxaqueca com aura. Assim, é provável que ele faça exames físicos e neurológicos. Além disso, o médico irá perguntar sobre seu histórico familiar, incluindo questões como:

  • Os outros membros da família têm enxaqueca ou outros tipos de dores de cabeça?
  • Você tem alguma alergia?
  • Você tem uma rotina estressante?
  • Você usa medicamentos como pílulas anticoncepcionais ou vasodilatadores?
  • Sua enxaqueca começa depois que você faz muito esforço, ou após tossir ou espirrar?.

Seu médico também pode solicitar os seguintes exames:

  • Exames de sangue
  • Tomografia computadorizada
  • Raio-x
  • Ressonância magnética.

Antes de iniciar o tratamento para enxaqueca com aura, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual o fator desencadeante da enxaqueca com aura. No geral, o melhor é evitar esses desencadeantes e tomar o medicamento indicado pelo médico quando uma crise aparecer. Os medicamentos para enxaqueca com aura incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, derivados da ergotamina, anti-histamínicos e anticonvulsivantes.

  1. A dor da enxaqueca com aura ocorre geralmente na parte frontal da cabeça, de um ou ambos os lados das têmporas;
  2. Ela pode ser estável ou pulsátil;
  3. A dor de cabeça da enxaqueca com aura pode durar de quatro a 72 horas;

A indicação, no entanto, dependerá de cada caso. Além dos medicamentos para enxaqueca com aura e cuidados no momento da crise, você pode adotar alguns hábitos que ajudam a prevenir a enxaqueca com aura:

  • Manter um diário da enxaqueca com aura: isso pode ajudar a identificar qualquer coisa que possa desencadear enxaquecas com aura. Inclua no diário a data e a hora da enxaqueca com aura, todos os alimentos que você comeu, atividades que você participou e medicamentos ingeridos
  • Evite alimentos desencadeantes
  • Evite medicamentos desencadeantes
  • Fique atento aos gatilhos psicológicos, como estresse e ansiedade
  • Evite fatores ambientais, como luzes piscando e mudanças na pressão do ar ou altitude.

Durante uma crise de enxaqueca com aura, siga essas recomendações: Saiba mais: Biofeedback trata enxaqueca e transtornos mentais

  • Tome o medicamento: pessoas que tem enxaqueca com aura frequente devem sempre andar com seus medicamentos. Isso porque algum tempo após a dor de cabeça se iniciar, ocorre um processo de sensibilização central, que mantém a dor e a torna mais rebelde aos analgésicos
  • Entenda o que alivia a sua dor: como os desencadeantes da enxaqueca com aura são diferentes para cada um, a forma de aliviar essa dor também varia. Alguns dos tratamentos não medicamentosos mais comuns incluem compressas quentes ou frias, massagens, terapia de biofeedback, homeopatia e acupuntura
  • Trate os sintomas separadamente: como o analgésico trata apenas a dor da enxaqueca com aura, os outros sintomas devem ser tratados de forma tópica. Esse cuidado é redobrado com aqueles que sofrem com vômitos, pois ele pode golfar os analgésicos, precisando ir ao pronto socorro para receber drogas injetáveis
  • Descanse em um local escuro e silencioso: durante uma crise de enxaqueca com aura, o paciente não suporta ambientes barulhentos e com muita luz. Por isso, o ideal é se sentar o deitar – o que for mais confortável – em um local com pouca luz e sem barulhos, evitando ao máximo conversas e atividades que o tirem do repouso
  • Faça refeições leves e hidrate-se: beba muito líquido para se manter hidratado, tanto água quanto soluções hidratantes disponíveis no mercado. Caso haja vômito, o melhor é não ingerir alimentos sólidos e, em casos graves, procurar um pronto atendimento para receber medicações injetáveis mais potentes.

Enxaqueca com aura é uma doença muito benigna, quando feito o diagnóstico correto. A complicação maior da enxaqueca com aura e da enxaqueca comum é que ela aumenta o risco de infarto. A enxaqueca com aura também pode se tornar mais frequente com o tempo, se tornando quase diária. Mulheres abaixo dos 35 anos que usam anticoncepcionais e possuem enxaqueca com aura não devem fumar, ou então cessar o uso do anticoncepcional.

O que causa dor de cabeça com aura?

Quais as causas da enxaqueca com aura? – Não se sabe, exatamente, quais são as causas da enxaqueca com aura. Alguns estudos indicam que o surgimento dessas luzes e das chamadas “auras” antes da dor de cabeça podem ser indicadores da hiperestimulação de alguns neurônios, que acontece por conta da dor. Entre eles, podemos destacar:

  • alterações hormonais;
  • fatores emocionais;
  • desidratação;
  • abuso de bebidas alcoólicas;
  • estimulação sensorial excessiva, com exposição a cheiros fortes, sons altos e luzes brilhantes, por exemplo.

Quais sintomas de aura?

Sensação Física – Para algumas pessoas, as auras envolvem sensações físicas, como formigamento, dormência e tontura. Essas sensações podem começar em um lado do corpo antes de se espalhar lentamente para outras áreas. Vença a dor de cabeça de uma vez por todas Tem dores de cabeça frequentes que não passam nem com ajuda de remédios? Não perca tempo, agende uma consulta na Clínica Regenerati As sensações físicas podem incluir:

  • Sensação de alfinetes e agulhas nos braços e nas pernas;
  • Dormência ou formigamento;
  • Tontura;
  • Vertigem (tontura giratória);
  • Fraqueza muscular de um lado.

Quais os riscos da enxaqueca com aura?

Pessoas que apresentam enxaqueca com aura (distúrbios visuais e sensoriais) têm maior chance de morrer prematuramente de doença do coração, de acidente vascular cerebral (AVC) e de outras causas, de acordo com estudo divulgado pela publicação British Medical Journal.

O que causa aura visual?

Enxaqueca com aura é perigosa? – Dr. Paulo Faro Neurologista

A aura é causada por uma onda de depressão cortical (onda transitória de despolarização neuronal do córtex) mas não existe uma explicação fisiopatológica para a heterogeneidade dos sintomas visuais.

Qual o melhor remédio para enxaqueca com aura?

A enxaqueca com aura é uma alteração da visão que leva ao aparecimento de pequenos pontos luminosos ou embaçamento dos limites do campo de visão, que pode durar de 15 a 60 minutos, e que é seguida por uma dor de cabeça muito forte e constante. Além da dor de cabeça e das sensações visuais, a enxaqueca com aura pode ainda resultar em alterações sensitivas, transpiração excessiva, náuseas e dificuldade para falar, por exemplo.

A enxaqueca com aura não tem causa definida, e, portanto, não possui um tratamento específico, mas normalmente são indicados medicamentos que aliviam os sintomas e reduzem a dor de cabeça, como o Paracetamol ou o Ibuprofeno.

Além disso, pode ser necessária a mudança em alguns hábitos alimentares ou comportamentais, como por exemplo dormir pouco, pois esses fatores podem contribuir para o aparecimento da enxaqueca. O Que É Dor De Cabeça Com Aura.

Pode alguém morrer por causa da enxaqueca?

O Que É Dor De Cabeça Com Aura Em todo mundo, estima-se que a enxaqueca, uma condição neurológica que deixa mais de 90% dos pacientes debilitados e incapacitados de realizar atividades normais, afeta 1 em cada 10 pessoas, sendo mais frequente entre mulheres. Os sintomas mais comuns de enxaqueca dores de cabeça latejante, náuseas, sensibilidade a som e luz, visão turva e tonturas. Os primeiros sinais normalmente são apresentados cerca de 24 horas antes de uma crise. O Que É Dor De Cabeça Com Aura Enxaqueca pode levar à morte? Apesar de provocar grande incômodo, uma crise de enxaqueca não chega a ser fatal, mas ela está associada a maiores riscos de doenças fatais, como AVC e doenças cardiovasculares, e até mesmo a casos de suicídio, tamanho o sofrimento causado pela condição. Estudos apontam que a enxaqueca pode aumentar os riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC), especialmente as chamadas enxaqueca com aura, cujos sintomas são dores de cabeça acompanhadas ou seguidas por flashes de luz, pontos cegos ou formigamento nas mãos ou nos pés.

  • A enxaqueca poderia levar a um AVC porque alteraria a função dos vasos sanguíneos, aumentando assim o risco de coágulos de sangue e fatores de risco vascular;
  • Apesar de ser hereditária, a condição pode ser controlada com alimentação balanceada, redução do consumo de produtos estimulantes, boa rotina de sono e, claro, acompanhamento médico;
You might be interested:  O Que Fazer Para Dor De Garganta?

Fonte: Vix.

Como me curei da enxaqueca com aura?

Tire todas as dúvidas durante a consulta online – Se precisar de aconselhamento de um especialista, marque uma consulta online. Você terá todas as respostas sem sair de casa. Mostrar especialistas Como funciona? O Que É Dor De Cabeça Com Aura Concordo com Dra. Schaidhauer, o ideal é ir fazer uma avaliação com um médico neurologista para ter certeza se este é o diagnostico correto, caso seja necessário pedir exames complementares e, caso necessário, iniciar um tratamento medicamentoso. Mas em linhas gerais, algumas sugestões a serem seguidas (além da parte medicamentosa que você irá avaliar com o colega neurologista), seriam : Evitar os gatilhos da dor, como estresse (difícil nos dias de hoje muitas vezes), esforço físico exagerado, mudanças no padrão do sono, perfumes e cheiros muito fortes, usar muitos remédios para dor de cabeça (pode causar algo que chamamos de “cefaléia de rebote”, que é causado justamente pelo uso excessivo de analgésicos), barulhos, alguns alimentos que você possa perceber que lhe causam o início da crise, etc.

Atenciosamente. Sim. Existem remédios para isso. Algumas pessoas apresentam inclusive, a aura da enxaqueca sem cefaleia. Tinha todos estes sintomas de enxaqueca e como diz meu neurologista: “não tem cura mas podemos fazer um tratamento preventivo antes que a dor apareça”.

Existem medicamentos muito bons para este problema. Consulte um neurologista e as dores e os pontinhos pretos ou aura vão desaparecer aos poucos. Aconselho vc a procurar um neurologista para avaliação. Caso seja descartada a causa orgânica aconselho procurar um psicólogo.

Espero tê-la ajudado At. Beatriz Sá Olá! Embora episódios de dor crônica possam ser associados a questões psicológicas, somente o neurologista fará o diagnóstico diferencial;a psicoterapia te auxiliará a lidar com os “gatilhos”das crises.

Att Muitas vzs a enxaqueca está relacionada também a cefaleia tensiona , e em outras eh erroneamente diagnosticada cefaleia. Cefaleia típica eh aquela dor pulsatil hemicraniana associada a foto e fonofobia, alterações de visão (escotomas cintilantes ) e que pode cursar tb com náuseas e vômitos.

É uma condição incapacitante. Ou seja, no decorrer do episódio a pessoa eh incapaz de trabalhar, ler, dirigir, até de manter uma simples conversa. Se está sendo recorrente tem q ser tratada por especialista, normalmente o Neuro mesmo.

Agora como varios colegas comentaram, uma das partes mais impt do tô da enxaqueca é identificar os possíveis gatilhos para a dor (dormiu pouco? Dormiu muito? Comeu queijos amarelos? Fez uso de vinho? ). Conhecendo a patologia já temos a melhor fwrramenta para tratá-la.

  • VOCÊ PODE BAIXAR O DIÁRIO DA ENXAQUECA, e preenche-lo diariamente antes da consulta com especialista;
  • Vai enriquecer bastante a consulta;
  • Att, Dra Ana Paula;
  • Sim, hoje em dia existem bons remédios para enxaqueca como o Naramig e o Sumax pro para abortar as crises de dor;

Existem também remédio para profilaxia da enxaqueca, evitando novas crises, como o Propanolol e o Topiramato. Procure um médico para melhor acompanhamento. Dieta adequada, higiene do sono e atividade física regular ajudam bastante. Importante buscar um bom neurologista para avaliações clínicas e por meio de exames, avaliar medicação, alimentação e tudo o que puder.

  1. Além disso, importante buscar um bom Psicólogo para lidar com sua dor tão profunda;
  2. Afinal o que desencadeia essas dores? Como são esses quinze minutos? Como se sente? Busque esse acompanhamento multiprofissional;

Te darei aqui o qu e me ajudou: alimentação. No meu caso tá? Desde que eu coma comidas reais, sem industrializados, sem o que se transforme em glicose no organismo como açúcares, farinhas, sumidos, e ainda sem exageros, não tenho enxaquecas, e claro que percebo que o emocional ajuda em muito na aparição delas, pois sem ter algum fator emocional junto, mesmo comendo alguma besteira, ela não aparece. Estou às órdens!

  • Sou adolescente tenho enxaqueca com aura com muita frequência, isso está me atrapalhando muito. Tem alguma cura? Pq é só pensar nela que tenho a enxaqueca com aura
  • Tomei Aviar Num, Influenzinum, Oscillococcinum, gelsemium e carbo vegetabilis. Tdos 30 ch. São dosagens mto fortes p/ sintomas como tosse seca, ardor e irritação na garganta, peso na cabeça?
  • Tenho enxaqueca com aura , posso usar diu hormonal. ?
  • Tenho enxaqueca frequentemente. E as vezes a dor está acompanhada de perda de memória, tipo um apagão. É normal?
  • O anticoncepcional corta o efeito da lamotrigina ou vice versa? Tomo iumi e lamitor cd. Minha endoc passou o iumi mesmo sabendo do uso da lamotrigina para o TAB. vi na bula
  • Tomei pulsatilla por oito dias e me senti muito mal. O médico suspendeu a medicação. Por quanto tempo o agravamento dessa medicação ainda fica no organismo?
  • Tenho enxaqueca e meu lado esquerdo fica dormente e nomal
  • A agravacão dos remédios homeopaticos desaparece com a suspensão dos remédios?
  • É normal aparecer hematomas em membros superiores e inferiores, sem ter recebido pancadas? O local coçou bastante e no dia seguinte surgiram as manchas, além disso ficou dolorido. Obrigada
  • Tenho enxaqueca com aura todos os dias. Faz uma semana que faço tratamento com o neurologista. Essas crises vão passar?

Qual a enxaqueca mais grave?

Cefaleia em salvas – Entre todos os tipos de enxaqueca , essa é a pior. Seus primeiros sintomas são percebidos nos olhos. Um dos olhos é acometido de uma dor muito forte, que pode ser percebida tanto na órbita quando no fundo dos olhos. É possível perceber a vermelhidão e o lacrimejamento instantâneos.

  1. Enquanto as cefaleias comuns demoram mais de uma hora para atingirem o pico da dor, a cefaleia demora menos de cinco minutos;
  2. Outros sintomas que envolvem os olhos também podem ser notados, como queda da pálpebra, congestão ocular, obstrução nasal e coriza na área comprometida;

As crises da cefaleia em salva podem surgir sem aparente motivo, mas perduram durante dias. É comum pacientes apresentarem relatos de uma a oito crises por dia. Só medicamentos específicos podem ajudar nesses casos.

Quem tem enxaqueca com aura pode fazer exercícios físicos?

Exercício para Enxaqueca: Quanto, qual, quando e como? – PUBLICADO EM 25/03/2019 Prof. Dr. Arão Oliveira Fisiologista do Exercício pela USP, especialista em exercício clínico pelo ACSM, e Doutor em Neurologia e Neurociências pela UNIFESP Qual quantidade ideal de exercício para enxaqueca? A resposta para essa pergunta é difícil, pois depende de muitos fatores como nível de aptidão física inicial, histórico de atividade física, características clínicas (quantos dias com enxaqueca por mês) de cada um, etc. Para promoção da saúde de uma maneira geral, melhora do sistema cardiovascular, controle metabólico e melhora do sistema musculoesquelético, o Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendam:

  • 150 minutos semanais de atividade física moderada;
  • 75 minutos de atividade física vigorosa;
  • ou uma combinação equivalente de ambas;
  • Complementarmente, ao menos 2 vezes na semana, exercícios resistidos, conhecidos como musculação , devem ser realizados solicitando os principais grupos musculares.

Exercícios aeróbios (caminhar, correr, pedalar, nadar, etc. ) moderados devem ser realizados entre 67% a 74% da frequência cardíaca (FC) máxima (FC máxima = 220-idade em anos), e exercícios vigorosos entre 75% e 95% da mesma (ver infográfico 1). Caso o monitoramento da FC não seja possível (pegar o pulso precisa de um pouco de prática e aparelhos eletrônicos não são acessíveis a todos), a recomendação é utilizar a escala de percepção do esforço. Essa escala vai de 6 (“nenhum esforço”) até 20 (“Máximo esforço possível”), com os valores entre 12 e 14 (“ligeiramente cansativo”) correspondendo à intensidade alvo recomendada (ver infográfico 2). Em pessoas com enxaqueca, o exercício aeróbio moderado e, menos comprovadamente, o exercício aeróbio vigoroso/intenso, ambos realizados 3 vezes semanalmente e 30 minutos cada sessão, têm mostrado resultados positivos na redução dos dias com enxaqueca ou duração das crises. Um estudo recente mostrou que caminhada moderada (FC ± 70% da máxima e percepção de esforço = 12) foi eficaz na redução da enxaqueca e ansiedade. No entanto, até 1/3 das pessoas com enxaqueca reportam o exercício físico como um fator desencadeador dos ataques de enxaqueca.

O que fazer nesses casos? Evitar sempre? Tentar fazer “mais leve”? Há relatos na literatura sobre tanto melhora como piora da dor ao iniciar uma atividade física no meio de uma crise de enxaqueca. Com a dor, evitamos qualquer atividade, claro, e ao longo do tempo a situação piora com receios de ter crises disparadas pelo exercício.

Mas o que se tem observado é que uma postura de sempre evitar situações que podem potencialmente disparar uma crise, muitas vezes acaba privando a pessoa de atividades importantes para ela (exercícios inclusive) comprometendo a qualidade de vida como um todo. Algumas recomendações para enxaqueca poderiam focar nos seguintes pontos:

  • Monitore-se e comece a atividade gradativamente, fazendo um aquecimento de 5-10 minutos enquanto eleva a FC e percepção do esforço até os níveis preconizados.
  • Nas primeiras sessões, não há problemas em manter o ritmo um pouco abaixo do recomendado, caso ainda esteja inseguro.
  • Evite fazer exercícios associados a outros fatores desencadeadores como, estando em jejum, com sono comprometido, em lugares e horários muito iluminados e/ou quentes, estando desidratado, etc.
  • A atividade física regular é saudável em muitos outros aspectos da vida, portanto, ter prontidão e expectativas positivas pode ajudar muito!

 Bons Treinos! Links das referências: ACSM https://insights. ovid. com/pubmed?pmid=21694556 Estudo recente https://www. karger. com/Article/Abstract/487141 Fatores desencadeadores https://doi. org/10. 1007/s10194-006-0305-3 .

O que é distúrbio de aura?

A enxaqueca com aura é uma doença neurológica que se manifesta por crises de enxaqueca precedidas de sintomas visuais ou sensitivos. Cerca de 20% das pessoas com enxaqueca apresentam aura. O nome aura refere-se justamente às sensações que você observa um pouco antes da dor de cabeça começar.

Esses sintomas iniciais são também chamados de um pródromo. A aura pode durar poucos minutos ou até uma hora, seguidos da dor de cabeça muito forte. Os cientistas não têm certeza do que causa a enxaqueca com aura.

Sabe-se que frente a determinadas situações o cérebro para de funcionar em um ponto e em outros, diminuição da atividade elétrica. Esse fenômeno é chamado de depressão alastrante cortical, e acontece quando os neurônios iniciam uma atividade disparada, gastando muita energia e demandando muito fluxo sanguíneo.

  1. No momento seguinte, quando a atividade cerebral para, os neurônios precisam de sangue;
  2. Essa sequência de intenso funcionamento de alguns pontos do córtex cerebral, seguido de baixa atividade, podem causar a aura em si, já que o alto e baixo fluxo sanguíneo cerebral pode causar como efeito colateral os sintomas físicos e sensitivos comuns na exaqueca com aura;

A dor de cabeça sentida pelos pacientes também não possui uma explicação certa, mas acredita-se que pelo menos duas substâncias químicas do cérebro – a serotonina e a dopamina – desempenhem um papel determinante no aparecimento da enxaqueca com aura e da cefaleia como um todo. No geral, a enxaqueca com aura acontece por predisposição genética, mas existem vários fatores desencadeantes: Saiba mais: A dieta pode contribuir pra curar enxaqueca?

  • Queijos amarelos envelhecidos
  • Frutas cítricas (principalmente laranja, limão, abacaxi e pêssego)
  • Banana (principalmente d’água)
  • Linguiças
  • Salsichas e alimentos de coloração avermelhada, em conserva
  • Frituras e gorduras
  • Chocolates
  • Café , chás e refrigerantes à base de cola
  • Aspartame (adoçante artificial)
  • Glutamato monossódico (tipo de sal usado como intensificador de sabor, principalmente em comida chinesa)
  • Vinho (principalmente o tinto)
  • Cervejas e chope.
  • Ficar mais de cinco horas seguidas sem se alimentar
  • Dormir mais ou menos do que o de costume.
  • Entrada em ambientes frios, estando antes em ambiente quente e vice-versa
  • Ingestão de líquidos gelados com o organismo aquecido ou suando muito.
  • É muito comum mulheres portadoras de enxaqueca apresentarem dor nas fases pré, durante ou após a menstruação , devido à queda do hormônio estrógeno
  • Muitas mulheres têm as crises pioradas a partir do momento que iniciam o uso de anticoncepcionais orais, também por conta do estrógeno
  • Na menopausa, muitas mulheres melhoram espontaneamente e voltam a piorar quando iniciam a reposição hormonal.

No entanto, algumas pessoas não possuem qualquer desencadeante específico para a enxaqueca com aura. Mas seja qual for a causa, a boa notícia é que a enxaqueca com aura não é fatal. A manifestação mais comum da enxaqueca com aura é a chamada aura visual, que pode se apresentar como flashes de luz, manchas escuras em forma de mosaico ou imagens brilhantes em ziguezague – como quando estamos andando em uma estrada e vemos aquele ziguezague de calor que emana do chão.

  1. Outra teoria envolve os vasos sanguíneos do cérebro, que contraírem em demasia ocasionam a enxaqueca;
  2. Em outros casos, a enxaqueca com aura pode se manifestar como dormências ou formigamentos em apenas um lado do corpo – dependendo da gravidade da enxaqueca com aura, a pessoa pode começar com um formigamento em uma das mãos e ele se espalhar por todo o lado do corpo, chegando a adormecer apenas metade da língua;
You might be interested:  Que Toda Dor Se Transforme Em Amor?

No entanto, essas manifestações sensitivas da enxaqueca com aura são mais raras. Geralmente, a aura começa cerca de 30 minutos antes da enxaqueca, podendo persistir ou não depois que a dor começa. Saiba mais: Saiba o que fazer durante uma crise de enxaqueca A dor de cabeça é considerada o sintoma comum a todos os tipos de enxaqueca – embora algumas crianças experimentem a aura sem dor de cabeça. Outros sintomas da enxaqueca com aura incluem:

  • Náusea
  • Vômitos
  • Bocejos
  • Irritabilidade
  • Pressão arterial baixa
  • Sensibilidade à luz, sons ou movimento
  • Círculos escuros sob os olhos. Calafrios
  • Aumento da micção
  • Fadiga
  • Perda de apetite
  • Problemas de concentração, dificuldade para encontrar as palavras
  • Sensibilidade à luz ou ao som
  • Transpiração excessiva.

Pacientes que tem enxaqueca com aura podem sentir alguns sintomas mesmo depois de cessada a dor de cabeça. Eles podem incluir:

  • Sentir que está lento mentalmente, como se seu raciocínio não fosse claro ou preciso
  • Maior necessidade de sono
  • Dor no pescoço

O diagnóstico de enxaqueca com aura é basicamente clínico. O médico neurologista fará perguntas como:

  • Você sente dor em qual lado da cabeça?
  • Quais os sintomas relacionados à dor?
  • Qual a duração desses sintomas?
  • Eles acontecem em ambos os lados do corpo?
  • Se foram sintomas visuais, eles acontecem em ambos os olhos?
  • Algum desses sintomas aparece antes de a dor começar?.

Seu médico pode querer ter certeza de que não existem outras causas para sua enxaqueca com aura. Assim, é provável que ele faça exames físicos e neurológicos. Além disso, o médico irá perguntar sobre seu histórico familiar, incluindo questões como:

  • Os outros membros da família têm enxaqueca ou outros tipos de dores de cabeça?
  • Você tem alguma alergia?
  • Você tem uma rotina estressante?
  • Você usa medicamentos como pílulas anticoncepcionais ou vasodilatadores?
  • Sua enxaqueca começa depois que você faz muito esforço, ou após tossir ou espirrar?.

Seu médico também pode solicitar os seguintes exames:

  • Exames de sangue
  • Tomografia computadorizada
  • Raio-x
  • Ressonância magnética.

Antes de iniciar o tratamento para enxaqueca com aura, é necessário saber se o diagnóstico está correto e qual o fator desencadeante da enxaqueca com aura. No geral, o melhor é evitar esses desencadeantes e tomar o medicamento indicado pelo médico quando uma crise aparecer. Os medicamentos para enxaqueca com aura incluem neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, derivados da ergotamina, anti-histamínicos e anticonvulsivantes.

A dor da enxaqueca com aura ocorre geralmente na parte frontal da cabeça, de um ou ambos os lados das têmporas. Ela pode ser estável ou pulsátil. A dor de cabeça da enxaqueca com aura pode durar de quatro a 72 horas.

A indicação, no entanto, dependerá de cada caso. Além dos medicamentos para enxaqueca com aura e cuidados no momento da crise, você pode adotar alguns hábitos que ajudam a prevenir a enxaqueca com aura:

  • Manter um diário da enxaqueca com aura: isso pode ajudar a identificar qualquer coisa que possa desencadear enxaquecas com aura. Inclua no diário a data e a hora da enxaqueca com aura, todos os alimentos que você comeu, atividades que você participou e medicamentos ingeridos
  • Evite alimentos desencadeantes
  • Evite medicamentos desencadeantes
  • Fique atento aos gatilhos psicológicos, como estresse e ansiedade
  • Evite fatores ambientais, como luzes piscando e mudanças na pressão do ar ou altitude.

Durante uma crise de enxaqueca com aura, siga essas recomendações: Saiba mais: Biofeedback trata enxaqueca e transtornos mentais

  • Tome o medicamento: pessoas que tem enxaqueca com aura frequente devem sempre andar com seus medicamentos. Isso porque algum tempo após a dor de cabeça se iniciar, ocorre um processo de sensibilização central, que mantém a dor e a torna mais rebelde aos analgésicos
  • Entenda o que alivia a sua dor: como os desencadeantes da enxaqueca com aura são diferentes para cada um, a forma de aliviar essa dor também varia. Alguns dos tratamentos não medicamentosos mais comuns incluem compressas quentes ou frias, massagens, terapia de biofeedback, homeopatia e acupuntura
  • Trate os sintomas separadamente: como o analgésico trata apenas a dor da enxaqueca com aura, os outros sintomas devem ser tratados de forma tópica. Esse cuidado é redobrado com aqueles que sofrem com vômitos, pois ele pode golfar os analgésicos, precisando ir ao pronto socorro para receber drogas injetáveis
  • Descanse em um local escuro e silencioso: durante uma crise de enxaqueca com aura, o paciente não suporta ambientes barulhentos e com muita luz. Por isso, o ideal é se sentar o deitar – o que for mais confortável – em um local com pouca luz e sem barulhos, evitando ao máximo conversas e atividades que o tirem do repouso
  • Faça refeições leves e hidrate-se: beba muito líquido para se manter hidratado, tanto água quanto soluções hidratantes disponíveis no mercado. Caso haja vômito, o melhor é não ingerir alimentos sólidos e, em casos graves, procurar um pronto atendimento para receber medicações injetáveis mais potentes.

Enxaqueca com aura é uma doença muito benigna, quando feito o diagnóstico correto. A complicação maior da enxaqueca com aura e da enxaqueca comum é que ela aumenta o risco de infarto. A enxaqueca com aura também pode se tornar mais frequente com o tempo, se tornando quase diária. Mulheres abaixo dos 35 anos que usam anticoncepcionais e possuem enxaqueca com aura não devem fumar, ou então cessar o uso do anticoncepcional.

Quem tem enxaqueca pode ter um AVC?

Risco de AVC – Pessoas que sofrem de enxaqueca possuem risco maior de sofrerem com Acidente Vascular Cerebral (AVC). O problema acontece quando alguma região do cérebro deixa de receber sangue com oxigênio e nutrientes, provocando a morte de células cerebrais. Existem duas formas de AVC:

  • Acidente Vascular Cerebral Isquêmico: Representa a maioria dos casos de AVC. É causado pela obstrução ou redução brusca do fluxo sanguíneo em uma artéria do cérebro, o que causa a falta de circulação de sangue na região.
  • Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico: São os casos em que um vaso se rompe espontaneamente e há extravasamento de sangue para o interior do cérebro.

“Através de estudos, alguns investigadores levantaram a hipótese de que a enxaqueca provoca um aumento da atividade de agregação plaquetária no sangue, altera o calibre dos vasos cerebrais e provoca um estado de aumento de coagulabilidade local. Isso aumenta as chances a formação de trombos (coágulos), o que pode provocar a obstrução de vasos arteriais no cérebro, levando a maior risco AVC Isquêmico” – Dr. Érico Brea Winckler, Neurologista (CRM/SC 20266 – RQE 14866). Importante: Mulheres que sofrem com enxaquecas devem ter cautela ao utilizar determinados tipos de anticoncepcionais hormonais.

Quais são os alimentos que causam enxaqueca?

O que significa aura na medicina?

O que é Aura: – Aura é o substantivo feminino que significa brisa , aragem ou vento suave. Também pode ser um conceito místico ou da astrologia , representando um campo energético que envolve um ser vivo. No âmbito filosófico, a aura representa uma espécie de halo que rodeia o corpo de uma pessoa.

  • Não é algo aceite por todas as pessoas, por não existirem provas científicas que comprovem a sua existência;
  • Em sentido figurado , a aura pode indicar uma energia imaterial que envolve um determinado ser;

Neste caso, a aura pode ser boa ou má, ou pode ter cores. As sim, uma pessoa boa, ou equilibrada emocionalmente, tem uma aura com cores fortes e vivas. Dependendo da aura, diferentes sensações podem ser transmitidas a pessoas envolventes. Ex: Quando ele entrou na sala, todos ficaram com medo, porque o ambiente ficou pesado, fruto da sua aura escura.

  • Também figurativamente, uma aura pode se referir a uma admiração ou estima do público em relação a alguém;
  • No âmbito da medicina , a aura pode designar uma sensação que acontece antes de um ataque epilético;

Algumas pessoas descrevem essa sensação como se uma bola estivesse subindo do estômago para a boca. Neste caso, a sensação é diferente, dependendo do ponto do cérebro onde a crise tem origem. Na mitologia grega , Aura era uma ninfa que era rápida como a brisa, característica que usava quando acompanhava a deusa grega Ártemis na caça.

Como saber se tenho sensibilidade à luz?

O que pode causar enxaqueca ocular?

O que é enxaqueca ocular? – A enxaqueca ocular é uma condição rara que se caracteriza pela perda temporária da visão. Ela é causada pela redução do fluxo sanguíneo ou espasmos dos vasos sanguíneos na retina ou atrás dos olhos. Em alguns casos, ela pode ser indolor e o único incômodo é a perda de capacidade visual por, aproximadamente, alguns minutos.

Qual o tipo de enxaqueca mais grave?

Cefaleia em salvas – Entre todos os tipos de enxaqueca , essa é a pior. Seus primeiros sintomas são percebidos nos olhos. Um dos olhos é acometido de uma dor muito forte, que pode ser percebida tanto na órbita quando no fundo dos olhos. É possível perceber a vermelhidão e o lacrimejamento instantâneos.

  • Enquanto as cefaleias comuns demoram mais de uma hora para atingirem o pico da dor, a cefaleia demora menos de cinco minutos;
  • Outros sintomas que envolvem os olhos também podem ser notados, como queda da pálpebra, congestão ocular, obstrução nasal e coriza na área comprometida;

As crises da cefaleia em salva podem surgir sem aparente motivo, mas perduram durante dias. É comum pacientes apresentarem relatos de uma a oito crises por dia. Só medicamentos específicos podem ajudar nesses casos.

O que é enxaqueca oftálmica?

A enxaqueca ocular (ou enxaqueca oftálmica ) é o conjunto de alterações visuais mono ou binoculares, também conhecido como aura, de causa neurológica, usualmente seguido de forte dor de cabeça, enjoos, mal-estar, além de sensibilidade à claridade e ao som.

O que pode desencadear uma crise de enxaqueca?

Uma cefaleia de enxaqueca é geralmente uma dor pulsátil ou latejante que varia de moderada a grave. Ela pode afetar um ou ambos os lados da cabeça. Frequentemente, é agravada pela atividade física, luz, sons ou odores e acompanhada por náuseas, vômitos e sensibilidade a sons, luz e/ou odores.

  • Enxaquecas podem ser desencadeadas pela falta de sono, mudanças no clima, fome, excesso de estimulação dos sentidos, estresse ou outros fatores.
  • Elas podem ser agravadas pela atividade física, luz, sons ou odores.
  • Os médicos baseiam o diagnóstico em sintomas típicos.
  • Não existe nenhuma cura para enxaquecas, mas medicamentos são usados para parar a enxaqueca quando ela está começando, para aliviar a dor e reduzir o número e a gravidade das crises de enxaqueca.

Enxaquecas são a causa mais comum de cefaleias moderadas a graves recorrentes. Embora as enxaquecas possam começar em qualquer idade, elas geralmente começam na puberdade ou na idade adulta. Para a maioria das pessoas, as enxaquecas ocorrem periodicamente (menos de 15 dias por mês). Após os 50 anos de idade, frequentemente as cefaleias tornam-se significativamente menos intensas ou param completamente.

  1. As enxaquecas são três vezes mais comuns entre as mulheres;
  2. Nos Estados Unidos, cerca de 18% das mulheres e 6% dos homens têm uma enxaqueca em alguma ocasião por ano;
  3. Enxaquecas podem tornar-se crônicas;
  4. Isto é, podem ocorrer durante 15 dias ou mais por mês;

Enxaquecas crônicas desenvolvem-se mais frequentemente em pessoas que usam excessivamente drogas para tratar enxaquecas. Enxaquecas tendem a ocorrer em famílias. Mais de metade das pessoas que sofrem de enxaquecas tem familiares também afetados. Enxaquecas ocorrem em pessoas cujo sistema nervoso é mais sensível do que os de outras pessoas.

Para essas pessoas, as células nervosas no cérebro são facilmente estimuladas, produzindo atividade elétrica. Conforme a atividade elétrica se espalha pelo cérebro, várias funções, como visão, sensação, equilíbrio, coordenação muscular e fala, são temporariamente perturbadas.

Esses distúrbios causam os sintomas que ocorrem antes da cefaleia (chamados de aura). A cefaleia ocorre quando o 5º nervo craniano (trigêmeo) é estimulado. Este nervo envia impulsos (incluindo impulsos de dor) dos olhos, couro cabeludo, testa, pálpebras superiores, boca e mandíbula para o cérebro.

Quando estimulados, os nervos podem liberar substâncias que causam inflamação dolorosa dos vasos sanguíneos do cérebro (os vasos sanguíneos cerebrais) e as camadas de tecidos que cobrem o cérebro (meninges).

You might be interested:  Porque Cerveja Da Dor De Barriga?

A inflamação provoca cefaleia latejante, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som. Acredita-se que os estrógenos , os principais hormônios femininos, desencadeiam a enxaqueca, o que explicaria o fato dela ser mais frequente nas mulheres. Enxaquecas podem provavelmente ser desencadeadas quando os níveis de estrogênio aumentam ou flutuam.

Durante a puberdade (quando os níveis de estrogênio aumentam), a enxaqueca é muito mais frequente entre as jovens mulheres do que entre os rapazes da mesma idade. Algumas mulheres têm enxaquecas antes, durante ou imediatamente após a menstruação.

Enxaquecas ocorrem com menos frequência e tornam-se menos graves no último trimestre da gravidez quando os níveis de estrogênio estão relativamente estáveis, e se agravam após o parto quando os níveis de estrogênio diminuem rapidamente. Com a aproximação da menopausa (quando os valores de estrogênio ficam instáveis), a enxaqueca é particularmente difícil de controlar. Outros acionadores são os seguintes:

  • Falta de sono, incluindo insônia
  • Mudanças no clima, em particular a pressão barométrica
  • Vinho tinto
  • Certos alimentos
  • Fome (como quando as refeições não são feitas)
  • Estimulação excessiva dos sentidos (por exemplo, por luzes intermitentes ou odores fortes)
  • Estresse

Diversos alimentos foram associados a enxaquecas, mas não está claro se eles são os desencadeantes das enxaquecas. Esses alimentos incluem

  • Alimentos que contêm tiramina, como queijos maturados, derivados de soja, favas, embutidos, peixe defumado ou desidratado e alguns tipos de frutas secas.
  • Alimentos contendo nitratos, como frios e cachorros-quentes
  • Alimentos contendo GMS (glutamato monossódico), um realçador de sabor encontrado em alimentos “fast food”, caldos, temperos e especiarias
  • Cafeína (inclusive a que está contida em chocolates)

Os tipos de alimentos que desencadeiam enxaquecas variam de pessoa para pessoa. A enxaqueca hemiplégica familiar , um subtipo raro de enxaqueca, causa fraqueza em um lado do corpo. Ela está associada a defeitos genéticos do cromossomo 1, 2 ou 19. O papel dos genes nas formas mais comuns da enxaqueca está em estudo. Em uma enxaqueca, a dor pulsátil ou latejante normalmente é sentida em um lado da cabeça, mas pode ocorrer em ambos os lados.

Contraceptivos orais (que contêm estrogênio ) e terapia de estrogênio podem piorar enxaquecas e podem aumentar o risco de acidente vascular cerebral em mulheres que têm enxaquecas com aura. A dor pode ser moderada, mas é muitas vezes intensa e incapacitante.

Atividade física, luz brilhante, barulhos altos, e determinados odores podem piorar a dor. Esta maior sensibilidade faz com que muitas pessoas recuem para uma sala escura e silenciosa, deitem-se e durmam, se possível. Tipicamente, as enxaquecas diminuem durante o sono.

A cefaleia é frequentemente acompanhada de náuseas, por vezes com vômitos e sensibilidade à luz, sons e/ou odores. As pessoas têm dificuldade de concentração durante uma crise. As crises de enxaqueca podem durar de horas a alguns dias (normalmente, de quatro horas a alguns dias).

Crises graves podem ser incapacitantes e interromper a vida familiar e profissional. Um pródromo geralmente ocorre antes de uma enxaqueca. O pródromo consiste em sensações que avisam que uma crise está prestes a começar. Essas sensações podem incluir mudanças de humor, dor no pescoço, ânsia de comer, perda de apetite e náuseas.

Uma aura precede as enxaquecas em cerca de 25% das pessoas. A aura consiste em perturbações transitórias e reversíveis da visão, do equilíbrio, coordenação dos músculos ou da linguagem. Com frequência, as pessoas veem luzes denteadas, trêmulas ou pulsáteis ou apresentam um ponto cego central com limites trêmulos.

A sensação de formigamento, a perda de equilíbrio, a fraqueza de um braço ou de uma perna e a dificuldade de falar são sintomas menos frequentes. A aura dura de minutos até uma hora antes e pode continuar após o começo da cefaleia. Algumas pessoas experimentam uma aura, mas têm apenas uma cefaleia leve ou nenhuma cefaleia.

  • Avaliação de um médico
  • Às vezes, tomografia computadorizada ou ressonância magnética

Não há nenhum teste ou procedimento que possa confirmar o diagnóstico. Certos achados são sinais de alerta que sugerem que as cefaleias podem ser causadas por um distúrbio grave. Esses achados incluem os seguintes:

  • Uma cefaleia súbita que se torna mais intensa em poucos segundos ou menos (cefaleia “em trovoada”)
  • Cefaleias que começam após os 50 anos
  • Cefaleias que aumentam em intensidade e frequência por semanas ou mais
  • Cefaleias que ocorrem em pessoas que tiveram câncer ou que têm um sistema imunológico enfraquecido (devido a uma doença ou medicamento)
  • Uma cefaleia grave acompanhada por febre, rigidez do pescoço e/ou confusão
  • Problemas persistentes que sugerem uma doença cerebral, tais como anomalias na sensibilidade ou visão, fraqueza, perda de coordenação e sonolência ou confusão
  • Alteração clara no padrão estabelecido de cefaleias

Se as cefaleias tiverem surgido recentemente ou se alguns sinais de alerta estiverem presentes, geralmente é realizada uma imagem por ressonância magnética (RM) da cabeça e, às vezes, é feita uma punção lombar (punção na coluna vertebral) para excluir outros problemas. Se as pessoas que são conhecidas por terem enxaquecas desenvolvem uma cefaleia que é semelhante às suas enxaquecas anteriores, os médicos raramente fazem exames. No entanto, se a dor for diferente, especialmente se alguns sinais de alerta estiverem presentes, uma consulta médica e muitas vezes exames são necessários. A escolha de um medicamento preventivo é feita com base nas reações adversas que provoca e na presença de outros problemas, como nos exemplos a seguir:

  • O medicamento anticonvulsivante topiramato pode ser administrado a pessoas que estão com sobrepeso, pois ele pode promover a perda de peso.
  • O medicamento anticonvulsivante divalproex pode ajudar a estabilizar o humor, podendo ser útil se as enxaquecas estiverem dificultando o desempenho das funções.
  • A amitriptilina pode ser administrada a pessoas com depressão ou insônia.
  • A toxina onabotulínica A (usada para bloquear a atividade do nervo) ou medicamentos mais recentes (como o divalproex e anticorpos monoclonais) podem ser usados quando outros medicamentos forem ineficazes.
  • Anticorpos monoclonais (como erenumabe, fremanezumabe ou galcanezumabe) se outros medicamentos forem ineficazes.

Os anticorpos monoclonais, administrados por injeção, bloqueiam a ação de uma substância que pode desencadear enxaquecas. Outros medicamentos que podem ser utilizados para prevenir enxaquecas incluem bloqueadores dos canais de cálcio. Dispositivos que estimulam determinados nervos, mantidos em certas partes do corpo, também podem ajudar a prevenir crises de enxaqueca. Um desses dispositivos, fixado na testa, pode reduzir a frequência de enxaquecas.

As enxaquecas geralmente tornam-se menos graves conforme a pessoa envelhece. No entanto, as auras que afetam a visão sem uma cefaleia ocorrem mais frequentemente em pessoas idosas. Outro dispositivo, fixado à parte posterior do crânio, pode aliviar as enxaquecas assim que começam e ajudar a preveni-las.

Esses dispositivos não têm efeitos colaterais significativos.

  • Intervenções comportamentais, ioga ou técnicas de relaxamento
  • Medicamentos para interromper uma enxaqueca assim que ela começar ou impedir que ela avance.
  • Medicamentos para controlar a dor e a náusea
  • Medicamentos para prevenir a enxaqueca

Enxaquecas não podem ser curadas, mas podem ser controladas. Médicos incentivam as pessoas a manter um diário das cefaleias. Nele, as pessoas escrevem o número e a distribuição dos ataques, possíveis acionadores e as suas respostas aos tratamentos. Com essas informações, os desencadeadores podem ser identificados e eliminados sempre que possível.

Então, as pessoas podem participar dos tratamentos para evitarem os desencadeadores, e os médicos podem planejar melhor e ajustar o tratamento. Os médicos também recomendam o uso de intervenções comportamentais (como relaxamento, biofeedback, gerenciamento de estresse) para controlar crises de enxaqueca, especialmente quando o estresse é um desencadeador ou quando as pessoas estão tomando medicamentos demais para controlar as enxaquecas.

As técnicas de relaxamento podem ajudar a controlar o estresse, diminuir a tensão muscular e alterar a atividade das ondas cerebrais. A ioga pode reduzir a intensidade e a frequência das enxaquecas. Na ioga, posturas físicas que fortalecem e alongam os músculos são aliadas a respiração profunda, meditação e relaxamento.

  1. Alguns medicamentos interrompem (impedem) uma enxaqueca que está começando ou impedem que ela avance;
  2. Alguns são tomados para controlar a dor;
  3. Outros são tomados para prevenir enxaquecas;
  4. Para enxaquecas leves a moderadas, medicamentos para reduzir a dor ( analgésicos Tratamento da dor Em alguns casos, o tratamento da doença de base elimina ou minimiza a dor;

Por exemplo, a imobilização de uma fratura ou o tratamento antibiótico para uma articulação infectada reduzem a dor. leia mais ) podem ajudar a controlar a dor. Muitas vezes utiliza-se paracetamol ou anti-inflamatórios não esteroides (AINEs). Eles podem ser tomados em alternância com (ou em vez dos) triptanos, durante uma crise de enxaqueca.

  1. Para enxaquecas ocasionais leves, analgésicos que contêm cafeína, um opioide ou butalbital (um barbitúrico) podem ajudar;
  2. No entanto, o uso abusivo de analgésicos e cafeína (em preparações de ação analgésica ou em bebidas que contenham cafeína) ou de triptanos pode levar a enxaquecas diárias, mais graves;

Essas cefaleias, chamadas cefaleia por excesso de medicação para cefaleia Cefaleia por excesso de medicação para cefaleia Uma cefaleia por excesso de medicação para cefaleia (rebote) ocorre quando as pessoas que tomam muitos medicamentos para cefaleia apresentam uma cefaleia por mais de 15 dias por mês, por mais. Elas incluem as seguintes:

  • Triptanos (5-hidroxitriptamina [5-HT], ou serotonina, agonistas) são geralmente usados. Os triptanos evitam que os nervos liberem substâncias que possam provocar enxaquecas. Os triptanos são mais eficazes quando tomados logo que a enxaqueca começa. Eles podem ser tomados por via oral ou por um spray nasal ou ser injetados sob a pele (via subcutânea).
  • Ditanas constituem uma nova classe de medicamentos que podem cessar as cefaleias. Elas atuam como os triptanos, mas podem causar menos efeitos colaterais que envolvem o coração (como alterações na pressão arterial ou frequência cardíaca). Lasmiditana, tomada por via oral, é atualmente a única ditana que está sendo usada. Não se deve tomar mais de uma dose de lasmiditana em 24 horas.
  • Gepantos constituem outra classe nova de medicamentos que podem cessar as cefaleias. Os gepantos bloqueiam uma proteína no sangue que desencadeia a enxaqueca. Esses medicamentos (rimegepanto e ubrogepanto) são tomados por via oral.
  • A di-hidroergotamina é administrada por via intravenosa, por via subcutânea e por spray nasal para interromper enxaquecas intensas e persistentes. É comumente administrado com um medicamento usado para aliviar náusea (medicamentos antieméticos), como proclorperazina, administrado por via intravenosa.
  • Certos medicamentos antieméticos (como proclorperazina ou metoclopramida) podem ser usados para aliviar enxaquecas leves a moderadas. A proclorperazina, tomada por via oral ou administrada como supositório, é também usada para evitar enxaquecas quando as pessoas não são tolerantes a triptanos ou di-hidroergotamina.

Como os triptanos e a di-hidroergotamina podem causar a contração dos vasos sanguíneos estreitos (constrição), eles não são recomendados para pessoas que têm angina, doenças da artéria coronária ou pressão arterial alta não controlada. Se as pessoas idosas ou pessoas com fatores de risco para doenças da artéria coronária precisarem tomar essas drogas, elas devem ser monitoradas de perto. No entanto, as pessoas com um desses distúrbios podem tomar lasmiditana, rimegepanto ou ubrogepanto.

leia mais , ocorrem quando esses medicamentos são tomados mais de 15 dias por mês, por mais de três meses. Quando as enxaquecas são ou se tornam graves, são usados medicamentos que podem interrompê-las. Eles são tomados logo que as pessoas sentem que a enxaqueca está começando.

Se as enxaquecas são normalmente acompanhadas por náusea, é eficaz tomar um antiemético com um triptano quando os sintomas se iniciam. Os antieméticos (tais como proclorperazina ou metoclopramida), tomados isoladamente, também podem interromper o avanço de enxaquecas leves ou moderadas.

Quando outros tratamentos não são eficazes em pessoas com enxaquecas graves, podem ser usados analgésicos opioides como último recurso. Quando as enxaquecas são graves, líquidos administrados por via intravenosa podem ajudar a aliviar a cefaleia e fazer a pessoa se sentir melhor, especialmente se ela estiver desidratada por vômitos.

Outros medicamentos são usados para prevenir as enxaquecas e podem diminuir a frequência e a gravidade dos sintomas. Eles incluem:

  • Medicamentos anticonvulsivantes
  • Betabloqueadores
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
  • Anticorpos monoclonais (erenumabe, fremanezumabe e galcanezumabe)
  • Antidepressivos tricíclicos

Toxina onabotulínica A (que é injetada no couro cabeludo, testa e pescoço) ou anticorpos monoclonais podem ser usados para tratar enxaquecas crônicas. Deixar de tomar ou reduzir a dose de um medicamento usado para prevenir enxaquecas ou tomá-lo mais tarde pode desencadear ou piorar uma enxaqueca. Dispositivos que estimulam determinados nervos, fixados em certas partes do corpo, podem ajudar a tratar crises de enxaqueca, bem como preveni-las.

Um desses dispositivos, fixado na testa, pode reduzir a frequência de enxaquecas. Outro dispositivo, fixado à parte posterior do crânio, pode aliviar as enxaquecas assim que começam. Um dispositivo que usa uma braçadeira para estimular os nervos na pele pode aliviar a dor da enxaqueca.

Esses dispositivos não têm efeitos colaterais significativos. .

0
Adblock
detector