O Que É Bom Para Aliviar Dor Lombar?

O Que É Bom Para Aliviar Dor Lombar
Dormir – O cumprimento adequado do descanso físico pode ser a solução para muitos problemas de saúde. Em suma,  ao dormir, liberamos endorfinas. Estes hormônios podem ser tão efetivos quanto os medicamentos para a dor. Quando o corpo produz endorfinas , os sinais de dor que são registrados no cérebro diminuem um pouco. Ademais, o sono reparador alivia a ansiedade, o estresse e a depressão associados com a dor lombar crônica.

  1. As pessoas que sofrem com dores na coluna, no geral, também têm algum transtorno do sono;
  2. Além disso, dormir mal pode piorar os sintomas da lombalgia;
  3. Dessa forma, é importante resolver ambos males para evitar um círculo vicioso que prejudique a saúde;

Em qualquer caso, é necessário buscar assessoria médica profissional. Pode interessar a você.

Como aliviar a dor lombar rápido?

Qual remédio caseiro é bom para dor lombar?

Quais os sintomas da coluna lombar inflamada?

A lombalgia pode ser definida como uma dor na região lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna perto da bacia. É também conhecida como “lumbago”, ” dor nas costas “, “dor nos rins” ou “dor nos quartos”. A dor pode se estender para a região das nádegas, face posterior das coxas mas não muito além do joelho, sem comprometer um trajeto de nervo específico.

Um por cento dos pacientes com lombalgia aguda tem ciática, que é definida como dor irradiada para o território de uma raiz nervosa lombar, frequentemente acompanhada de sintomas como dificuldade para andar e formigamento.

É um problema muito prevalente e pode ser causa de incapacidade. Mais de 90% da população mundial sofre episódio de dor lombar em algum momento da vida e a lombalgia é a segunda causa mais frequente de procura pelos serviços médicos. Frequentemente, o problema é postural, isto é, causado por uma má posição para sentar, se deitar, se abaixar no chão ou carregar algum objeto pesado. O Que É Bom Para Aliviar Dor Lombar Dor nas costas – Foto Getty Images As lombalgias podem ser classificadas quanto a duração em agudas e crônicas. Agudas quando apresentam duração de quatro a seis semanas. Cerca de 65-90% dos adultos sofrerão um episódio de lombalgia aguda ao longo da vida, com pico de incidência ocorrendo entre os 35-55 anos de idade As lombalgias agudas não estão relacionadas a nenhum fator definido e geralmente ocorrem após um esforço físico excessivo levando o paciente a sentir uma sensação de “travar a coluna”.

Outras vezes, a lombalgia pode ser causada por inflamação, infecção, hérnia de disco , escorregamento de vértebra, artrose (processo degenerativo de uma articulação) e até problemas emocionais. Cerca de 90% dos pacientes com dor lombar aguda apresentam melhora da dor em 4 semanas e apenas 2-7% evoluirão para sua forma crônica.

A dor crônica ocorre em qualquer idade e em aproximadamente 75-85% dos pacientes que se afastam do trabalho ela se torna recorrente. A lombalgia e classificado com crônica quando a duração é maior do que 12 semanas. A diferença entre a lombalgia aguda e crônica é o tempo de evolução e isso pode influenciar inclusive no diagnóstico da causa dessa dor.

Os sintomas da lombalgia são dores localizadas abaixo da décima segunda costela até a prega do glúteo , definida como a região lombar. As dores podem, ainda, irradiar para o meio da coxa. Em mais de 90% das vezes, o diagnóstico e a causa são estabelecidos com uma boa conversa com o paciente e com um exame físico bem feito.

Exames complementares de imagem como raio X , ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética não costumam ser solicitados, mas podem ser pedidos apenas para a confirmação de uma suspeita para o diagnóstico da lombalgia O exame físico inicial deve ser capaz de identificar uma doença grave como infecção, fratura ou compressão de nervo.

  1. O raio X deve ficar restrito aos casos suspeitos de doença lombar grave, baseada nos sinais de alerta;
  2. Em alguns guias de condutas o raio-x é sugerido como exame opcional nos casos de lombalgia persistente por mais de 4 a 6 semanas;

Uma revisão sistemática recente sobre exames de imagem concluiu que para adultos menores que 50 anos de idade, sem sintomas sistêmicos (febre, emagrecimento, tosse) o exame de imagem não modificou o tratamento da dor lombar. Os principais fatores de risco que podem desencadear a lombalgia são, principalmente, torções musculares, ocasionadas por sobrecarga excessiva, ao levantar mais peso do que a pessoa consegue na academia, por exemplo, ao carregar muito peso, empurrando armários, enfim, atividades corriqueiras que causem sobrecarga nas articulações da coluna e das vértebras.

  1. Embora a lombalgia aguda melhore espontaneamente ao longo do tempo, uma variedade de intervenções terapêuticas estão disponíveis, tais como: analgésicos, anti-inflamatórios, corticoides e relaxantes musculares;

O principal objetivo do tratamento da dor lombar aguda é aliviar a dor, melhorar a habilidade funcional e prevenir recorrência e cronicidade. Saiba mais: Vídeo: acabe com a dor nas costas As recomendações sumárias para o tratamento da dor lombar aguda segundo o guia de conduta europeu são:

  • Providenciar informação adequada ao paciente, tranquilizando- o sobre sua dor lombar, explicando que geralmente não é uma doença grave e que a recuperação rápida ocorre na maioria dos pacientes
  • Prescrever medicação, se necessário, para alívio da dor ou para ser usada preferencialmente em intervalos regulares
  • paracetamol, como primeira opção e anti-inflamatório não- esteróide (AINE), como segunda opção
  • Considerar a adição por um curto período de tempo de relaxantes musculares

Atividades passivas como massagem, ultra-som, eletroterapia, termoterapia, eletromiografia estimulação nervosa elétrica transcutânea (TENS), laser, tração, assim como programas multidisciplinares e terapia cognitiva comportamental devem ser evitadas para tratamento da lombalgia aguda, pois poderiam aumentar o risco de indisposição do paciente e cronicidade da doença. Nem todos os casos de hérnia de disco têm de ser operados. Quase todos regridem com repouso relativo, fisioterapia, hidroterapia, academia terapêutica, pilates, acupuntura e outras medidas não medicamentosas sem que haja necessidade de cirurgia. Assim, a hérnia murcha e deixa de comprimir estruturas importantes, como os nervos.

  1. O tratamento cirúrgico está indicado apenas nos 10% dos casos em que a crise não passa entre três a seis semanas, em pacientes que têm crises repetidas em um curto espaço de tempo ou quando existem alterações esfincterianas (perda de controle para urinar e defecar);

Enquanto, no adulto, a maioria das lombalgias tem causas e tratamentos simples, a dor lombar no adolescente é incomum e com causas que devem ser investigadas cuidadosamente pelo médico reumatologista para afastar causas secundárias como doenças inflamatórias, como espondilite anquilosante.

  • Os medicamentos mais usados para o tratamento de lombalgia são: analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares;
  • Corticoides e morfina podem ser usados em casos mais graves, mas isso é mais raro;

Tudo depende do quadro clínico do paciente, que deve ser avaliado pelo médico. Entre os medicamentos utilizados estão:

  • Cloridrato de ciclobenzaprina
  • Toragesic

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e nunca se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita Muitos fatores são importantes para evitar que uma lombalgia aguda se torne crônica. A correção postural, principalmente na maneira de se sentar no trabalho e na escola é essencial.

Na fase aguda, a ginástica é importante. Quando fizer exercício com pesos na ginástica, proteja a coluna deitando ou sentando com apoio nas costas. Sempre evitar carregar peso. Não permanecer curvado por muito tempo.

Quando se abaixar no chão, dobrar os joelhos e não dobrar a coluna. Para outros esclarecimentos, consulte o seu médico ortopedista. Saiba mais: Correr com orientação adequada diminui a dor nas costas Praticar atividade física regularmente, manter uma alimentação saudável, evitar sobrepeso, Para evitar novas crises, recomendamos a acupuntura regularmente.

Como aliviar a dor na lombar com apenas 1 exercício?

Superman em isometria – Deite-se no chão de barriga para baixo, estique as pernas de forma alinhada e erga os braços à frente. Em seguida, levante os braços e as pernas ao mesmo tempo e contraia a lombar. Permaneça na posição de 30 a 60 segundos.

Como aliviar a dor nas costas em 5 minutos?

Dores nas costas são queixas comuns para pessoas que trabalham sentadas ou em pé o dia inteiro. A tensão muscular é a causa de grande parte dos problemas , mas exercícios de alongamento que podem ser feitos até no escritório ajudam a relaxar e a melhorar a circulação sanguínea, combatendo a fadiga muscular e o cansaço. Para dor nas costas e nos ombros Para alongar as costas e os ombros e, assim, aliviar a tensão e relaxar a musculatura, é indicado:

  1. Levantar os dois braços para cima, entrelaçando os dedos. Em seguida, esticar as costas. O ideal é ficar parado nesta posição durante 30 segundos.
  2. A partir dessa posição, incline o tronco para o lado direito e fique parado nesta nova posição durante 30 segundos, e depois repita para o lado esquerdo.
  3. De pé, incline o corpo para frente sem dobrar os joelhos e, com as pernas ligeiramente afastadas, fique parado durante outros 30 segundos.

Ter uma compressa de gel que pode ser aquecida no micro-ondas ajuda quem sofre com dor nas costas e nos ombros porque passa muito tempo sentado no computador ou fica de pé, parado na mesma posição, por muito tempo. Também é possível fazer uma compressa caseira colocando um pouco de arroz dentro de uma meia. Sempre que precisar, é só esquentá-la no micro-ondas de 3 a 5 minutos e colocar na região dolorida, deixando atuar por cerca de 10 minutos. O calor da compressa irá aumentar a circulação sanguínea no local, aliviando a dor e a tensão dos músculos, trazendo alívio para os sintomas.

Esses exercícios devem ser feitos por 5 minutos, uma ou duas vezes por dia. Dependendo do tipo, o exercício pode ser realizado em pé ou sentado, e, para que se tenha o resultado esperado, é indicado que cada posição seja mantida de 30 segundos a 1 minuto.

Para evitar e tratar a tendinite no punho A tendinite no punho acontece como consequência do movimento repetitivo, que leva à inflamação da articulação. Para evitá-la, há alguns exercícios, como:

  1. De pé ou sentado, cruze um dos braços na frente do corpo e, com a ajuda do outro, realize pressão no cotovelo enquanto sente os músculos do braço esticarem. Permaneça nesta posição por 30 segundos, depois faça o mesmo alongamento com o outro braço.
  2. Estique um braço para frente e, com a ajuda da outra mão, levante a palma da mão para cima, esticando os dedos para trás até que você sinta os músculos do antebraço alongando. Fique parado nesta posição durante 30 segundos, depois repita o mesmo alongamento com o outro braço.
  3. Na mesma posição do exercício anterior, agora volte a palma da mão para baixo, empurre os dedos e mantenha esta posição durante 30 segundos. Em seguida, faça o mesmo com o outro braço.
You might be interested:  O Que Fazer Para Melhorar Dor De Garganta?

Quem sofre de tendinite deve optar por colocar compressas frias no local da dor, deixando-as atuar de 5 a 15 minutos. É importante envolver a compressa em um tecido fino para não queimar a pele. Em poucos minutos, o frio irá diminuir a inflamação e a dor causada pela tendinite. Para melhorar a circulação nas pernas No caso das pessoas que trabalham muito tempo sentadas, é importante levantar de vez em quando e fazer alguns exercícios de alongamento para favorecer a circulação sanguínea:

  1. De pé, com as pernas juntas uma ao lado da outra, puxe o tornozelo em direção aos glúteos e segure a posição por cerca de 30 segundos, para alongar a parte da frente da coxa. Em seguida, faça o mesmo exercício com a outra perna.
  2. Agache e estique para o lado apenas uma das pernas, mantendo o dedão do pé voltado para cima, para sentir a parte de trás e do meio da coxa alongando. Fique parado nessa posição por 30 segundos, depois faça o mesmo com a outra perna.

Esses exercícios são ótimos para ajudar a relaxar, aliviar as dores musculares e melhorar a circulação sanguínea, sendo indicados para todas as pessoas que trabalham sentadas ou de pé. Além desses alongamentos, outras dicas importantes são evitar levantar objetos pesados de forma inadequada e sentar-se corretamente, mantendo a coluna ereta para evitar contraturas e torções musculares. Quem trabalha muito tempo de pé precisa ter o cuidado de andar alguns minutos a cada hora para evitar dor nos pés, nas costas e até mesmo inchaço nos tornozelos.

O que causa a dor na coluna lombar?

Entre as principais razões estão a má postura, sedentarismo, posições incorretas no ambiente de trabalho, nos afazeres domésticos, execução errada de exercícios e principalmente esforço físico. As dores lombares são classificadas como agudas ou crônicas.

Qual o melhor relaxante muscular para coluna?

Relaxantes musculares Os relaxantes musculares, como a ciclobenzaprina (Miosan, Mirtax ou Musculare), podem ser indicados pelo médico, pois agem bloqueando os impulsos nervosos ou as sensações de dor que são enviadas ao cérebro que causam contrações, espasmos ou dor muscular.

Pode colocar gelo na coluna lombar?

Gelo nas primeiras 24 a 72 horas – Como regra geral, é melhor aplicar a terapia fria na região lombar nas primeiras 24 a 72 horas após a lesão lombar. A aplicação da terapia fria pode minimizar sua inflamação e inchaço – o que, por sua vez, pode reduzir sua dor.

Existem inúmeras opções para terapia fria, incluindo um saco congelado de legumes, pacotes de gel congelado e uma toalha congelada. Independentemente da opção escolhida, certifique-se de observar as seguintes precauções: 

Para evitar a queima de gelo, coloque um pano entre a pele e a fonte de frio selecionada.

Aplique terapia fria por no máximo 20 minutos de cada vez. Você pode aplicar terapia fria 8 a 10 vezes por um período de 24 horas.

Como dormir com dor lombar?

Baixe em PDF Baixe em PDF Milhões de pessoas sofrem com dores na lombar. Elas podem ser causadas pela posição no trabalho, exercícios, por ficar muito em pé ou por condições crônicas. A vértebra lombar é muito suscetível à dor e à exaustão muscular. Cuidar da coluna também significa saber como dormir corretamente. Algumas dessas posições podem ser desconfortáveis de início, levando um tempo para acostumar; no entanto, mudar a posição e dar apoio às costas será muito benéfico em longo prazo.

  1. 1 Verifique se o colchão é utilizado há mais de oito anos. Se sim, pode ser hora de comprar um novo, já que os materiais em sua composição se desintegram com o passar do tempo, fornecendo menos apoio às costas e ao corpo.
    • Não há um tipo especial de colchão para pessoas que sofrem de dores na lombar, logo, é preciso fazer alguns testes antes de descobrir e comprar o modelo mais adequado. Alguns preferem colchões mais firmes e duros, enquanto outras preferem os mais macios.
    • Colchões de espuma podem ser mais confortáveis para certas pessoas do que os de mola.
    • Vá a uma loja de colchões que aceite o retorno do produto. Para adaptar-se a um novo colchão, é necessário usá-lo por várias semanas; caso as dores lombares não melhorem após cerca de um mês, o indivíduo pode preferir testar outro modelo e devolver o atual.
  2. 2 Faça com que a cama dê mais suporte ao corpo. Se não for possível comprar um colchão ou cama novos no momento, aumente a capacidade de apoio dela utilizando ripas de madeira. Coloque-as entre o colchão e o box da cama. Outra opção é posicionar o colchão diretamente no chão.
    • Colchões de látex ou de espuma viscoelástica também melhoram o suporte da cama. São opções mais baratas do que a troca total de colchão, se não for possível comprar um novo.
  3. 3 Compre travesseiros que melhorem o apoio ao corpo. Compre um modelo feito especialmente para sua maneira de dormir – como um travesseiro dorsal ou que dê apoio às costas. Uma boa opção é comprar um travesseiro de corpo ou “king size”, caso durma de lado. Publicidade
  1. 1 Aprenda a entrar e sair da cama corretamente. A lombar pode ser lesionada simplesmente ao entrar ou sair da cama inadequadamente. Use o Método a seguir sempre que for deitar.
    • Sente-se no lado da cama, mais ou menos onde deseja que as nádegas fiquem enquanto dorme. Primeiramente, abaixe o torso em apenas um dos lados enquanto levanta as pernas. Durante esse movimento, é necessário ficar reto, na posição “prancha” (com antebraços e palmas da mão sobre a cama).
    • Para dormir de costas, fique na posição “prancha”, deite de lado e depois de costas. Para ir ao outro lado, dobre a perna oposta ao lado para qual deseja ficar. Apoie o pé e gire para o lado que quiser. Aprenda a posição “prancha” para evitar a pressão nas costas.
  2. 2 Durma na posição fetal. Deitar de lado com as pernas dobradas e para cima pode ajudar a aliviar a dor nas costas, permitindo que as articulações da coluna fiquem menos pressionadas. Além disso, coloque um travesseiro de corpo ou “king size” entre as pernas enquanto estiver deitado.
    • Dobre os dois joelhos e erga-os até uma posição confortável. Não deixe a coluna curvada e coloque o travesseiro de forma que fique bem preso entre os tornozelos e joelhos ao mesmo tempo. Essa técnica ajuda a manter os quadris, a pélvis e a coluna alinhadas, reduzindo a tensão.
    • Ao dormir de lado, use um travesseiro mais grosso.
    • Alterne os lados. É uma boa ideia alternar os lados de dormir, pois ficar virado apenas para a direita ou esquerda pode causar desequilíbrio muscular e dor.
    • Mulheres grávidas devem sempre dormir de lado, não de costas. Deitar de costas pode restringir a quantidade de sangue que chega ao feto, causando falta de oxigênio e nutrientes.
  3. 3 Coloque um travesseiro macio e que dê apoio sob os joelhos ao dormir na posição decúbito dorsal. Isso deixa as costas retas, removendo o arco feito na região lombar. A dor será aliviada em alguns minutos.
    • Caso durma em ambas as posições, use um travesseiro de apoio e coloque-o embaixo dos joelhos ou entre as pernas à medida que muda de postura.
    • Uma alternativa é posicionar uma toalha pequena e enrolada na lombar para dar um apoio a mais.
  4. 4 Tente não dormir de barriga para baixo caso sinta dor na lombar. Essa posição pode aumentar a pressão sobre a região, possibilitando o desenvolvimento de escoliose, uma deformação ou curvatura da coluna que é bastante incômoda. Se conseguir dormir apenas nessa posição, coloque um travesseiro sob a pélvis e a parte inferior do abdômen, evitando travesseiros para a cabeça se eles deixam o pescoço ou costas rígidas demais.
    • As pessoas que sofrem com inchaço na parte inferior do disco intervertebral podem conseguir dormir bem sobre uma mesa de massagem. Esse tipo de mesa pode ser “simulada” em casa ao remover o travesseiro normal e colocando um travesseiro para viagem em volta da cabeça. Assim, o rosto do indivíduo fica virado para baixo durante a noite, evitando a torção do pescoço. Outra opção é erguer as mãos e juntá-las, colocando a testa sobre elas.

    Publicidade

  1. 1 Use aplicação de calor para diminuir as dores na região lombar antes de dormir. O calor ajuda no relaxamento muscular, o qual, por sua vez, leva ao alívio do desconforto. A aplicação de calor é muito mais eficaz que o gelo no tratamento de dores crônicas nas costas.
    • Tome um banho quente e rápido (cerca de 10 minutos) antes de deitar. Permita que a água quente corra pela lombar. Outra opção é entrar na banheira quente logo antes de dormir.
    • Com uma compressa ou garrafa de água (ambas quentes), faça a aplicação de calor aos locais doloridos. No entanto, evite esse processo ao dormir, ou você poderá sofrer queimaduras ou até causar um incêndio. Aplique o calor por cerca de 15 a 20 minutos antes de dormir.
  2. 2 Faça exercícios de respiração profunda ao deitar. Inspire e expire profundamente, de forma audível, no começo. Pense em cada músculo do corpo se relaxando.
    • Comece respirando profundamente. Feche os olhos e perceba os ritmos da respiração.
    • Imagine que está em um local que transmita tranquilidade e calma, como uma praia, uma floresta ou até seu próprio quarto.
    • Note a maior quantidade de detalhes sensoriais que puder do local mentalizado. Use todos os sentidos – visão, audição, olfato, paladar e tato – para imaginar como é estar nesse lugar relaxante.
    • Passe alguns minutos “vivendo” no local antes de “pegar” no sono.
    • Se quiser, ouça uma meditação guiada na internet.
  3. 3 Antes de dormir, evite refeições grandes demais, bem como álcool e cafeína. Comer demais logo antes de dormir pode causar refluxo ácido, deixando o indivíduo acordado. Um lanche leve, como uma torrada, poderá evitar que ele desperte, se houver a tendência de acordar durante a madrugada.
    • Limite o consumo geral de álcool. As mulheres não devem tomar mais de um copo diariamente enquanto os homens, devem evitar mais que dois copos por dia. O consumo de álcool antes de dormir pode ajudar a “pegar” no sono, mas interfere com o sono R. (Rapid Eye Movement ou Movimento Rápido dos Olhos), que é importante para acordar com a sensação de ter dormido bem e descansado.
    • Tente evitar também o consumo de cafeína pelo menos durante as seis horas anteriores ao horário de dormir. Ela pode atrapalhar o sono.
  4. 4 Aplique um analgésico tópico à região lombar antes de deitar. Vendidos em farmácias, esses analgésicos em forma de creme podem criar uma sensação prazerosa de relaxamento e calor nos músculos.
  5. 5 Não fique tempo demais na cama. O descanso prolongado na cama pode deixar os músculos rígidos e aumentar as dores nas costas. Ao menos que o médico recomende, não fique na cama por mais de três dias após uma lesão leve nas costas. A atividade física ajudará o corpo a melhorar naturalmente.
    • Sempre marque uma consulta com um médico antes de retornar à prática normal de exercícios físicos. Exagerar na “dose” logo após a lesão pode fazer com que o mesmo local sofra uma nova contusão.

    Publicidade

  1. 1 Experimente combinações diferentes das técnicas anteriores. Pode ser necessário passar algumas semanas experimentando-as para descobrir a combinação de técnicas ideal e que seja mais confortável para você.
  2. 2 Experimente outras estratégias para aliviar a dor. Se o desconforto nas costas não melhora, utilize outros métodos para reduzir a dor durante o dia.
    • Evite movimentos que exijam muita força ou apliquem pressão sobre as costas. Ao levantar qualquer objeto, use as pernas, não as costas.
    • Use um “foam roller” para aliviar dores musculares. Semelhantes ao espaguete de piscina, só que mais grossos, são utilizados para que a pessoa realize exercícios e massagens nos músculos das costas e das pernas.
    • Crie um local de trabalho ergonomicamente correto.
    • Ao sentar, verifique se o suporte lombar é adequado. Uma cadeira com bom suporte lombar ajuda a evitar dores na parte inferior das costas de indivíduos que ficam muito tempo sentados. Levante e faça um alongamento a cada uma ou duas horas.
  3. 3 Vá ao médico. Dores agudas nas costas devem melhorar após a realização de um tratamento caseiro adequado. Porém, se isso não acontecer e o desconforto persistir por mais de quatro semanas, marque uma consulta com um médico. A condição pode estar sendo agravada por um problema oculto e que requer outros tipos de tratamento.
    • Causas comuns de dores na lombar são: artrite, discopatia e outros problemas relacionados aos nervos ou músculos.
    • Apendicite, doenças renais, infecções pélvicas e transtornos no ovário também podem causar dores lombares.
  4. 4 Identifique sintomas graves. A dor na região lombar é comum, afetando cerca de 84% dos adultos em algum momento da vida. No entanto, certas manifestações indicam problemas mais sérios. Ao apresentar qualquer um dos sintomas a seguir, vá imediatamente ao pronto-socorro:
    • Dor que se estende por uma perna e chega até as costas
    • Dor que piora ao dobrar as costas ou pernas
    • Dor que piora à noite
    • Febre e dores nas costas
    • Dores nas costas com problemas intestinais ou na bexiga
    • Dormência ou fraqueza nas pernas, junto ao desconforto na lombar

    Publicidade

Quanto tempo demora para passar a dor na lombar?

O que é? – A lombalgia, apesar de não se tratar de uma doença, é um problema que requer atenção e que atinge cada vez mais, não apenas pessoas idosas, mas também jovens, adolescentes e até crianças. Ela pode ser caracterizada como um conjunto de sintomas que se manifestam na região lombar ou na coluna lombar.

Popularmente, também é chamada de dor nas costas, dor na lombar, dor na coluna, dor nos quartos ou ainda dor na coluna lombar. Apesar de serem parecidas, é muito importante saber diferenciar a lombalgia da simples dor nas costas, para que ela possa ser tratada de maneira adequada.

Na lombalgia, a dor se concentra principalmente na coluna lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna. Ela pode se estender ainda para as coxas e para os glúteos. Existem dois tipos de lombalgia (aguda e crônica), que variam de acordo com o tempo de duração.

A lombalgia aguda dura entre alguns dias, até seis semanas – e, neste caso, a dor se trata de um quadro passageiro, geralmente provocado por esforço físico ou má postura. Já no caso de lombalgia crônica, a dor nas costas costuma durar cerca de doze semanas, ou mais e pode estar relacionada à inflamação de um nervo.

Apesar de não se tratar de uma doença, fica o alerta de que os sintomas da lombalgia precisam, sim, de atenção médica e tratamento adequado. A falta do tratamento pode acabar prejudicando permanentemente a qualidade de vida do paciente.

Como colocar a lombar no lugar sozinho?

Baixe em PDF Baixe em PDF Ter dores na região lombar é frustrante. Quando isso ocorre, só queremos encontrar a causa do problema e aliviar o local atingido. Estalar as costas pode ajudar a tratar das dores na região lombar. No entanto, é melhor consultar seu médico ou fisioterapeuta para ter certeza que isso é seguro no seu caso.

  1. 1 Sente-se em uma cadeira com encosto médio ou baixo e sem apoio para os braços. Escolha uma cadeira que não tenha apoio para os braços para ter maior mobilidade para estalar as costas. Ao se sentar, encontre uma posição confortável, mantendo suas costas eretas e seus pés apoiados no chão.
    • Uma cadeira de jantar é uma ótima opção.
  2. 2 Para uma opção fácil, feche as mãos atrás das costas e aperte as costas. Traga ambos os braços para trás e entrelace os dedos. Posicione suas mãos sobre a região lombar ou no local dolorido; em seguida, aperte as mãos devagar contra as costas para massagear o local. Continue massageando até sentir o estalo das costas.
    • Talvez você não ouça o estalo, mas poderá sentir a diferença.
    • Essa é uma forma delicada de estalar as costas, mas ela pode não funcionar com todo mundo. Se ainda estiver desconfortável, tente outra técnica.
  3. 3 Como alternativa, gire o corpo sobre a cadeira até sentir um leve estalo. Sente-se reto na cadeira com os braços relaxados ao lado do corpo. Gire lentamente o corpo à esquerda e passe o braço esquerdo em torno do corpo. Segure o lado direito da cadeira com a mão esquerda e puxe delicadamente o corpo para torcê-lo ainda mais. Solte quando sentir um estalo nas costas.

    Você pode estalar suas costas sentado em uma cadeira. Se isso não funcionar, deite-se no chão e gire o tronco para fazer um alongamento mais profundo. Além disso, você ainda pode utilizar um rolo de espuma para massagear suas costas até estalar.

    Em seguida, repita o movimento do outro lado.

    • Você pode fazer esse alongamento duas ou três vezes até aliviar as dores.
    • Se ainda estiver desconfortável após o alongamento, talvez seja melhor fazer um giro com o tronco ou utilizar um rolo de espuma.
  1. 1 Deite de costas com a perna esquerda reta e a perna direita dobrada. Alongue-se sobre um tapete de ginástica. Estenda o joelho esquerdo e dobre o joelho direito em um ângulo de aproximadamente 90 graus. Em seguida, abra os braços para os lados para se manter estável durante o giro.
    • Dobrar a perna direita trabalhará o lado direito do corpo. Em seguida, troque de perna para fazer o mesmo movimento do lado esquerdo.
  2. 2 Passe a perna direita sobre a esquerda para girar delicadamente as costas. Respire fundo e expire ao girar a perna direita sobre a esquerda. Em seguida, passe a mão esquerda sobre o corpo e puxe delicadamente o quadril direito para a esquerda. Solte quando sentir suas costas estalando.
    • Mantenha a parte superior do corpo e a cabeça retos sobre o tapete ao fazer esse exercício. Somente a parte inferior do corpo deve girar.
    • Se sentir qualquer dor, pare imediatamente. Você não deve sentir desconforto ao alongar o corpo.

    Variação: coloque a mão esquerda sobre o joelho direito para aprofundar o alongamento. Em seguida, utilize a mão direita para puxar o joelho esquerdo ao fazer o movimento do outro lado.

  3. 3 Repita o alongamento do outro lado. Estique a perna direita e dobre a esquerda. Gire devagar o joelho esquerdo sobre a perna direita; em seguida, utilize a mão direita para puxar o quadril esquerdo para a direita. Pare quando sentir um estalo.
    • Você pode repetir o alongamento duas ou três vezes se estiver com dificuldade para aliviar a dor. Se as suas costas ainda estiverem incomodando, o ideal é consultar um médico para descobrir o motivo das dores.
  1. 1 Sente-se no chão com os joelhos dobrados. Você pode utilizar um tapete de ginástica, mas o movimento deve ser feito sobre uma superfície rígida, como um piso com azulejos. Sente-se com os joelhos dobrados e mantenha-os assim durante todo o exercício para não curvar a região lombar.
    • O rolo de espuma não deve ser utilizado em superfícies macias, como camas ou tapetes.
  2. 2 Posicione o rolo de espuma embaixo da região lombar. Coloque o rolo de espuma diretamente abaixo do local dolorido. Talvez seja preciso movê-lo um pouco para encontrar o ponto certo — ajuste o rolo conforme necessário.
    • O rolo de espuma massageará delicadamente o local das costas onde ele foi posicionado, o que deve gerar algum alívio.
  3. 3 Segure as mãos atrás da cabeça e abaixe o corpo contra o rolo de espuma. Utilize as mãos para dar suporte ao pescoço, pois alongá-lo pode acabar piorando a dor. Em seguida, abaixe lentamente a parte superior do corpo, passando sobre o rolo de espuma. Você deve sentir um estalo quando o rolo pressionar suas costas.
    • Apenas abaixar o corpo para passar sobre o rolo de espuma pode ser suficiente para estalar as costas. No entanto, você pode rolar as costas sobre a espuma para obter ainda mais alívio.
  4. 4 Role as costas sobre o rolo de espuma com movimentos lentos e delicados. Esse passo é opcional, mas você pode rolar as costas para massagear melhor o local e ouvir o estalo. Enquanto estiver deitado sobre o rolo de espuma, utilize as pernas para empurrar o corpo lentamente para frente e para trás. Sinta o corpo rolando sobre o rolo de espuma até ouvir o estalo das costas.
    • Mantenha os pés fixos no chão para manter a estabilidade durante o movimento.
    • Relaxe os músculos ao utilizar o rolo de espuma. Quanto mais relaxados estiverem seus músculos, maiores serão as chances de estalar suas costas.

    Variação: coloque o rolo de espuma ligeiramente na diagonal para ajudar a realinhar seus discos, que podem escorregar e ficar desalinhados. Deixe um lado do rolo ligeiramente mais alto que o outro para formar uma diagonal. Role suas costas sobre o rolo de espuma inclinado. Em seguida, ajuste o rolo de espuma e deixe-o na diagonal do outro lado.

Quando a coluna está inflamada onde dói?

Inflamação do nervo ciático – O nervo ciático tem início no fim da coluna e, quando inflamado ou comprimido, pode causar dor intensa no fim da costas, além de dor no glúteo e pernas. A inflamação do nervo ciático pode causar além da dor, dificuldade para manter a coluna reta e para abaixar e dor ao andar.

  • Saiba mais sobre o nervo ciático;
  • O que fazer: Ao notar os primeiros sintomas de inflamação no nervo ciático, é importante consultar um ortopedista para que seja feito o diagnóstico e possa ser iniciado o tratamento, que pode ser feito com o uso de anti-inflamatórios para aliviar os sintomas, além de sessões de fisioterapia para reduzir a dor, inflamação e fortalecer a lombar e, assim, melhorar a qualidade de vida;

Veja o que fazer para aliviar os sintomas da inflamação do nervo ciático no vídeo a seguir:.

Quanto tempo demora para passar a dor na lombar?

O que é? – A lombalgia, apesar de não se tratar de uma doença, é um problema que requer atenção e que atinge cada vez mais, não apenas pessoas idosas, mas também jovens, adolescentes e até crianças. Ela pode ser caracterizada como um conjunto de sintomas que se manifestam na região lombar ou na coluna lombar.

Popularmente, também é chamada de dor nas costas, dor na lombar, dor na coluna, dor nos quartos ou ainda dor na coluna lombar. Apesar de serem parecidas, é muito importante saber diferenciar a lombalgia da simples dor nas costas, para que ela possa ser tratada de maneira adequada.

Na lombalgia, a dor se concentra principalmente na coluna lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna. Ela pode se estender ainda para as coxas e para os glúteos. Existem dois tipos de lombalgia (aguda e crônica), que variam de acordo com o tempo de duração.

  1. A lombalgia aguda dura entre alguns dias, até seis semanas – e, neste caso, a dor se trata de um quadro passageiro, geralmente provocado por esforço físico ou má postura;
  2. Já no caso de lombalgia crônica, a dor nas costas costuma durar cerca de doze semanas, ou mais e pode estar relacionada à inflamação de um nervo;

Apesar de não se tratar de uma doença, fica o alerta de que os sintomas da lombalgia precisam, sim, de atenção médica e tratamento adequado. A falta do tratamento pode acabar prejudicando permanentemente a qualidade de vida do paciente.

Como dormir com dor lombar?

Baixe em PDF Baixe em PDF Milhões de pessoas sofrem com dores na lombar. Elas podem ser causadas pela posição no trabalho, exercícios, por ficar muito em pé ou por condições crônicas. A vértebra lombar é muito suscetível à dor e à exaustão muscular. Cuidar da coluna também significa saber como dormir corretamente. Algumas dessas posições podem ser desconfortáveis de início, levando um tempo para acostumar; no entanto, mudar a posição e dar apoio às costas será muito benéfico em longo prazo.

  1. 1 Verifique se o colchão é utilizado há mais de oito anos. Se sim, pode ser hora de comprar um novo, já que os materiais em sua composição se desintegram com o passar do tempo, fornecendo menos apoio às costas e ao corpo.
    • Não há um tipo especial de colchão para pessoas que sofrem de dores na lombar, logo, é preciso fazer alguns testes antes de descobrir e comprar o modelo mais adequado. Alguns preferem colchões mais firmes e duros, enquanto outras preferem os mais macios.
    • Colchões de espuma podem ser mais confortáveis para certas pessoas do que os de mola.
    • Vá a uma loja de colchões que aceite o retorno do produto. Para adaptar-se a um novo colchão, é necessário usá-lo por várias semanas; caso as dores lombares não melhorem após cerca de um mês, o indivíduo pode preferir testar outro modelo e devolver o atual.
  2. 2 Faça com que a cama dê mais suporte ao corpo. Se não for possível comprar um colchão ou cama novos no momento, aumente a capacidade de apoio dela utilizando ripas de madeira. Coloque-as entre o colchão e o box da cama. Outra opção é posicionar o colchão diretamente no chão.
    • Colchões de látex ou de espuma viscoelástica também melhoram o suporte da cama. São opções mais baratas do que a troca total de colchão, se não for possível comprar um novo.
  3. 3 Compre travesseiros que melhorem o apoio ao corpo. Compre um modelo feito especialmente para sua maneira de dormir – como um travesseiro dorsal ou que dê apoio às costas. Uma boa opção é comprar um travesseiro de corpo ou “king size”, caso durma de lado. Publicidade
  1. 1 Aprenda a entrar e sair da cama corretamente. A lombar pode ser lesionada simplesmente ao entrar ou sair da cama inadequadamente. Use o Método a seguir sempre que for deitar.
    • Sente-se no lado da cama, mais ou menos onde deseja que as nádegas fiquem enquanto dorme. Primeiramente, abaixe o torso em apenas um dos lados enquanto levanta as pernas. Durante esse movimento, é necessário ficar reto, na posição “prancha” (com antebraços e palmas da mão sobre a cama).
    • Para dormir de costas, fique na posição “prancha”, deite de lado e depois de costas. Para ir ao outro lado, dobre a perna oposta ao lado para qual deseja ficar. Apoie o pé e gire para o lado que quiser. Aprenda a posição “prancha” para evitar a pressão nas costas.
  2. 2 Durma na posição fetal. Deitar de lado com as pernas dobradas e para cima pode ajudar a aliviar a dor nas costas, permitindo que as articulações da coluna fiquem menos pressionadas. Além disso, coloque um travesseiro de corpo ou “king size” entre as pernas enquanto estiver deitado.
    • Dobre os dois joelhos e erga-os até uma posição confortável. Não deixe a coluna curvada e coloque o travesseiro de forma que fique bem preso entre os tornozelos e joelhos ao mesmo tempo. Essa técnica ajuda a manter os quadris, a pélvis e a coluna alinhadas, reduzindo a tensão.
    • Ao dormir de lado, use um travesseiro mais grosso.
    • Alterne os lados. É uma boa ideia alternar os lados de dormir, pois ficar virado apenas para a direita ou esquerda pode causar desequilíbrio muscular e dor.
    • Mulheres grávidas devem sempre dormir de lado, não de costas. Deitar de costas pode restringir a quantidade de sangue que chega ao feto, causando falta de oxigênio e nutrientes.
  3. 3 Coloque um travesseiro macio e que dê apoio sob os joelhos ao dormir na posição decúbito dorsal. Isso deixa as costas retas, removendo o arco feito na região lombar. A dor será aliviada em alguns minutos.
    • Caso durma em ambas as posições, use um travesseiro de apoio e coloque-o embaixo dos joelhos ou entre as pernas à medida que muda de postura.
    • Uma alternativa é posicionar uma toalha pequena e enrolada na lombar para dar um apoio a mais.
  4. 4 Tente não dormir de barriga para baixo caso sinta dor na lombar. Essa posição pode aumentar a pressão sobre a região, possibilitando o desenvolvimento de escoliose, uma deformação ou curvatura da coluna que é bastante incômoda. Se conseguir dormir apenas nessa posição, coloque um travesseiro sob a pélvis e a parte inferior do abdômen, evitando travesseiros para a cabeça se eles deixam o pescoço ou costas rígidas demais.
    • As pessoas que sofrem com inchaço na parte inferior do disco intervertebral podem conseguir dormir bem sobre uma mesa de massagem. Esse tipo de mesa pode ser “simulada” em casa ao remover o travesseiro normal e colocando um travesseiro para viagem em volta da cabeça. Assim, o rosto do indivíduo fica virado para baixo durante a noite, evitando a torção do pescoço. Outra opção é erguer as mãos e juntá-las, colocando a testa sobre elas.

    Publicidade

  1. 1 Use aplicação de calor para diminuir as dores na região lombar antes de dormir. O calor ajuda no relaxamento muscular, o qual, por sua vez, leva ao alívio do desconforto. A aplicação de calor é muito mais eficaz que o gelo no tratamento de dores crônicas nas costas.
    • Tome um banho quente e rápido (cerca de 10 minutos) antes de deitar. Permita que a água quente corra pela lombar. Outra opção é entrar na banheira quente logo antes de dormir.
    • Com uma compressa ou garrafa de água (ambas quentes), faça a aplicação de calor aos locais doloridos. No entanto, evite esse processo ao dormir, ou você poderá sofrer queimaduras ou até causar um incêndio. Aplique o calor por cerca de 15 a 20 minutos antes de dormir.
  2. 2 Faça exercícios de respiração profunda ao deitar. Inspire e expire profundamente, de forma audível, no começo. Pense em cada músculo do corpo se relaxando.
    • Comece respirando profundamente. Feche os olhos e perceba os ritmos da respiração.
    • Imagine que está em um local que transmita tranquilidade e calma, como uma praia, uma floresta ou até seu próprio quarto.
    • Note a maior quantidade de detalhes sensoriais que puder do local mentalizado. Use todos os sentidos – visão, audição, olfato, paladar e tato – para imaginar como é estar nesse lugar relaxante.
    • Passe alguns minutos “vivendo” no local antes de “pegar” no sono.
    • Se quiser, ouça uma meditação guiada na internet.
  3. 3 Antes de dormir, evite refeições grandes demais, bem como álcool e cafeína. Comer demais logo antes de dormir pode causar refluxo ácido, deixando o indivíduo acordado. Um lanche leve, como uma torrada, poderá evitar que ele desperte, se houver a tendência de acordar durante a madrugada.
    • Limite o consumo geral de álcool. As mulheres não devem tomar mais de um copo diariamente enquanto os homens, devem evitar mais que dois copos por dia. O consumo de álcool antes de dormir pode ajudar a “pegar” no sono, mas interfere com o sono R. (Rapid Eye Movement ou Movimento Rápido dos Olhos), que é importante para acordar com a sensação de ter dormido bem e descansado.
    • Tente evitar também o consumo de cafeína pelo menos durante as seis horas anteriores ao horário de dormir. Ela pode atrapalhar o sono.
  4. 4 Aplique um analgésico tópico à região lombar antes de deitar. Vendidos em farmácias, esses analgésicos em forma de creme podem criar uma sensação prazerosa de relaxamento e calor nos músculos.
  5. 5 Não fique tempo demais na cama. O descanso prolongado na cama pode deixar os músculos rígidos e aumentar as dores nas costas. Ao menos que o médico recomende, não fique na cama por mais de três dias após uma lesão leve nas costas. A atividade física ajudará o corpo a melhorar naturalmente.
    • Sempre marque uma consulta com um médico antes de retornar à prática normal de exercícios físicos. Exagerar na “dose” logo após a lesão pode fazer com que o mesmo local sofra uma nova contusão.

    Publicidade

  1. 1 Experimente combinações diferentes das técnicas anteriores. Pode ser necessário passar algumas semanas experimentando-as para descobrir a combinação de técnicas ideal e que seja mais confortável para você.
  2. 2 Experimente outras estratégias para aliviar a dor. Se o desconforto nas costas não melhora, utilize outros métodos para reduzir a dor durante o dia.
    • Evite movimentos que exijam muita força ou apliquem pressão sobre as costas. Ao levantar qualquer objeto, use as pernas, não as costas.
    • Use um “foam roller” para aliviar dores musculares. Semelhantes ao espaguete de piscina, só que mais grossos, são utilizados para que a pessoa realize exercícios e massagens nos músculos das costas e das pernas.
    • Crie um local de trabalho ergonomicamente correto.
    • Ao sentar, verifique se o suporte lombar é adequado. Uma cadeira com bom suporte lombar ajuda a evitar dores na parte inferior das costas de indivíduos que ficam muito tempo sentados. Levante e faça um alongamento a cada uma ou duas horas.
  3. 3 Vá ao médico. Dores agudas nas costas devem melhorar após a realização de um tratamento caseiro adequado. Porém, se isso não acontecer e o desconforto persistir por mais de quatro semanas, marque uma consulta com um médico. A condição pode estar sendo agravada por um problema oculto e que requer outros tipos de tratamento.
    • Causas comuns de dores na lombar são: artrite, discopatia e outros problemas relacionados aos nervos ou músculos.
    • Apendicite, doenças renais, infecções pélvicas e transtornos no ovário também podem causar dores lombares.
  4. 4 Identifique sintomas graves. A dor na região lombar é comum, afetando cerca de 84% dos adultos em algum momento da vida. No entanto, certas manifestações indicam problemas mais sérios. Ao apresentar qualquer um dos sintomas a seguir, vá imediatamente ao pronto-socorro:
    • Dor que se estende por uma perna e chega até as costas
    • Dor que piora ao dobrar as costas ou pernas
    • Dor que piora à noite
    • Febre e dores nas costas
    • Dores nas costas com problemas intestinais ou na bexiga
    • Dormência ou fraqueza nas pernas, junto ao desconforto na lombar

    Publicidade

Qual o melhor exercício para dor na coluna lombar?

Qual o melhor relaxante muscular para coluna?

Antidepressivos – Os antidepressivos podem ser indicados nos caso de dor crônica na coluna, já que possuem um efeito positivo diante da dor, sendo principalmente recomendado em caso de lombalgia crônica. Os antidepressivos que têm sido utilizados para a aliviar a dor na coluna são os inibidores da recaptação de noradrenalina e serotonina e os antidepressivos tricíclicos.

0
Adblock
detector